sábado, 20 de agosto de 2022

Empresário morto em São Luís recebeu honraria da Câmara proposta por Beto Castro, principal testemunha do crime

João Bosco Oliveira Sobrinho estava com o vereador quando foi assassinado, na tarde dessa sexta-feira (19), em São Luís.

O empresário do ramo alimentício João Bosco Oliveira Sobrinho, assassinado a tiros na tarde dessa sexta-feira (19) na entrada do edifício Tech Office, na Ponta d´Areia, em São Luís, já foi agraciado com a maior honraria da Câmara Municipal da capital.

Ele recebeu, em dezembro do ano passado, a medalha Simão Estácio da Silveira, após proposta do vereador Beto Castro (Avante), que estava ao lado da vítima no momento do crime.

Vereador Beto Castro observa assassino atirando contra o empresário

João Bosco tinha 46 anos e era natural da cidade de Fronteiras, no Piauí.

O delegado Murilo Tavares, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), informou que testemunhas afirmaram ter ouvido uma discussão sobre pagamento antes do crime.

O vereador Beto Castro confirmou que houve uma discussão antes do crime.

Vereador Beto Castro junto ao corpo do empresário

Em um vídeo, divulgado em grupos de WhatsApp, o vereador, o assassino e o empresário aparecem caminhando juntos. Em dado momento, o vereador e assassino se distanciam, com a vítima segundo logo atrás. Ao lado do vereador, o assassino saca a arma de uma mochila, vira-se e dispara contra o empresário, que morreu no local.

O crime será investigado pela Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP). A principal testemunha da ação criminosa é o vereador Beto Castro. Ele deverá fornecer informações que levem à prisão do assassino nas próximas horas.

..........................

Postagens relacionadas:

— Empresário é assassinado a tiros na Ponta d´Areia, em São Luís

Veja vídeo do assassinato de empresário na Ponta d´Areia, em São Luís

Casal é preso ao tentar aplicar em concessionária de veículos na Avenida dos Holandeses, em São Luís

Dupla é oriunda de Uberlândia-MG, e pretendia adquirir, de maneira fraudulenta, um veículo avaliado em R$ 175.000,00.

A Polícia Civil do Maranhão prendeu em flagrante, na tarde dessa sexta-feira, 19, por voltas das 14h, um casal que estava tentando aplicar um golpe em uma concessionária de veículos, localizada na Avenida dos Holandeses, em São Luís. A prisão foi efetuada por meio da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV).

Com o casal, a polícia encontrou duas CNH falsas, e a mulher estava se passando por uma advogada residente em Imperatriz/MA.

Segundo os primeiros levantamentos, a dupla é oriunda de Uberlândia-MG, e chegou em São Luís exatamente nesta sexta, apenas para realizar o crime.

Conforme a polícia, o casal pretendia adquirir, de maneira fraudulenta, um veículo avaliado em R$ 175.000,00.

Os dois foram encaminhados para a Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), onde foram autuados em flagrante delito pelo crime de uso de documento falso e tentativa de estelionato.

Após as formalidades, os presos foram encaminhados para a Central de Inquéritos e Custódia, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

sexta-feira, 19 de agosto de 2022

Veja vídeo do assassinato de empresário na Ponta d´Areia, em São Luís

O crime foi presenciado pelo vereador Beto Castro, que estava com o empresário e o assassino


Um vídeo, divulgado em grupos de WhatsApp, mostra o momento em que o empresário João Bosco Pereira de Oliveira, de 46 anos, é assassinado a tiros, em São Luís. O crime aconteceu na tarde desta sexta-feira (19), por volta das 16h30, na porta de entrada do edifício Tech Office, na Avenida dos Holandeses, na Ponta d´Areia, em São Luís. Ele foi atingido por três tiros na cabeça e tórax.

Assassino atira contra o empresário, sendo observado pelo vereador Beto Castro

Na imagem, pode-se observar o momento em que o empresário aparece em companhia de outros dois homens. Um deles é o vereador Beto Castro, próximo ao assassino. Eles se adiantam um pouco, seguidos pelo empresário. De repente, o assassino saca a arma de uma espécie de mochila e vira para trás, disparando contra o empresário, que morreu no local. Nesse instante, o vereador corre para um lado e o atirador foge do local.

O momento em que o assassino, ao lado do vereador Beto Castro, retira a arma de uma mochila

O crime

O empresário João Bosco Pereira Oliveira Sobrinho, de 46 anos, que trabalhava no ramo alimentício, foi morto a tiros, na tarde desta sexta-feira (19), por volta das 16h30, na porta de entrada do edifício Tech Office, na Avenida dos Holandeses, na Ponta d´Areia, em São Luís. Ele foi atingido por três tiros na cabeça e tórax.

