domingo, 7 de agosto de 2016

Ditadura? PM retira 12 torcedores de jogo no Mineirão após protesto contra Temer

VICTOR MARTINS
DO UOL

No final do primeiro tempo da partida entre Estados Unidos e França, pelo grupo G do torneio feminino de futebol dos Jogos Olímpicos, no Mineirão, a Polícia Militar de Minas Gerais retirou 12 torcedores das cadeiras do estádio.

Eles não puderam acompanhar o restante do jogo que terminou com vitória norte-americana e muito menos o jogo da sequência, entre Colômbia e Nova Zelândia. O motivo não foi briga ou ameaças, um protesto político contra o presidente interino Michel Temer.

Munidos de cartazes com os dizeres "come back democracy" ("volta, democracia") esses torcedores formaram a fase "Fora Temer". Cada camisa continha uma letra, como explica o economista Eduardo Ferreira, um dos torcedores retirados do Mineirão.

"Nós já temos feito outras ações, em jogos do Atlético também. Dessa vez fomos com as camisas, cada uma com uma letra e que formava 'Fora Temer'. Até uma senhora de 82 anos estava conosco. Nos posicionamos na ordem correta das letras e logo fomos muito bem recebidos. O mais legal é que tinha muita gente com cartazes avulsos e conseguimos gritar "Fora Temer" até ficarmos roucos", disse Ferreira ao UOL Esporte, que ainda explicou como tudo ocorreu.

"Os seguranças vieram e falaram que não poderíamos ficar. E não queríamos brigar, estávamos acompanhados de muitas senhoras e tinha até uma criança de oito anos. Entregamos os cartazes primeiro e depois a polícia veio nos retirar. Embaralhamos as letras, para continuar dentro do Mineirão, mas não aceitaram. Nos retiraram mesmo assim. Foram dois polícias que vieram conversar, mas no túnel, sem as imagens das câmeras, estava cheio de policiais. Até tentaram nos qualificar, mas não teve como. Tirei a camisa com a letra e coloquei a do Galo, então não tinha motivo para me qualificar. Como não tinha mesmo, fomos embora", completou o economista.

No entanto, apesar da versão contada por Eduardo Ferreira, a delegacia do Mineirão não fez nenhum registro sobre a ocorrência. O UOL Esporte foi até a delegacia do estádio e a resposta da Polícia Militar e da Polícia Civil foi a mesma: "nenhum registro até agora".

Embora não exista uma confirmação oficial e documentada do que ocorreu, testemunhas relataram ao UOL Esporte toda a ação. Caso do metalúrgico Jan Rujner, que, embora estivesse com cartaz e camisa com os dizeres "Temer jamais", não fazia parte do grupo retirado do Mineirão.

"Eles levantaram com as camisas e receberam o apoio de muita gente. Muitos vieram tirar fotos. Como a torcida ficou muito inflamada com a situação, tiraram o pessoal do local. Mesmo com muita gente filmando e questionando que aquilo não poderia ocorrer, a polícia retirou o pessoal. Não teve violência, era um pessoal mais velho e que não resistiu".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...