Mais Asfalto

Mais Asfalto

terça-feira, 31 de maio de 2016

Porto do Itaqui movimenta R$ 7,3 bilhões em mercadorias no primeiro quadrimestre de 2016

Reconhecido como um dos principais portos públicos do Brasil, o Itaqui tem, desde 2015, uma gestão austera, focada em resultados, respeito aos recursos públicos e trabalho em equipe, atuando na contramão da crise política e econômica.
A Empresa Maranhense de Administração Portuária – EMAP segue a tendência de 2015, quando foram registrados recordes de operação e lucratividade no Porto do Itaqui, e mantém o crescimento movimentando aproximadamente R$ 7,3 bilhões em mercadorias nos quatro primeiros meses do ano. Foram R$ 4,3 bilhões em exportações e R$ 3 bilhões em importações.

O lucro líquido do quadrimestre (janeiro a abril) ficou 84,6% acima da previsão orçamentária e 12,3% maior que o resultado alcançado no mesmo período de 2015, fechando em R$ 17,6 milhões, valor equivalente à soma do lucro total da empresa nos anos de 2013 e 2014. Já a receita operacional bruta obteve crescimento de 11,5% sobre o mesmo período do ano anterior e de 7,1% em relação ao previsto. O indicador financeiro que mede a rentabilidade (Margem EBITDA) fechou em 42,2% ao final de abril (leia mais sobre o indicador no box).

Se pensarmos na gestão de 2015, primeiro ano do governo Flávio Dino, o número é ainda mais expressivo. No ano passado a EMAP registrou lucro líquido de R$ 68,2 milhões, valor superior à soma do lucro dos quatro anos anteriores (2011 a 2014), que foi de R$ 55,9 milhões. Esses resultados ampliam a capacidade de investimento do Itaqui, com aporte de R$ 255,55 milhões em recursos próprios para o biênio 2016/2017. No mesmo período serão investidos no porto outros R$ 1,093 bilhões, da iniciativa privada, totalizando R$ 1,348 bilhões.

Mesmo em um cenário de crise econômica e retração da safra de grãos, foram registrados aumento de movimentação nas cargas especificas de soja (16%), milho (65%), trigo (157%) e fertilizantes (19%) e pequena redução de aproximadamente 1% na movimentação total de granéis líquidos em relação ao mesmo período de 2015. Destaque para a consolidação da exportação de gado vivo, com o embarque de mais de 11 mil cabeças de gado maranhense exportados para Venezuela e Líbano.

Reconhecido como um dos principais portos públicos do Brasil, o Itaqui tem, desde 2015, uma gestão austera, focada em resultados, respeito aos recursos públicos e trabalho em equipe, atuando na contramão da crise política e econômica. 

“O Porto do Itaqui, além de ser patrimônio do povo do Maranhão, tem importância vital na dinamização da economia de todo o corredor centro-norte do Brasil. Impactamos positivamente as receitas de oito estados e a vida de cerca de 50 milhões de pessoas”, afirma o presidente da EMAP, Ted Lago.

O foco da gestão neste ano está voltado para a consolidação e o avanço das conquistas de 2015, o que tem gerado interesse dos mercados externos, motivados pelos extraordinários números alcançados em pouco mais de um ano. A implementação de sistemática de acompanhamento de indicadores de performance, aliada a um refinado planejamento estratégico e ao uso de ferramentas de gestão como o Balanced Scorecard (BSC), impulsionam a EMAP rumo à sua nova visão que é “ser, até 2018, a empresa pública referência em gestão portuária no Brasil”.

Infraestrutura e novos negócios

Os resultados financeiros obtidos vêm possibilitando investimentos e melhorias na infraestrutura portuária. Neste ano foram finalizadas as obras civis do berço 108 e iniciadas as obras de manutenção estrutural do berço 105. Foram ainda implementadas melhorias e manutenção preventiva tanto na área de atracação de navios quanto nas vias de circulação e acesso ao porto.

A equipe do Itaqui também vem trabalhando para diversificar e ampliar o portfólio de clientes externos. Destaca-se nesse cenário o passo importante que será dado em junho, quando uma missão do Governo de Singapura virá ao Maranhão para formalizar a parceria entre os dois governos. O convênio prevê o desenvolvimento de melhorias nas atividades do Porto do Itaqui, na relação do porto com sua hinterlândia (área de influência) e no incremento das relações comerciais entre empresas maranhenses e de Singapura.

Entre os negócios internos destaca-se a parceria que vem sendo desenhada com o Porto Seco de Anápolis e as empresas Brado e VLI para fomento da movimentação de contêineres, trazendo e levando cargas para o Centro-Oeste do país. As negociações estão avançadas e são previstos embarques teste de grãos conteinerizados que serão movimentados pela Norte Sul e Estrada de Ferro Carajás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...