Pelas informações, o empresário também seria assessor do vereador Beto Castro, que estava no local do crime e prestou esclarecimentos à polícia.

De acordo as informações repassadas por testemunhas, antes dos disparos houve uma discussão entre o empresário e o assassino por conta de uma dívida financeira.

O autor do disparo estava acompanhado de outro homem, que supostamente é apontado como seu segurança.

O crime foi presenciado pelo vereador Beto Castro


Vereador Beto Castro junto ao corpo do empresário

Empresário João Bosco

..................

Postagem relacionada:

Empresário é assassinado a tiros na Ponta d´Areia, em São Luís


Empresário é assassinado a tiros na Ponta d´Areia, em São Luís

O empresário João Bosco Pereira Oliveira Sobrinho, de 46 anos, que trabalhava no ramo alimentício, foi morto a tiros, na tarde desta sexta-feira (19), por volta das 16h30, na porta de entrada do edifício Tech Office, na Avenida dos Holandeses, na Ponta d´Areia, em São Luís. Ele foi atingido por três tiros na cabeça e tórax.

Pelas informações, o empresário também seria assessor do vereador Beto Castro, que estava no local do crime e prestou esclarecimentos à polícia.

De acordo as informações repassadas por testemunhas, antes dos disparos houve uma discussão entre o empresário e o assassino por conta de uma dívida financeira. O autor do disparo estava acompanhado de outro homem, que supostamente é apontado como seu segurança.

A Polícia informou que João Bosco tinha em seu histórico criminal atentado contra a liberdade de trabalho mediante a violência ou grave ameaça, por estelionato, ameaça e exercício arbitrário das próprias razões.

Após ser alvejado, o empresário chegou a ficar alguns minutos consciente, mas não resistiu e morreu antes de ser atendido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Equipes da Polícia Civil do Maranhão e do Instituto de Criminalística (ICRIM) foram acionadas e encaminhadas ao local para investigar o caso. As imagens de segurança do prédio vão passar por perícia.

O autor do disparo está sendo procurado por agentes da Polícia Civil e pelos militares que já acionaram o serviço de videomonitoramento.

Primo do governador Carlos Brandão é baleado em Caxias

Agropecuarista estava em um estabelecimento comercial, quando um indivíduo desce da garupa de uma moto e efetua o disparo.

O empresário e agropecuarista Sebastião Carlos Brandão, primo do governador Carlos Brandão, foi baleado, na noite dessa quinta-feira, 18, durante uma tentativa de roubo em um estabelecimento comercial, na cidade de Caxias.

A ação foi registrada por câmeras de segurança do estabelecimento. Um assaltante desceu da garupa de uma moto e abordou  o empresário, enquanto um comparsa ficou aguardando.

Com um revólver em punho, o assaltante invadiu o estabelecimento e foi na direção de Sebastião Brandão, que reagiu e correu, mas terminou sendo atingido com um disparo que o atingiu na altura do pulmão.

O empresario foi socorrido em um carro particular e levado para o Hospital Geral de Caxias. Segundo testemunhas, estado de saúde da vítima é estável.

A Polícia Civil investiga o caso e tenta descobrir se realmente foi uma tentativa de assalto, dadas as circunstâncias do crime: o autor do disparo desce da moto

e vai diretamente em direção ao empresário. No vídeo não dá para perceber se ele está com celular na mão, o que atrairia o suposto assaltante.

Com informações de O Informante

quinta-feira, 18 de agosto de 2022

Homem que matou corretor de imóveis a tiros é preso no Jardim Tropical

Edson Guedes confessou que matou Dino Márcio. Ele já havia sido preso em maio deste ano

A Polícia Civil do Maranhão (PC-MA) prendeu, nesta quinta-feira (18), o homem identificado como Edson Guedes, de 39 anos, que assassinou o corretor de imóveis Dino Márcio Pinho Rosa Formiga, de 47 anos, no estacionamento Pet Shop Petland, na Avenida Daniel de La Touche, em São Luís. O crime aconteceu no dia 09 maio deste ano, por volta das 18h30.

Segundo informações da Polícia Civil, Edson Guedes, que trabalhava como vigilante no estabelecimento, foi preso no bairro Jardim Tropical. Ele havia saído da casa da sogra e seguia para a residência onde morava.

