quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Lula: Eu tenho convicção de quem mentiu está numa enrascada

O ex-presidente Lula disse que seus acusadores e parte da imprensa "estão enrascados", porque "construíram uma mentira, uma inverdade, como se fosse um enredo de uma novela. E tá chegando o fim do prazo, precisam concluir a novela: acabar com a vida política do Lula"
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez, na tarde desta quinta-feira (15), um pronunciamento à imprensa nacional e internacional sobre a denúncia do Ministério Público Federal apresentada ontem contra ele.

Em sua fala, Lula alfinetou FHC, que, segundo ele, apostava no seu fracasso. "Ele não sabia que eu tinha em mente o fracasso do Lech Walesa. Eu dizia: eu não posso fracassar e tinha como uma profissão de fé não errar", disse.

"Eu fui humilde: se cada brasileiro pudesse realizar três refeições por dia, eu já tinha realizado a obra da minha vida", acrescentou.

Lula destacou que o ex-presidente Juscelino Kubitschek deve ter sido vítima de mais inquéritos do que ele. Getúlio em quatro anos de democracia se matou, afirmou.

"Tentaram fazer comigo o que fizeram com a Dilma em 2005. O objetivo era tirar o Lula já em 2005", declarou.

Para Lula, o seu "fracasso não teria despertado tanto ódio contra o PT. O que despertou a ira foi o sucesso desse governo". "Se quiserem me tirar, vão ter que disputar comigo na rua", ressaltou.

Sobre o impeachment de Dilma Rousseff, ele lembrou que foi articulado "por um homem que acaba de ser cassado". "Conseguiram dar um golpe pacífico", disse, ponderando, no entanto, a violência da Polícia Militar contra manifestantes.

"Se eles tratassem ladrão como tratam a molecada honesta que vai para rua, talvez não tivesse tanto ladrão. É uma vergonha jornalista ir para a rua de capacete", criticou.

O ex-presidente falou então sobre as instituições no País, e como elas se fortaleceram durante seu governo. Mas afirmou que "a lógica de hoje é a manchete, não os autos de um processo". "Quem é que nós vamos criminalizar?", perguntou, em crítica à Lava Jato. "Só ganha de mim aqui no Brasil Jesus Cristo", acrescentou, sobre a perseguição contra ele.

Sobre a coletiva do MP, afirmou: “Eles construíram uma mentira, uma inverdade, como se fosse um enredo de uma novela. E tá chegando o fim do prazo, afinal de contas já cassaram o Cunha, já elegeram o Temer, pela via indireta, pelo golpe, já cassaram a Dilma, agora precisa concluir a novela. Acabar com a vida política do Lula. Porque não existe outra explicação para o espetáculo de pirotecnia”.

“Eu respeitaria mais a família deles do que eles respeitaram a minha. Vocês pensam que foi fácil suportar a invasão da minha casa? Invadiram as casas dos meus filhos”, citou Lula. “Até os meus discursos eles levaram do instituto, certamente pra plagiar”.

Ele ironizou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) ao dizer que "tinham provas de um helicóptero com 400kg de cocaína, mas não tinham convicção, então liberaram".

“Não sei porque fazer uma coletiva para apresentar a prova de um crime, e não tem crime, tem convicção. Ninguém respeita a lei desse país mais do que eu”, assegurou. “Sou daqueles que acreditam que só com instituições fortes há democracia”, acrescentou.

Lula acredita que "Janot deve estar pensativo hoje", que "os ministros do STF devem estar pensativos. O que aconteceu? À custa do que esse espetáculo? Por que vender um produto que não tem como entregar? Não adianta matar e esquartejar, como fizeram com Tiradentes". "Vocês vão ter problema com o golpe que vocês deram", alertou.

"Vocês não podem permitir que meia dúzia de pessoas estraguem a reputação de uma instituição como o Ministério Público. Eu conheço gente que vive por cinco minutos de fama na televisão, essa pessoa vive pouca. A única coisa que eu peço, por favor, é que respeitem a minha família", pediu.

"Eu não tenho tempo de parar, o país que eu sonho ainda está muito distante de ser construído. Nada, só Deus, pode me fazer parar de lutar", afirmou. "Esta meninada que tá vindo pra rua lutar é um Lula multiplicado por 50 milhões de Lulas pelo país!".

O ex-presidente fez uma provocação aos procuradores, especialmente a Dallagnol, ao dizer que "tem gente que passou em concurso público que é analfabeto político, não sabe o que é governo de coalizão". "Quando eu transgredir a lei, me punam para servir de exemplo. Mas quando eu não transgredir, procurem outro para criar problema", pediu Lula.

Ele disse ainda que "cada petista tem que começar a andar de camisa vermelha". "Estou com 70 anos e com vontade de viver mais 20, a história mal começou", discursou.

O primeiro a falar hoje foi o presidente do PT, Rui Falcão. "O objetivo é retirar da cena política o principal líder do povo brasileiro", disse ele, que denunciou um regime de exceção no Brasil.

Em nota aprovada hoje, a Executiva do PT repudiou o "grotesco espetáculo midiático" do MP, apontou "parcialidade" do procurador Deltan Dallagnol, responsável por apresentar a acusação, e lembrou que ele fez denúncias "confessadamente sem provas".

Confira a íntegra da entrevista do ex-presidente Lula.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...