Mais Asfalto

Mais Asfalto

quinta-feira, 20 de julho de 2017

‘Essa conta era do PMDB’, afirma lobista a Moro sobre propinas a Renan, Jader, Anibal e Silas Rondeau

Jorge Luz, apontado como operador de propinas do partido, revela em interrogatório que fez depósitos milionários na Suíça em favor dos senadores Renan Calheiros e Jader Barbalho e do deputado federal Anibal Gomes

Julia Affonso, Luiz Vassallo e Fausto Macedo
O Estado de São Paulo

O lobista Jorge Antônio da Silva Luz, apontado como operador de propinas do PMDB, afirmou nesta quarta-feira, 19, que fez depósitos milionários em uma ‘conta do PMDB’ na Suíça destinados aos senadores Renan Calheiros (AL) e Jader Barbalho (PA), ao ex-ministro Silas Rondeau e também para o deputado federal Anibal Gomes (CE). Interrogado pelo juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, como réu em uma ação de corrupção na Petrobrás, Luz foi enfático e detalhou que os repasses eram realizados por meio da conta Headliner.

Moro indagou do acusado sobre pagamentos que constam para a empresa Piemonte, do lobista Júlio Camargo. Um desses depósitos, no valor de US$ 1,5 milhão, foi executado no dia 8 de maio de 2007.

“Isso, acabei de falar exatamente isso para o senhor”, respondeu Luz. “No dia 8 de maio de 2007, a Piemonte, de Júlio Camargo, pagou em uma conta no Credit Suisse um milhão e meio.”

“Esse dinheiro era para o sr?”, questionou Moro.

“Esse aqui foi o que repassei para o Tordin, 161, depois paguei pro PMDB 86 mil, depois paguei mais 185 pra Headliner, depois paguei 49 mil outra vez pro PMDB, Renan, Jader, Silas e Anibal. Eu tenho tudo isso discriminado.”

Moro insistiu. “Nesses mesmos pagamentos para Júlio Camargo pagamentos diretos pra empresa Headliner, é a mesma Headliner que o sr está falando?”

“Que é do PMDB, é em Lugano (Suíça)”, disse o lobista.

“O sr sabe de quem é essa conta?”, perguntou o juiz.

“Essa conta era do PMDB, pra mim do Anibal, Renan, Jader.”

“Sabe se era controlada por algum operador?”

Não sei, pra mim quem operava era o Anibal ou Luiz Carlos Sá.”

O Ministério Público Federal perguntou a Jorge Luz se houve pagamento de propina a políticos na negociação dos navios-sonda Vitoria 10000 e Petrobras 10000.

“Teve, teve”, disse.

“Petrobras 10000, como eu disse ao senhor, teve, mas não foi por meu intermédio, foi uma operação montada direta. Quem repassava, o Anibal passava as contas para o Fernando. Em determinado momento, ele não passava, porque  se desentenderam, por questões de atraso e depois ele passava para o sr Julio Camargo, que eu soube depois, que eu não sabia, da empresa Piemonte, que pagava aos políticos.”

Jorge Luz afirmou que repassou valores ‘somente através da Headliner, nada em espécie.’

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...