terça-feira, 4 de outubro de 2016

O avanço do PCdoB diante da decadência dos Sarney no Maranhão

Partido do ex-presidente da República perde metade das prefeituras. PCdoB do governador Flávio Dino multiplica as vitórias

Por José Roberto Castro

O Maranhão passou praticamente 50 anos sob o controle da família Sarney. Isso começou a mudar com a eleição do governador Flávio Dino em 2014. Filiado ao PCdoB, o político costurou uma aliança heterodoxa, que une “comunistas” e tucanos, e conseguiu impor uma derrota histórica aos tradicionais mandantes do Estado. Agora, nas eleições municipais, Dino e seus parceiros avançaram também sobre as prefeituras.

O PMDB, partido do ex-presidente José Sarney, elegeu apenas 22 prefeitos. Trata-se de menos da metade do que havia conseguido na eleição municipal passada, em 2012. O PV, partido do ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, teve o número de prefeituras reduzido a ⅓ de quatro anos atrás.

A decadência dos Sarney vem acompanhada com a ampliação da influência do grupo de Dino. O PCdoB passou de 5 prefeituras conquistas em 2012 para 47 neste ano de 2016. Os partidos aliados do governador, como PSDB e PDT, também conquistaram muito mais prefeituras agora do que quatro anos atrás.

PODER TROCA DE MÃOS
Divisão em São Luís e favoritismo de Dino
Na capital, única cidade do Maranhão que ainda não definiu a eleição, o segundo turno não terá candidatos ligados à família Sarney. O grupo que sustentava os governos sarneyzistas se fragmentou antes da disputa na capital.

O PMDB, partido do ex-presidente da República, lançou Fábio Câmara, que teve 3,6% dos votos e ficou em quinto lugar. O ministro Sarney Filho apoiou Eliziane Gama (PPS), quarta colocada com 6%.

O mais bem colocado entre os que receberam apoio de antigos membros da base de Sarney foi Wellington do Curso, que recebeu apoio da parte do PV ligada ao ex-presidente do Tribunal de Contas do Maranhão Ronald Sarney. Ele conseguiu 19,8% do eleitorado e ficou de fora do segundo turno por oito mil votos.

A divisão facilitou o trabalho do candidato apoiado por Flávio Dino, o atual prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT). O adversário de Holanda, Eduardo Braide (PMN), é uma surpresa que arrancou na reta final e desbancou os candidatos apoiados pelos aliados de Sarney.

PREFEITO ENFRENTA SURPRESA
Impacto no futuro da política maranhense

Para o cientista político e professor da Fundação Getúlio Vargas Cláudio Gonçalves Couto, a tendência de troca de poderes no Maranhão - com a saída dos Sarney e ascensão do grupo de Flávio Dino -, vai depender da capacidade do governador de conseguir parcerias com o governo federal, agora sob o comando de Michel Temer. Além de o novo presidente da República ser do mesmo partido de Sarney, Dino foi um duro crítico de Temer e ao processo de impeachment de Dilma Rousseff, concretizado em agosto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...