quinta-feira, 14 de julho de 2016

Operação Déspota prende prefeito, secretários e advogados no sul do Piauí

Estão a frente da Operação Déspota, o Ministério Público Estadual, o Tribunal de Contas, a Controladoria Geral e as polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal.
Repórter: Christyan Carvalho
O Olho/Pi

Foi deflagrada, por volta das 6h desta quinta-feira (14), a Operação Déspota, que prendeu prefeito, secretários, advogados, empresários e outras autoridades acusadas de fraude em licitação.

A informação foi confirmada pelo secretário estadual de Segurança Fábio Abreu. Em entrevista ao programa Bom Dia Meio Norte, da TV MN, Abreu revelou o envolvimento do prefeito da cidade de Redenção do Gurgueia Delano Oliveira Parente (PSB).

Delano Parente, prefeito de Redenção
do Gurguéia
Estão a frente da Operação Déspota, o Ministério Público Estadual através da GAECO (Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado), o Tribunal de Contas (TCE), a Controladoria Geral (CGE) e as polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal. A operação investiga uma suposta quadrilha que vinha fraudando licitações.

No total são 30 mandados expedidos pela Justiça, sendo oito de prisão preventiva, oito de prisão temporária, três por condução coercitiva e 11 de busca e apreensão. O prefeito Delano foi um dos primeiros a ser preso. Ele estava em seu condomínio, localizado na zona leste de Teresina, quando foi abordado pelos policiais, sob o comando do delegado Cadena Júnior.

Ao chegar à sede da GAECO, o prefeito Delano Oliveira Parente, conduzido sem estar algemado pelo delegado Cadena, apenas sorriu e disse ao repórter Ivo, da TV MN: “Não sei de nada. Sou inocente. Vamos provar nossa inocência. Um abraço para nossa cidade”. Ele foi levado após prestar depoimento na GAECO para responder, além da acusação da operação, pelo flagrante de ter sido encontrado em seu apartamento uma arma de fogo, um revólver 38.

Quem também chegou à sede da GAECO sendo levado preso pelos policiais que atuam na operação foi o advogado Igor Martins. Ele não falou à imprensa, mas segundo o policial rodoviário Tony Carlos, ele está envolvido na operação. No entanto, não podia dar mais informações sobre o caso. Ele é um dos mais conhecidos no estado, atuando na assessoria jurídica de várias prefeituras do interior do estado.

Advogado Igor Martins
Mais nomes e mais detalhes serão repassados pelo Ministério Público, através da GAECO, numa entrevista coletiva à imprensa. Até agora sabe-se os seguintes nomes envolvidos na operação:

-Delano Oliveira Parente: Prefeito de Redenção do Gurgueia
-Audemes de Sousa Nunes: Pai do prefeito de Redenção e secretário
-Romário Alves de Figueiredo: Secretário de Finanças
-Igor Martins: Advogado
-Thiago Rodrigues Júnior: Advogado

Duas pessoas ainda estão sendo procuradas pela polícia: uma em Teresina e outra em Redenção do Gurgueia. Três secretários diretos foram presos.

Audemes de Sousa Nunes, o secretário de Infraestrutura do município e pai do prefeito, foi preso por envolvimento com o esquema. O agente da PRF Rodrigo Nunes afirmou que os presos serão indiciados por formação de quadrilha. Eles foram acusados de fraudes em licitações e superfaturamento.


Todos os mandados de busca e apreensão foram cumpridos e os documentos serão analisados pelos agentes. Foram apreendidos documentos para comprovar a criação de empresas de fachada e uso de notas frias para lavar o dinheiro desviado.

“Tinha empresas que eram criadas para participar de licitações, fraudar e fazer o desvio da verba pública e tinha as outras que eram usadas para gerar e comprovar renda”, informa o agente Rodrigo Nunes.

O agente ainda não tem informação se as empresas são de Teresina ou de Redenção do Gurgueia.


A Operação Déspota se dá pelo significado da palavra, que adjetiva alguém que possui poder e autoridade, sendo empregado para autoridades tirânicas que visam a dominação de um povo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...