terça-feira, 22 de novembro de 2016

Educação profissional: promoção de desenvolvimento e inclusão no Maranhão


Por Robson Paz
Radialista, jornalista. Subsecretário de Comunicação Social e Assuntos Políticos

Até pouco tempo atrás, fazer ensino médio e aprender uma profissão era um sonho distante para a maioria dos estudantes maranhenses. Isto porque a rede de ensino estadual não possuía nenhuma escola de ensino médio técnico profissionalizante.

A partir deste ano, foram criados os primeiros Iemas (Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão) plenos em São Luís, Bacabeira e Pindaré-Mirim. Os institutos são espaços de educação profissional em tempo integral. No próximo ano, serão inauguradas mais quatro unidades nos municípios de Axixá, Coroatá, São José de Ribamar e Timon.

Os Institutos dos municípios de Coroatá, Carutapera, Matões, Santa Helena e São Domingos já foram licitados e começaram a ser construídos. Nos municípios de Matões e Balsas, o governo já recebeu os terrenos, onde serão construídos os centros educacionais.
A meta estabelecida pelo governador Flávio Dino é implantar os Iemas em 23 municípios até 2018, com infraestrutura, equipamentos e pessoal para o desenvolvimento de cursos técnicos integrados ao ensino médio.

Outra inovação dos Iemas é a participação da sociedade civil no processo de definição dos cursos oferecidos. O trabalho tem também o apoio dos institutos de Corresponsabilidade pela Educação (ICE) e Sonho Grande, parceiros do governo no projeto de instalação do instituto.

Além das unidades plenas, estão sendo implantadas Unidades Vocacionais, que ofertam cursos técnicos de curta duração. 

Na última sexta-feira, 18, tive a oportunidade de participar, ao lado do secretário Jhonatan Almada (Ciência e Tecnologia), da entrega da unidade vocacional do Iema, na cidade de Bequimão. Pude constatar a grandiosidade do trabalho em favor da educação profissional de jovens e adolescentes, nos últimos 22 meses.

Também vi a felicidade dos alunos com a iniciativa e os primeiros resultados das turmas de inglês básico agricultura orgânica. “A juventude agora tem mais oportunidade. Podemos agora aprender outra língua, sabemos que aprendendo inglês teremos mais oportunidade de emprego. É uma iniciativa muito boa do Governo do Estado para nós estudantes, pois em nosso município não existiam cursos gratuitos”, afirmou Claudiney Ribeiro, estudante de Inglês Básico.

Na unidade do município da Baixada são ministrados os cursos de agricultura orgânica, armador de ferragens e inglês básico. A rede dos Iemas plenos e vocacionais oferece mais de 20 cursos técnicos.

Também estão em pleno funcionamento as unidades vocacionais de Imperatriz, Codó e Caxias, além de duas na Praia Grande em São Luís, com capacitação em turismo e cinema; e outra no Estaleiro Escola, no bairro Anjo da Guarda, oferecendo formação em logística portuária. Em Ribeirãozinho, o foco é na produção de artefatos de couro. Assim, além de garantir mais oportunidade para a juventude, o governo explora as potencialidades econômicas de cada região.

É este um programa educacional e social de grande alcance para promover desenvolvimento e inclusão no Estado. Ao investir em conhecimento o governo pavimenta o caminho para reduzir desigualdades e promover justiça social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...