sexta-feira, 28 de abril de 2017

Mais de duas toneladas de drogas foram apreendidas nos primeiros quatro meses deste ano

Mais de duas toneladas de drogas foram apreendidas nos primeiros quatro meses deste ano, causando um prejuízo de mais de R$ 3 milhões ao comércio do tráfico. O volume representa 96% de aumento nas apreensões, comparando com o mesmo período do ano anterior, e é fruto das operações da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc), que intensificou os trabalhos, seguindo o planejamento adotado nas últimas abordagens.

O foco é a prisão de líderes das quadrilhas e dos distribuidores, explica o titular da Senarc, Carlos Alessandro Rodrigues. “Com isso, temos conseguido realizar apreensões bastante significativas, desarticulando toda a ação dos traficantes e prendendo criminosos de alta periculosidade”, disse. Do total, a maconha é a droga de maior quantidade, correspondendo a mais de 90% das apreensões; em seguida estão as apreensões de crack e a cocaína, somando 28 quilos no período.
Durante as operações no quadrimestre, foram 24 armas apreendidas e 43 pessoas presas. As apreensões de drogas cresceram consideravelmente, após a criação da Senarc, em agosto de 2015, e demais investimentos do Governo do Estado em estrutura física, equipamentos e efetivo, seguindo plano da gestão para reestruturar a Segurança Pública. O resultado destes investimentos é percebido a partir das apreensões do primeiro ano da gestão Flávio Dino. Enquanto em 2015, foram apreendidos pouco mais de três toneladas destes entorpecentes pelos órgãos da Segurança; em 2016, o número saltou para expressivas 11 toneladas.

A tendência de grandes apreensões deve se repetir este ano, considerando que, em apenas quatro meses já foi tirado de circulação o equivalente a quase 1/3 do ano anterior. “O Governo tem dado total atenção à Segurança Pública e equipando setores essenciais para que possamos ter êxito nas operações e alcançar esses resultados”, reiterou o delegado Carlos Alessandro.
Recorde

Em abril, as equipes realizaram duas apreensões de grande monta, em menos de 15 dias, que somaram, juntas, 1,7 toneladas. O montante corresponde a maconha prensada e interceptada de quadrilhas interestaduais de traficantes.

A polícia encontrou um total de 580 quilos da droga, na madrugada do dia 8, durante operação na Região Metropolitana de São Luís. Na ocasião, cinco pessoas foram presas e duas armas de fogo apreendidas. Foram quatro meses de intensas investigações que apontavam os pontos de armazenamento das drogas nos bairros da Cidade Operária, Conjunto Alvorada e na Estrada da Maioba, que seria distribuída na capital. E no dia 21, mais de 1,2 toneladas apreendidas em Miranda do Norte e prisão de integrante de quadrilha interestadual.
Apoio

Outro reforço às ações da Senarc é o trabalho com cães farejadores, com a implantação do setor de cinofilia, em outubro passado. Os cães são treinados especificamente para farejar e encontrar drogas diversas e também, suspeitos. São animais da raça Pastor Alemão Belga, que possuem multi-funções e suas qualidades originais os tornam essencialmente aptos para serem ‘cães de polícia’.

Com este reforço já conseguimos apreender uma grande quantidade de maconha e, também, localizar suspeitos. Sem dúvidas, o apoio do animal treinado vem para qualificar ainda mais o trabalho policial”, enfatizou o superintendente do órgão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...