No dia 11 maio ele havia sido preso, temporariamente, mas foi solto após o prazo de 30 dias. Entretanto, a polícia apresentou um novo pedido de prisão preventiva, que foi aceito pelo Poder Judiciário em julho, após manifestação do Ministério Público.

Após ser preso, o homem confessou ter assassinado Dino Formiga e acrescentou mais detalhes sobre o que aconteceu no dia do crime. O vigilante e a vítima discutiram após Dino Márcio reclamar sobre o tipo de ração que foi vendida para ele.

Segundo o delegado Ivônio Ribeiro, da Delegacia de Homicídios da Área Norte da Superintendência de Homicídios e Proteção a Pessoa (SHPP), o inquérito será encaminhado para o Poder Judiciário e ao Ministério Público, devido ao fim das investigações.

Após o cumprimento das formalidades legais, o preso foi encaminhado ao Sistema Penitenciário, onde permanecerá à disposição da justiça.

O crime

O delegado Felipe César, da SHPP, declarou que o corretor de imóveis teria ido ao Pet Shop, na Cohama, com o objetivo de trocar uma ração de gato quando teve início um desentendimento com o vigilante do estabelecimento comercial.

A discussão se prolongou até a parte externa da loja quando o vigilante realizou vários disparos de arma de fogo contra Dino Márcio.

O corretor de imóveis ainda foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Vinhais, mas, chegou sem vida. O suspeito conseguiu fugir e levou a arma usada no crime.

..................................

Postagem relacionada:

— Corretor de imóveis é assassinado a tiros na Avenida Daniel de la Touche, em São Luís

Auxiliar penitenciário que matou corretor de imóveis é preso em São Luís

Assassino de mãe e filha é condenado a 56 anos de reclusão em São Luís

Os jurados do 3º Tribunal do Júri de São Luís condenaram, a 56 anos de reclusão, Jefferson Santos Serpa, denunciado pelo duplo homicídio de Graça Maria de Oliveira e de Talita de Oliveira Frizero, mãe e filha.  O crime ocorreu no dia 06 de junho de 2020, no interior da casa das vítimas, no bairro do Calhau.

Após o julgamento, nessa quinta-feira (18), no Fórum Des. Sarney Costa, o réu foi levado de volta ao presídio onde já estava preso. A pena deve ser cumprida inicialmente em regime fechado.

A sessão de julgamento foi presidida pelo juiz auxiliar Francisco Ferreira de Lima, que responde pela 3ª Vara do Tribunal do Júri. A acusação ficou com o promotor de Justiça Samaroni Sousa Maia, assistido pela advogada Patrícia Pestana. Na defesa de Jefferson Serpa atuou o defensor público Pablo Camarço de Oliveira.

Foram ouvidas três testemunhas arroladas pela acusação e pela defesa e interrogado o réu, que confessou em plenário a autoria e afirmou ter sido contratado pelo ex-marido da vítima Graça de Oliveira, recebendo a quantia de cinco mil reais pela execução dos crimes. A sessão de julgamento foi acompanhada por familiares de Graça de Oliveira e Talita Frizero.

Graça Maria de Oliveira era aposentada e empresária, tinha 57 anos; Talita de Oliveira Frizero, tinha 27 anos, era engenheira civil e filha única de Graça Maria. Mãe e filha moravam sozinhas, Graça Maria deixou quatro irmãs e um irmão.

Jefferson Serpa foi condenado por homicídio qualificado por motivo torpe, cruel e recurso que impossibilitou a defesa das vítimas. Consta na denúncia, que no dia 06 de junho de 2020, por volta das 7h, no bairro do Calhau, o acusado Jefferson Santos Serpa assassinou mãe e filha. 

Ainda conforme a denúncia, Jefferson Serpa agiu em concurso material e de pessoas com Geraldo Abade de Souza (ex-marido da vítima Graça de Oliveira), e Maycon Douglas Rodrigues de Souza. Geraldo Abade, mandante, teria contratado o Maycon de Souza, intermediário, que contratou Jefferson Serpa para praticar os crimes de homicídio qualificado contra Graça Oliveira e Talita Frizeiro (mãe e filha). Na época, o acusado estava prestando serviço de pedreiro na casa das vítimas.

Na sentença condenatória, o juiz afirma que a culpabilidade é acima do normal pois “o crime foi premeditado, tanto que o mesmo preparou instrumentos utilizados para amarrar as vítimas, tendo, portanto, tempo suficiente para se arrepender e não consumar seu intento criminoso.” O réu, confesso, tem antecedentes criminais, com processo julgado em outra unidade judicial (2ª Vara de Entorpecentes de São Luís).

