Mais Asfalto

Mais Asfalto

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Preso com armas, ex-candidato a vereador foi ‘afugentar’ invasores de um sítio em São José de Ribamar

O momento da prisão de Joherbeth Silva e seus amigos, em São José de Ribamar
Vista da área que estava sendo ocupada
por invasores na Vila Sarney Filho
Durante toda a manhã desta quarta-feira (5), o blog recebeu mais informações sobre a prisão do ex-candidato a vereador Joherbeth Gomes da Silva (PRB), de 33 anos, na tarde de ontem, na Avenida Mascarenhas de Moraes, que liga o Maiobão à região do Residencial Nova Terra, em São José de Ribamar.

Pelas informações passadas ao blog, o ex-candidato foi à Vila Sarney Filho para expulsar invasores de um sítio que pertence à família dele, na Rua 17. Para isso, contou com o apoio do cabo David e dos outros dois homens.

“O que contam aqui, é o seguinte: a mãe dele (Joherbeth) teria vindo olhar o sítio e se deparou com os invasores, que seriam marginas da área. Eles teriam exigido R$ 3 mil para deixar o local. Ela comunicou a situação ao filho que, ontem, veio resolver a situação. Eles dispararam tiros para o alto e colocaram os homens pra correr. Ainda foram à casa de alguns dos invasores para avisar que, se retornassem, iriam morrer”, relatou um dos informantes do blog.

Segundo esse informante, ao perceberem a ação dos homens encapuzados e fortemente armados, moradores da área ligaram para o CIOPS, que acionou uma guarnição do 13º Batalhão para fazer a abordagem ao veículo do ex-candidato.

Outra pessoa entrou em contato com a redação para dizer que eles foram apenas expulsar os marginais que estavam querendo se apossar do sítio. "Eles foram apenas defender o patrimônio da família. Não vejo mal nenhum. Agora a família toda pode virar alvo desses marginais que afrontam todo mundo aqui e podem querer se vingar”, disse um provável morador da área.

No momento da prisão, Joherbeth estava em companhia de mais três homens fortemente armados, em um veículo Kia Cadenza EX3, preto, placa NIM-5583, de Teresina/PI. 

Os policiais apreenderam uma escopeta, três pistolas, balaclavas e munição. Os outros três presos foram o cabo PM David Santos Pacheco, lotado no DIAI; Cideney Jorge Santana e Aretiano da Silva.

Os presos foram autuados em flagrante na Delegacia do Maiobão.

Na opinião do blog, o ex-vereador, que é comerciante na área do Coroadinho, agiu erroneamente ao formar um grupo, nos moldes de uma milícia, para tentar resolver uma situação que deveria ser de competência da polícia, caso tivesse sido acionada.

Joherbeth Silva deveria ter buscado os meios legais para solucionar o conflito. Ao formar um bando armado para fazer justiça com as próprias mãos, o ex-candidato terminou cometendo crime.

2 comentários:


  1. Caro Gilberto Lima, respondo ao seu blog pelo respeito que meu pai Cabo Silva tinha pelo senhor e peço de coração que vc possar publicar em matéria no seu blog
    Gostaria de Aproveitar este espaço para dizer o quanto Deus é justo e agradecer a todos que se solidarizaram e me confortaram com palavras de alto estima.
    O que aconteceu na verdade é que eu estava retornando do sítio de propriedade da minha família localizado na rua 17 da Sarney Filho que havia sido invadido por vândalos onde seu líder com passagens no sistema penitenciário e sobre suspeita de ser foragido iniciou uma extorsão pedindo que a viúva do meu pai lhe pagasse mensalmente a quantia de 1000,00 para que não tomasse posse da nossa propriedade.
    Mediante a situação pedir apoio aos policiais que fosse ao local combinado e na entrega do valor cobrado o mesmo fosse atuado por extorsão e posteriormente consultado no sistema a veracidade se ele era ou não foragido.
    Avistando a chegada do meu veículo e pela presença de uma viatura o elemento evadiu se do local e não se obteve o êxito da prisão em flagrante.
    No meu retorno pela estrada da mata ouve um contra tempo pois eu estava aguardando que a equipe da Cemar efetuasse a retirada da fiação de energia para posterior ligação após corrigimos os danos provocado pelos invasores onde a viatura que nos deu apoio acabou passando primeiramente pela abordagem que gerou toda essa confusão
    Na hora de parar meu veiculo mesmo atendendo o comando de parada do Sargento responsável pela guarnição ele efetuou um disparo próximo ao veículo alegando que ele teria recebido uma denuncia anonima que estavamos tocando terror na região e impossibilitando de imediato a identificação do militar que estava comigo.
    Após descemos do veículo houve um desentedimento pelo sargento não deixar que entrassemos em contato com os policiais da viatura que nos deu o suporte tomando posse dos nossos aparelhos celulares e não permitiu que tivéssemos acesso para efetuar as ligações que poderia evitar toda essa situação sendo que todos os objetos encontrados no interior do veículos pertenciam a policiais que nos acompanharam e estavam de moto verificando uma outra situação próximo da área.
    A pessoas que hoje me julgam desejo que nunca passe por uma situação como essa é finalizo dizendo que
    OS HUMILHADOS SERÃO EXALTADOS
    OBRIGADO DEUS MARAVILHOSO
    JOHERBETH SILVA

    ResponderExcluir
  2. Procurar a justiça não funciona.
    Tive um terreno invadido procurei a justiça, terminei perdendo o terreno,a justiça favoreceu ao invasor, com escritura e tudo​. A justiça alegou que eu não tinha transferido para o meu nome.

    ResponderExcluir

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...