terça-feira, 30 de agosto de 2016

Dignidade aos pequeninos

Por Robson Paz

A forma como tratamos nossas crianças diz muito sobre nossa condição de ser humano. Na gestão pública isto é ainda mais emblemático. Das cenas mais humilhantes que por vezes vi e vivenciei uma das mais constrangedoras e humilhantes são crianças submetidas a arrastarem-se pelo chão de ônibus para terem acesso ao transporte público.

Antes popularmente denominadas "borboletas", as roletas dos ônibus coletivos eram cada vez mais próximas do piso dos veículos para evitar a passagem das crianças gratuitamente. Isto ocorria também em outros ambientes como estádios de futebol, por exemplo.

Recentemente, acompanhei com muita alegria o anúncio do cartão da criança pela prefeitura de São Luís para garantir acesso dos pequeninos ao transporte coletivo. Com ele, crianças de 4 a 7 anos de idade usarão gratuitamente o transporte público girando a catraca. Trata-se de iniciativa de imensurável simbolismo.

Deixa-se para trás um tempo em que nossas crianças, sobretudo, as mais pobres, tinham seus direitos desrespeitados, submetidas à humilhação. Aqueles que arrastaram as costas no chão olhando a catraca e o mundo, de baixo pra cima, sabem a sensação que passa na cabeça de uma criança nesta degradante circunstância.

Este cartão por sua importância deveria se chamar cartão dignidade tal é a grandeza desta medida. Digna de aplausos ao prefeito Edivaldo por esse gesto que parece simples, mas de imenso e histórico significado.

Outra feliz iniciativa voltada para nossos pequenos ludovicenses e maranhenses é a construção do novo hospital da criança. Uma obra grandiosa em dimensão estrutural, mas principalmente por oferecer atendimento humanizado em ambiente adequado para as crianças.

O novo hospital da criança, que está sendo construído pela prefeitura de São Luís em parceria com o governo do Estado, vai assegurar que tenhamos 178 leitos de enfermaria e 11 leitos de UTIs. Com mais de 1 milhão de habitantes, dos quais quase mais de 140 mil são crianças, nossa cidade não possui leitos de UTI Infantil no município. Em pleno século 21.

O resgate do projeto circo-escola do município, suspenso por cinco anos, que atende crianças e adolescentes  em situação de vulnerabilidade social para incluí-las, por meio da arte, teatro, dança, educação esportiva, leitura é outra ação socialmente relevante.

Como é também o Bolsa-escola (Mais Bolsa Família), criado pelo governador Flávio Dino, que proporciona a meninos e meninas pobres a oportunidade de ter material escolar estimulando assim o processo de  ensino e aprendizagem. São mais de 1 milhão de crianças e adolescentes beneficiados em todo estado.

Projetos, obras e ações como as supracitadas nos fazem acreditar no poder público como protetor daqueles que alegram nosso presente e construirão nosso futuro. Mais ainda num contexto em que programas sociais estão ameaçados sob a égide do ajuste econômico defendido pela política neoliberal. Mas, há esperança e esta, por certo, vem da atenção dada às crianças.

Robson Paz é Radialista, jornalista. Subsecretário de Comunicação Social e Assuntos Políticos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...