segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Em crise, Minas Gerais anuncia salários parcelados e atrasados até fim do ano

Fernando Pimentel, governador de Minas Gerais
JOSÉ MARQUES
FOLHA/DE BELO HORIZONTE

Um dia depois das eleições municipais, o governo de Minas Gerais anunciou que parcelará o salário dos servidores do Estado até, ao menos, o fim do ano.

A gestão Fernando Pimentel (PT) também adiou as datas de pagamento das primeiras parcelas para os dias 14, em novembro, e 12, em dezembro. Antes, essa quantia era depositada no quinto dia útil.

O governo ainda informou que só se manifestará sobre como pagará o 13º salário em novembro.

O comunicado foi feito em reunião entre secretários e sindicatos de servidores na manhã desta segunda (3). O governo de Minas tem parcelado os salários em até três vezes desde fevereiro –recebem integralmente os funcionários que ganham menos de R$ 3.000.

Em nota, o secretário de Planejamento Helvécio Magalhães disse que "só está sendo possível pagar os servidores no mesmo mês graças à renegociação das dívidas dos Estados com a União".

Segundo ele, o acordo "irá gerar um alívio de cerca de R$ 500 milhões ao tesouro do Estado em 2016".

Já o secretário da Fazenda, José Afonso Bicalho, afirmou que os atrasos nos pagamentos têm acontecido por causa das dificuldades de arrecadação e disse que o Estado tem "começado o mês praticamente sem recursos".

"Estamos atrasando o pagamento a fornecedores, assistência social e até mesmo o repasse aos municípios como forma de priorizar os salários dos servidores", disse.

O governo de Minas prevê um deficit de aproximadamente R$ 10 bilhões este ano e, para o ano que vem, de R$ 8 bilhões.


No projeto de lei do orçamento encaminhado à Assembleia Legislativa na sexta (30), Pimentel afirma que as despesas do ano que vem são "em quase sua totalidade, de natureza obrigatória ou de atendimento a demandas sociais". 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...