quarta-feira, 8 de julho de 2020

Cinco pessoas da mesma família são presas transportando mais de 100 quilos de maconha em Vitória do Mearim


Os homens foram detidos na zona rural de Vitória do Mearim, após a polícia flagrar veículo com 130 quilos de maconha.
A Polícia Civil do Maranhão prendeu, nesta quarta-feira (8), cinco pessoas da mesma família, na cidade de Vitória do Mearim, a 176 km de São Luís, pelo crime de tráfico de drogas. No momento da prisão, eles estavam com mais de 100 quilos de maconha.

A polícia chegou aos traficantes após obter informações de que haveria um transporte de drogas na zona rural da cidade. Em seguida, foram feitos levantamentos para checar a veracidade da denúncia.

Na madrugada desta quarta, os policiais montaram uma barreira entre os povoados São Félix e São Benedito, onde foram abordadas quatro pessoas que estavam em motocicletas, sendo que três delas estavam com armas de fogo, além de tabletes de maconha.

Em seguida, a polícia abordou um veículo Fiat Strada, que transportava 130 quilos de maconha e era conduzido por um familiar dos quatros homens que abordados anteriormente.

A polícia constatou que os detidos eram parentes (três irmãos, um filho e um enteado), responsáveis pelo transporte da maconha, que seria vendida na região de Vitória do Mearim.

Os cinco presos foram autuados em flagrante e estão à disposição da Justiça. A polícia dará continuidades às investigações para tentar identificar a origem da droga e os demais envolvidos no crime.

Maranhão confirma mais 38 mortes por coronavírus e chega a 2.324; mais de 72 mil estão recuperados

Dos novos óbitos, nenhum foi registrado nas últimas 24 horas. Os demais foram registrados em dias e/ou semana anteriores, e aguardavam resultado do exame laboratorial para Covid-19.
De acordo com informações do Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES), divulgado nesta quarta-feira (8), foram confirmadas mais 38 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas, com o total chegando a 2.324.

Os casos confirmados subiram para 92.939, sendo que 18.563 estão ativos. O total de pessoas recuperadas subiu para 72.052. Nas últimas 24 horas, foram mais 1.125 pessoas recuperadas da doença.

Os 38 novos óbitos foram confirmados em  14 cidades. São elas: São Luís São Luís (15), Caxias (5), Açailândia (3), Bacabal (2), Timon (2), Igarapé do Meio (2), Bom Jardim (2), Santa Inês (1), Barreirinhas (1), Itapecuru-Mirim (1), Nina Rodrigues (1), Ribamar Fiquene (1), Lago Verde (1) e Tutóia (1).

Dos novos óbitos, nenhum foi registrado nas últimas 24 horas. Os demais foram registrados em dias e/ou semana anteriores, e aguardavam resultado do exame laboratorial para Covid-19.

Mais 851 casos positivos da doença foram confirmados, sendo 128 nos quatro municípios da Ilha de São Luís, 14 em Imperatriz e 709 nas demais regiões.

17.770 pessoas estão em isolamento domiciliar, sendo acompanhadas por equipes do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS). 462 pacientes estão internados em enfermarias e 280 em leitos de UTI.

O total de suspeitos é de 6.565.










Ações de Flávio Dino o projetam no cenário nacional, diz Márcio Jerry

Segundo deputado federal, governador conseguiu imprimir um roteiro seguro e mantém um conjunto vistoso de obras e serviços

O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) afirmou, nesta quarta-feira (8), que não há como deixar de aplaudir o desempenho do governador Flávio Dino na condução do estado do Maranhão, que mesmo diante de um cenário desfavorável consegue se destacar como líder e manter um “conjunto vistoso de obras e serviços”.

“Flávio Dino nunca teve tempo bom para governar. Ao assumir, em 2015, herdou passivos pesados, administrativos e financeiros em nosso estado. Veio o golpe contra Dilma e os efeitos da crise econômica nacional se agravaram em meio à instabilidade política. Agora, temos que lutar contra essa terrível pandemia”, comentou.

Mesmo diante dessas situações, Márcio Jerry destacou que o governador “conseguiu imprimir um roteiro seguro e mantém um conjunto vistoso de obras e serviços na saúde, educação, infraestrutura, segurança pública e cidadania”.