Ainda na sentença, o juiz Francisco Ferreira de Lima destacou que “as consequências do crime foram graves, considerando que uma das vítimas, Talita, tinha apenas 27 (vinte e sete) anos, portanto tinha toda uma vida pela frente, e certamente contribuiria para o bem da coletividade.”

.....................

Postagens relacionadas

Mãe e filha são encontradas mortas dentro de veículo e enroladas em lençol no Calhau

Mãe e filha mortas em São Luís sofreram tortura e houve luta corporal com agressor, aponta perícia

Empresário suspeito de matar mãe e filha está foragido e é procurado pela polícia

Presos autor, contratante e mandante do assassinato de mãe e filha no Calhau; assassino foi contratado pelo ex-marido por R$ 5 mil

Acusados de assassinar mãe e filha em São Luís participam da primeira audiência de instrução

Homem que matou mãe e filha será julgado em São Luís


Homem é assassinado a tiros na Vila Bacanga, em São Luís

Várias munições ponto 40 e um cachimbo foram encontrados ao lado do corpo da vítima. O crime tem características de acerto de contas.

Um homem, identificado como Marcos Aurélio Santos Araújo, conhecido como ‘Bagaço’, de 44 anos, foi morto com 10 tiros na madrugada desta quinta-feira (18), na Rua da União, no bairro Vila Bacanga, em São Luís.

Segundo a Polícia Militar, várias munições de ponto 40 e um cachimbo foram encontrados no local do crime.

A vítima foi abordada no meio da rua por um homem que estava em uma motocicleta, de marca e placa não identificadas.

Marcos Santos levou vários tiros e morreu no local. O suspeito fugiu em direção ao bairro Anjo da Guarda, também na área Itaqui-Bacanga.

Os moradores chegaram a ouvir o barulho dos tiros e chamaram as guarnições militares.

O local do crime foi isolado pela polícia até a chegada dos peritos do Instituto de Criminalística (Icrim).

A equipe da Superintendência de Homicídio e Proteção a Pessoas (SHPP) também foi acionada e está investigando o caso. O corpo da vítima foi removido ao Instituto Médico Legal (IML), no Bacanga, para ser periciado.

O crime tem características de acerto de contas e pode ter sido praticado por integrantes de facção criminosa.


PMs envolvidos em homicídios são presos em São Luís


Uma das vítimas, Sidney Paixão, o “Pouca Sombra”, foi executado a tiros no dia 17 de janeiro deste ano, no bairro do Coroado.

Uma operação da Polícia Civil, por meio da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), cumpriu dois mandados de prisão preventiva em desfavor de um soldado e um sargento da Polícia Militar do Maranhão. Eles foram identificados pelas iniciais U.H.S. de S., de 30 anos, e R.P.F., de 43 anos.

Outros dois homens, M.N.A. e P.F. da S. também foram presos, nessa quarta-feira (17), por suspeita de participação nos crimes. Um deles foi capturado na cidade de Viana e outro em São Luís.

Segundo a polícia, os investigados teriam participado da execução de Sidney Ferreira Paixão, de 32 anos, conhecido como “Pouca Sombra”. O crime ocorreu no dia 17 de janeiro deste ano, no bairro do Coroado.

Anteriormente, a vítima já tinha sido alvo de uma tentativa de homicídio pelo mesmo grupo, de acordo com as investigações da SHPP.

Vale destacar que o soldado envolvido no homicídio já estava no presídio da PMMA, localizado no Comando Geral, no bairro do Calhau. Ele tinha sido capturado, no começo do ano, por outra execução ocorrida, há seis meses, na cidade de Vargem Grande.

Todos os suspeitos, após os procedimentos necessários, permanecem à disposição da Justiça. Os dois policiais seguem custodiados no Presídio Militar.

O crime

Sidney Ferreira Paixão, conhecido como ‘Pouca Sombra’, foi morto a tiros, na noite de 17 de janeiro deste ano, no bairro Coroado, em São Luís.

No momento do ataque criminoso, ele estava dentro de sua residência, deitado em uma rede.

Os assassinos, que estavam em um veículo Gol, de cor branca, invadiram a casa, fizeram diversos disparos de arma de fogo e fugiram em seguida.

Vizinhos ainda tentaram socorrer ‘Pouca Sombra”, mas ele terminou morrendo no local.

O crime tem características de acerto de contas ou encomenda.

