segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Grupo Sarney se une a Bolsonaro e tenta armar estratégia para um novo golpe no Maranhão


Derrotada nas urnas ainda no primeiro turno, Roseana Sarney (MDB) anunciou nesta segunda-feira (15) que apoiará Jair Bolsonaro (PSL) na disputa presidencial.

Roseana é a terceira integrante do clã Sarney a definir apoio ao candidato que representa o fascismo e a volta dos militares ao poder.

Antes dela seu sobrinho, o deputado estadual Adriano Sarney (PV), e o seu cunhado, o inelegível Ricardo Murad (PRP), também declararam apoio a Bolsonaro.

Estranho é que durante toda a campanha Roseana tentou ‘se apropriar’ da imagem do ex-presidente Lula (PT) para seduzir eleitores. Tanto que ainda na pré-campanha, Adriano Sarney subiu no palanque e chamou a tia de a “Lula do Maranhão”, além de ter puxado coro para um “Lula livre”.

Para muitos, Roseana e aliados decidiram apoiar Bolsonaro em busca de favores para tentar reverter o resultado das eleições nos tribunais, em um possível “tapetão” para derrubar o rival Flávio Dino (PCdoB), governador reeleito com quase o dobro de votos de Roseana.

Não custa lembrar que Sarney é cria do golpe de 1964. Ao longo da ditadura, montou um verdadeiro império econômico e de comunicação. Um novo 'golpe militar', referendado pelo voto popular, poderia ser a tábua de salvação da oligarquia.

Sem poder, a oligarquia passaria a amargar momentos difíceis, sem condições de manter de pé seu império de comunicação, que está arquejando sem a principal fonte de financiamento: o dinheiro do povo do Maranhão.
  
Com informações do Blog do John Cutrim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...