Para o deputado, a combinação de gestão exitosa e desempenho de líder político naturalmente projetam o governador para o cenário nacional. “Flávio Dino atua com elevada desenvoltura e cada vez mais tem o respeito no debate sobre os temas do Brasil. Trata-se de um orgulho para o nosso Maranhão”, completou.


Mulher morre em acidente na BR-135 em Alto Alegre do Maranhão


Uma passageira ficou gravemente ferida e foi socorrida para um hospital de São Mateus do Maranhão

A mulher identificada como Renária Feitosa de Morais,  de 23 anos, condutora de uma motocicleta Honda Biz, preta, de placa de São Mateus do Maranhão, morreu em um acidente, tipo colisão lateral, no povoado Caxuxa, no município de Alto Alegre do Maranhão, a 212 km de São Luís.

O acidente ocorreu por volta das 9h30 dessa terça-feira (7), no km 193 da BR-135.

Segundo informações da PRF, Renária Morais, que não tinha habilitação, seguia sentido crescente. Na altura do km 193, ao tentar realizar uma ultrapassagem em local proibido, deparou-se com um veículo transitando em sentido contrário. Ela perdeu o controle da motocicleta e colidiu lateralmente com outro carro.

Com o impacto da queda, Renária teve traumatismo craniano e morreu no local. A passageira da motocicleta ficou gravemente ferida e foi levada para um hospital de São Mateus.

As duas ocupantes da motocicleta são moradoras do município de São Mateus, a 21 km do local do acidente.

No Facebook, amigos e amigas de Renária Morais, que tinha um filho, lamentaram a tragédia. Veja.






terça-feira, 7 de julho de 2020

Maranhão confirma mais 36 mortes por coronavírus e total sobe para 2.286; mais de 70 mil pessoas estão recuperadas


De acordo com informações do Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES), divulgado nesta terça-feira (7), foram confirmadas mais 36 mortes por coronavírus, com o total chegado a 2.286.

Os casos confirmados subiram para 92.088, sendo que 18.875 estão ativos. O total de pessoas recuperadas subiu para 70.927. Nas últimas 24 horas, foram mais 1.312 pessoas recuperadas da doença.

Os 36 novos óbitos foram confirmados em 18 cidades. São elas: São Luís (12), Zé Doca (3), Lago da Pedra (3), São José de Ribamar (2), Paço do Lumiar (2), Bacabal (2), Barra do Corda (1), Chapadinha (1), Colinas (1), Grajaú (1), Itapecuru-Mirim (1), Lima Campos (1), Nina Rodrigues (1), Santa Luzia do Paruá (1), Trizidela do Vale (1), Tutóia (1), Viana (1) e Vitorino Freire (1).

Dos novos óbitos, dois foram registrados nas últimas 24 horas. Os demais foram registrados em dias e/ou semana anteriores, e aguardavam resultado de exame laboratorial para Covid-19.

Mais 1.837 casos positivos da doença foram confirmados, sendo 154 nos quatro municípios da Ilha de São Luís, 73 em Imperatriz e 1.610 nas demais regiões.

18.026 pessoas estão em isolamento domiciliar, sendo acompanhadas por equipes do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS). 509 pacientes estão internados em enfermarias e 340 em leitos de UTI.

O total de suspeitos é de 6.776.











Colunista da Folha diz torcer pela morte de Bolsonaro

Para Hélio Schwartsman, "o presidente prestaria na morte o serviço que foi incapaz de ofertar em vida"

O colunista da Folha de S.Paulo Hélio Schwartsman disse que torce para que o quadro de Jair Bolsonaro, que afirmou nesta terça-feira (7) estar com Covid-19, "se agrave e ele morra". "Nada pessoal", diz ele.

"No plano mais imediato, a ausência de Bolsonaro significaria que já não teríamos um governante minimizando a epidemia nem sabotando medidas para mitigá-la", afirma o colunista, citando um estudo da UFABC para sustentar seu argumento de que isso salvaria vidas.

Além disso, com a morte "do mais destacado líder mundial a negar a gravidade da pandemia", "ficaria muito mais difícil para outros governantes irresponsáveis imitarem seu discurso e atitudes, o que presumivelmente pouparia vidas em todo o planeta", completa Schwartsman.

Teste de Bolsonaro repercute entre parlamentares: “Que seja curado também do vírus da negligência”


A confirmação de que o presidente Jair Bolsonaro testou positivo para a Covid-19 mobilizou o Congresso e provocou reações de parlamentares nesta terça-feira (7).