Baleado em 2021

‘Pouca Sombra”, que seria um dos líderes de uma facção criminosa, havia sofrido tentativa de homicídio no dia 14 de dezembro de 2021, na rua localizada na lateral do Mix Mateus, no bairro João Paulo, em São Luís. Ele se encontrava na porta de casa.

Suspeito de participar de assassinato de PM

Segundo informação passada ao blog, mas não confirmada pela PM, ‘Pouca Sombra’ teria envolvimento na morte do subtenente Israel Silva Nonato Filho, da Polícia Militar do Maranhão.

O militar foi assassinado a tiros, no dia 16 de outubro de 2021, no bairro do Coroado, em São Luís.

.............................

Postagens relacionadas:

Homem envolvido em crimes é assassinado a tiros dentro de casa no Coroado, em São Luís; ele havia sofrido atentado há um mês

— Suspeito de crimes é atacado a tiros no João Paulo, em São Luís


Justiça mantém presa mulher que ateou fogo em recém-nascido após aborto em Sítio Novo do Maranhão

A mulher que não teve o nome divulgado, suspeita de abortar e queimar o recém-nascido em Sítio Novo do Maranhão, foi encaminhada para a Unidade Prisional de Davinópolis, passou por audiência de custódia na tarde dessa quarta-feira (17) e a Justiça decidiu mantê-la presa.

Pelas informações, a mulher estaria no 8º mês de gestação. Ela deve responder pelos crimes de aborto e ocultação de cadáver. As investigações seguem pela Delegacia Regional de Imperatriz, a partir do depoimento prestado pela mulher e dos resultados da perícia.

A mulher foi presa depois que a polícia encontrou o recém-nascido carbonizado, no quintal da casa onde ela mora, enrolado em um plástico e dentro de uma caixa. Foram feitas denúncias anônimas à Polícia Militar informando sobre o acontecido.

O delegado que colheu o depoimento informou que ela alega ter abortado de forma espontânea, depois de esconder a gravidez indesejada e também confessou ter ateado fogo na caixa.

Além dos depoimentos que estão sendo prestados, a polícia aguarda laudos da perícia para esclarecer o tempo de gestação, e se houve, de fato, um aborto espontâneo ou provocado.

....................

Postagem relacionada:

Mulher é presa suspeita de atear fogo e matar recém-nascido após aborto em Sítio Novo

quarta-feira, 17 de agosto de 2022

Bandidos invadem CT do Moto Club, fazem reféns, agridem jogador e roubam celulares e arma do vigilante


A PM foi acionada e já conseguiu prender quatro pessoas suspeitas de envolvimento na ação criminosa, na área do residencial Nova Terra, em São José de Ribamar. Um dos presos havia feito peneira no Moto no início do ano.

Na tarde desta quarta-feira (17), por volta das 14h30, um grupo de criminosos invadiu e assaltou o Centro de Treinamento (CT) Pereira dos Santos, do Moto Club, no bairro Ubatuba, em São José de Ribamar, na Região Metropolitana de São Luís.

Segundo informações preliminares da Polícia Militar, cerca de 10 homens invadiram o local, pela parte dos fundos, onde tem um matagal, e roubaram a arma do vigilante, além de objetos de outras pessoas que estavam no CT.

Imagens de câmeras de segurança do local mostram cinco pessoas sendo feitas reféns.

Na ação criminosa, um dos assaltantes chegou a dar uma coronhada na cabeça do jogador Dedé.

Após o crime, o grupo fugiu no sentido matagal. A Polícia Militar foi acionada e já conseguiu prender quatro pessoas suspeitas de envolvimento na ação criminosa, na área do residencial Nova Terra, em São José de Ribamar.

Segundo a direção do clube, um dos quatro presos havia feito peneira no Moto no início do ano.

Com os suspeitos, a polícia apreendeu seis celulares, a arma do vigilante, um revólver calibre 38, que haviam sido levados do CT, além de um veículo que estava sendo usado pelo grupo para praticar assaltos.

Os quatro criminososos presos foram apresentados na Delegacia do Maiobão, em Paço do Lumiar, na Grande São Luís, para autuação em flagrante.

Equipes da PM, inclusive a do Centro Tático Aéreo (CTA), estão na área à procura dos outros suspeitos. A polícia suspeita que esse mesmo grupo tenha realizado um assalto na região da Cohab/Cohatrac.

Ainda não há informações sobre a quantidade de pessoas que estavam no CT do Moto na hora do crime e nem tudo o que foi levado pelos assaltantes.