Ao convocar a imprensa para anunciar o resultado, Bolsonaro voltou a minimizar a gravidade da doença e a desobedecer recomendações de especialistas.

“Vírus é quase como chuva: vai atingir você”, disse Bolsonaro a jornalistas, um pouco antes de tirar a máscara para se despedir dos presentes.

Vice-líder do PCdoB na Câmara, o deputado Márcio Jerry (MA) afirmou que espera a cura dos “demais vírus” que acometem Bolsonaro.

“Que o Bolsonaro seja curado da Covid-19, é o que sinceramente desejo. Como sinceramente desejo que seja curado também dos vírus da intolerância, do ódio, da falta absoluta de empatia; dos vírus da irresponsabilidade, da negligência com a saúde de milhões de brasileiros”.

“Bolsonaro promoveu aglomerações. Vetou a obrigatoriedade das máscaras. Minimizou os efeitos da covid-19 diante de mais de 65 mil mortos. Hoje, após anúncio de seu teste positivo, tirou a máscara e expôs os jornalistas. De tão aliado do Coronavírus, Bolsonaro e ele viraram um só”, declarou o líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), listando os maus exemplos do presidente.

Líder do PSB na Câmara, o deputado federal Alessandro Molon (RJ) não abrandou o discurso.

“Mesmo com coronavírus, Bolsonaro dá mau exemplo! 1. Fala perto de repórteres; 2. Faz propaganda de remédio sem eficácia comprovada; 3. Recomenda cloroquina + azitromicina = altamente tóxico; 4. Mente ao dizer que só é grave para doentes e idosos. São 65 mil mortos. Irresponsável”, definiu, citando os erros do presidente ao anunciar a contaminação pelo vírus.

Para Ivan Valente (PSOL-SP), Bolsonaro voltou a fazer uso político da doença.

“É inacreditável que Bolsonaro faça uso político da própria contaminação. Defendeu a cloroquina, disse que as pessoas não sentem nada com a doença e avisa que não vai fazer isolamento. Chegou a tirar a máscara em entrevista! É muita podridão querer lucrar politicamente com isso”, definiu.

Deputado Odair Cunha (PT-MG) lembrou dos alertas enviados ao presidente nos últimos meses. 

“Nós sempre alertamos para a irresponsabilidade de Bolsonaro ao lidar com a covid. Participando de aglomerações, sem máscara, dizendo que era tudo histeria e gripezinha. Agora, ele está contaminado. E só Deus sabe pra quantas pessoas ele passou o coronavírus. Lamentável!”, comentou.

De acordo com a agenda do Planalto, Bolsonaro encontrou com ao menos 48 pessoas, entre ministros, deputados, empresários e presidentes de times de futebol nos últimos oito dias. Em alguns desses encontros, o presidente não usou máscaras e apertou as mãos ou abraçou alguns dos seus interlocutores.

O embaixador americano Todd Chapman e a esposa, que estiveram com Bolsonaro no último sábado (4), durante as comemorações da independência dos EUA, anunciaram hoje que testaram negativo para a doença.

do Brasil 247

Raposa: Pescadores desaparecidos há 11 dias ainda não foram encontrados


De acordo com os familiares, o trio saiu para pescar há 11 dias em área sem comunicação e até o momento, não retornou.
Um barco com três pescadores da Raposa desapareceu no mar. A embarcação saiu do Porto do Braga no dia 25 de junho.

Segundo a família, os pescadores foram para uma região onde eles são acostumados a pescar e não há sinal de telefone ou internet. Um dia após a saída do barco, um outro pescador encontrou um material que era usado pelo trio em alto mar.

Os familiares foram avisados no domingo (5) e decidiram procurar uma delegacia para registrar o caso. Entre os desaparecidos estão Francisco José Pereira de Araújo, de 25 anos; Lucas dos Santos, de 18 anos e André Veras Silva, de 37 anos.

Na manhã dessa segunda-feira (6), o Grupo Tático Aéreo (CTA) realizou um sobrevoo na área onde o grupo teria ido pescar, mas nada foi encontrado. As buscas tiveram continuidade durante a tarde, mas sem êxito.

Os trabalhos de buscas terão continuidade nesta terça-feira (7).


segunda-feira, 6 de julho de 2020

Com mais 31 mortes confirmadas, Maranhão chega a 2.250 óbitos por coronavírus


De acordo com informações do Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES), divulgado nesta segunda-feira (6), foram confirmadas mais 31 mortes por coronavírus no Maranhão, com o total de óbitos chegando a 2.250.


Os casos confirmados subiram para 90.251, sendo que 18.386 estão ativos. O total de pessoas recuperadas subiu para 69.615. Nas últimas 24 horas, foram mais 548 pessoas recuperadas da doença.

Os 31 novos óbitos foram confirmados em 13 cidades. São elas: São Luís (15), Timon (4), Coroatá (2), Santa Luzia (1), Paço do Lumiar (1), Ribamar Fiquene (1), Urbano Santos (1), Imperatriz (1), Raposa (1), Poção de Pedras (1), São Bernardo (1), Vitorino Freire (1) e Chapadinha (1).

Dos novos óbitos, quatro foram registrados nas últimas 24 horas. Os demais foram registrados em dias e/ou semanas anteriores e aguardavam resultado do exame laboratorial para Covid-19.

Mais 548 casos positivos da doença foram confirmados, sendo 134 nos quatro municípios da Ilha de São Luís, 19 em Imperatriz e 395 nas demais regiões.

17.574 pessoas estão em isolamento domiciliar, sendo acompanhadas por equipes do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS). 338 pacientes estão internados em enfermarias e 345 em leitos de UTI.

O total de suspeitos é de 6.776. Até o momento, 50 profissionais da saúde morreram na luta contra a Covid-19.  








Bolsonaro tem sintomas de covid-19 e faz novo exame para detectar doença

Presidente teve febre e foi levado ao Hospital das Forças Armadas em Brasília
O presidente Jair Bolsonaro foi submetido a um novo exame de covid-19 nesta segunda-feira (6), após apresentar sintomas da doença provocada pelo novo coronavírus. O próprio presidente confirmou que há suspeita de ele estar com a doença, ao retornar ao Palácio da Alvorada, no fim da tarde.

Ao ser abordado por apoiadores que costumam se reunir em frente à residência oficial, Bolsonaro disse que evitaria se aproximar das pessoas por ter ido ao hospital fazer exame de covid-19 e que também avaliou o pulmão. "Está tudo bem", disse o presidente, que usava máscara.

O resultado deve ficar pronto nesta terça-feira (7), ao meio-dia. Bolsonaro apresentou febre de 38ºC e cancelou compromissos por causa da suspeita. Ele foi atendido no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília.

Ele disse à imprensa que o resultado da avaliação do pulmão mostrou bom funcionamento do órgão. Ele afirmou ainda que já está tomando hidroxicloroquina de maneira preventiva, embora não seja esta a recomendação médica padrão.

Grupo de risco

O presidente pode ser considerado um integrante do grupo de pessoas que apresentam risco maior de desenvolver forma grave da doença, por já ter 65 anos. Vários integrantes de sua equipe apresentaram a doença desde o início da pandemia, mas, até agora,  os testes do presidente resultaram negativo.

Bolsonaro tem resistido em manter o distanciamento social e costuma se aproximar das pessoas ao aparecer em público, seja participando de manifestações públicas em seu apoio, seja passeando por Brasília nos fins de semana.

Com informações do Correio Braziliense

Governador Flávio Dino se torna um dos principais concorrentes de Bolsonaro

Em entrevista ao Correio, ele disse que a oposição precisa deixar de lado as divisões do passado e buscar um protagonismo em torno de soluções para os graves problemas do país
Para Dino, oposição também tem como papel ajudar o país a sair da crise, ''já que Bolsonaro não tem esta agenda'' (foto: TvBrasilia)

Do Correio Braziliense

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), desponta como um dos principais nomes da oposição para uma eventual disputa com o presidente Jair Bolsonaro, nas eleições de 2022. Em entrevista ao Correio, ele disse que a oposição precisa deixar de lado as divisões do passado e buscar um protagonismo em torno de soluções para os graves problemas do país.

“Precisamos ter uma mensagem unificada, agora, para facilitar a busca de um discurso único para 2022. Porque, se não criarmos um clima positivo no atual momento, chegaremos nas eleições com um nível tal de animosidade, de mágoa, que prejudicará o diálogo”, indicou o governador maranhense. Confira a entrevista a seguir:

Quais são os principais desafios para oposição?

“Em termos dos desafios, destaco três: o primeiro é a resistência contra retrocessos, e isso tanto no plano democrático quanto no plano dos direitos. O segundo papel é nós conseguirmos continuar pautando a centralidade no combate ao coronavírus, que Bolsonaro tenta esconder embaixo do tapete. E o terceiro tema, também central, é a questão econômica, em termos de propostas com foco para gerar empregos. A minha visão é que a situação econômica vai se deteriorar bastante no segundo semestre, e isso com quebradeira de micros e pequenas empresas, a desorganização de cadeias de oferta e demanda, de modo muito profundo. Isso vai gerar uma situação, a meu ver, muito desafiadora para o país. Eu acho que é o papel da oposição contribuir para o Brasil sair dessa crise, já que Bolsonaro não tem esta agenda.

E para as eleições de 2022, a oposição vai unida ou rachada?

Esses três desafios principais, dos quais eu falei anteriormente, são muito importantes para a questão eleitoral, porque a atuação unificada da oposição em torno desses três eixos ajuda a que nós possamos diminuir tensões e gerar aproximações para que, em 2022, a gente tenha a mais ampla união possível.  Eu, na verdade, não tenho a ilusão de que vamos juntar toda a oposição com uma só candidatura. Eu, realmente, não acredito que a oposição estará unida em uma candidatura única em 2022. Mas acredito que a gente deve tentar. Quanto mais união, melhor, inclusive, para além da esquerda.

Então, seria importante a oposição adotar, pelo menos, um discurso unificado até as eleições?

Precisamos ter uma mensagem unificada agora para facilitar a busca de um discurso único para 2022. Porque, se não criarmos um clima positivo agora, chegaremos nas eleições com um nível tal de animosidade, de mágoa, que prejudicará o diálogo. E foi o que a gente viu em 2018. O Fernando Haddad (PT) no segundo turno (da eleição presidencial), e o Ciro não o apoiou. Então, nós temos que evitar isso. Como se evita isso? É mais ou menos aquele negócio do flerte, do namoro, ou seja, existem etapas a cumprir. O Bolsonaro, e essas correntes de extrema direita, eles têm aí um pedaço na base eleitoral do país. Nós não podemos minimizar isso. E também tem as alternativas ao centro. Então, se você não estiver no campo mais à esquerda, isso vai dificultar a nossa união.

Será mesmo muito difícil essa união em torno de um candidato único da oposição?

Infelizmente, sim. Sobretudo, por conta do peso do passado. Há menos divergências quanto ao futuro do que em relação ao passado. Então, no campo da esquerda, quando você vê críticas pontuais, nota-se uma coisa curiosa: o debate nunca é focado no futuro, ou seja, o que é necessário para a recuperação do país e o bem-estar da população.

domingo, 5 de julho de 2020

Maranhão confirma 34 mortes por coronavírus em 24 horas e chega a 2.219 óbitos; 69 mil pessoas estão recuperadas


De acordo com informações do Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES), divulgado neste domingo (5), foram confirmadas 34 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas no Maranhão, com o total de óbitos chegando a 2.219

Os casos confirmados subiram para 89.714, sendo que 18.490 estão ativos. O total de pessoas recuperadas subiu para 69.005. Nas últimas 24 horas, foram mais 350 pessoas recuperadas da doença.

Os 34 novos óbitos foram confirmados em 17 cidades. São elas: São Luís (14), Imperatriz (4), Santa Inês (2), Morros (1), São José de Ribamar (1), Paço do Lumiar (1), Santa Luzia (1), Viana (1), Tufilândia (1), Itapecuru-Mirim (1), Buritirana (1), Itinga do Maranhão (1), Santo Amaro (1), Montes Altos (1), João Lisboa (1), Bom Jesus das Selvas (1) e Lagoa Grande do Maranhão (1).

Mais 657 casos positivos da doença foram confirmados, sendo 134 nos quatro municípios da Ilha de São Luís, 5 em Imperatriz e 518 nas demais regiões.

17.685 pessoas estão em isolamento domiciliar, sendo acompanhadas por equipes do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS). 460 pacientes estão internados em enfermarias e 345 em leitos de UTI.

O total de suspeitos é de 6.872.