segunda-feira, 24 de junho de 2019

Acusado de estuprar criança é preso em Itapecuru Mirim


O homem identificado como Francisco de Almeida Costa, conhecido como “Chicico”, foi preso por policiais da Delegacia Especial da Mulher de Itapecuru Mirim, na tarde desta segunda-feira (24), em cumprimento a mandado de prisão preventiva.

Ele é acusado de estupro de vulnerável, conduta tipificada no art. 217-A do Código Penal Brasileiro.

A pena prevista é de 8 a 15 anos de reclusão.

"Chichico" foi encaminhado para a Unidade Prisional de Itapecuru Mirim, onde ficará à disposição da Justiça.

A equipe de capturas da Delegacia da Mulher foi comandada pela delegada Tainara Cunha.

Assaltantes são presos ao tentar roubar loja de eletrodomésticos na Santa Efigênia, em São Luís

Uma quarta pessoa também foi presa, suspeita de ser a responsável por dar fuga aos assaltantes.
Ao ver a polícia, e sem ter para onde fugir, os assaltantes se renderam e entregaram a arma usada no crime.
Policiais militares frustraram uma tentativa de assalto à loja Liliani no bairro Santa Efigênia, na região da Cidade Operária, em São Luís, na tarde desta segunda-feira (24). Três pessoas foram presas e um adolescente apreendido dentro da loja.

Os presos foram identificados como Wallace Maximiano Gouveia da Silva, de 26 anos; Manoel Francisco Matos Correia, de 34 anos; e Bruno Carvalho Silva. Wallace Silva já possui condenação por roubo com emprego de arma de fogo.

Segundo informações da Polícia Militar, após os dois homens e um adolescente entrarem na loja, populares suspeitaram da movimentação estranha no local e acionaram a guarnição da PM que faziam rondas na região.

De imediato, os policiais adentraram a loja e flagraram o trio tentando praticar o assalto. Ao ver a polícia, e sem alternativa de fuga, os assaltantes se renderam e entregara a arma usada na ação criminosa.
Uma outra equipe da PM foi acionada para auxiliar na detenção e condução dos acusados. No caminho, os policiais encontraram um homem dentro de um veículo, em atitude suspeita.

A polícia fez a revista no carro e uma busca pessoal, encontrando 32 papelotes de maconha e porções de cocaína, além do celular de um dos três indivíduos que estavam detidos, após tentarem assaltar a loja.

Diante dos fatos, ficou constatado que o homem era um dos quatro envolvidos no crime, sendo suspeito de ser o responsável por dar fuga aos três assaltantes que estavam no estabelecimento comercial.
Os três homens e o adolescente foram apresentados na Delegacia Especial da Cidade Operária (DECOP).

Eles vão responder por tentativa de roubo qualificado pelo emprego de arma de fogo e pelo concurso de pessoas (Art. 157, § 2º , I E II , C/C ART. 14 , II , ambos do Código Penal).

Em consulta ao sistema do Judiciário, o blog constatou que Wallace Maximiano Gouveia da Silva foi condenado pela 3ª Vara Criminal de São Luís, em julho de 2017, a 6 anos de prisão por roubo com emprego de arma de fogo (art. 157, § 2º, I e II, c/c art. 70 do C.P.).
Com algumas informações do Imirante


O histórico de manobras de Cármen Lúcia contra Lula

Última movimentação da ministra do STF acabou por retirar da pauta de terça (25) o julgamento do HC de Lula. Ex-presidente reclamou de poderosos que ficam "adiando" a apreciação de seu pedido de liberdade

Por Jornal GGN

Cármen Lúcia já tem um histórico de manobras para atrapalhar o timing de julgamentos que podem beneficiar o ex-presidente Lula, preso há mais de 440 dias em decorrência de condenação imposta a ele pelos juízes da Lava Jato, no caso triplex.

A última movimentação da ministra ocorreu assim que ela assumiu a presidência da Segunda Turma do Supremo, na semana passada: ela empurrou para o último lugar da lista de ações a serem apreciadas pelo colegiado, no dia 25 de junho, o habeas corpus de Lula, que coloca em debate a suspeição de Sergio Moro.

Este recurso foi apresentado pela defesa do ex-presidente em novembro de 2018, muito antes dos vazamentos do Intercept Brasil. O julgamento, aliás, começou em dezembro do ano passado, e foi suspenso por um pedido de vistas de Gilmar Mendes – que devolveu o processo no dia 10 de junho, um dia após o site de Glenn Greenwald divulgar conversas privadas que servem de prova do conluio entre Moro e os procuradores de Curitiba.

Com os heróis da Lava Jato acuados, Cármen Lúcia decidiu mexer na ordem dos processos.

Nesta segunda (24), Mônica Bergamo informou que só o voto de Gilmar tem mais de 40 páginas, e como ainda faltam votar os ministros Celso de Mello e Ricardo Lewandowski, a discussão seria inevitavelmente adiada por falta de tempo. Gilmar, para não prejudicar o debate, decidiu deixar para agosto, depois do recesso do Judiciário.

No Twitter, Lula avisou que seus advogados recorrem para impedir o adiamento. Na petição, eles frisam que a manobra de Cármen Lúcia na pauta não se justifica. O fato de que o julgamento do HC já começou – há mais de 6 meses! – confere ao recurso o privilégio de ser concluído o quanto se colocado na pauta.

Dos 12 itens na lista, apenas mais 1 tem este mesmo status, portanto, não haveria por que manter o recurso de Lula em último lugar, forçando o adiamento do debate.

HISTÓRICO

As manobras contra Lula são nítidas e criticadas pela imprensa e até mesmo por ministros do STF desde a época em que Cármen tinha o total controle da pauta da Corte, porque não era presidente de Turma, mas de todo o Supremo.

Enquanto esteve à frente da Casa – e também do Conselho Nacional de Justiça – a ministra fez vista grossa para as denúncias de abusos cometidos na Lava Jato e, principalmente, impediu o julgamento de duas ações que podem reverter a prisão a partir de condenação em segunda instância.

No domingo (23), a Folha de S. Paulo revelou que no CNJ, 55 processos foram instaurados contra Sergio Moro. Com Cármen Lúcia na presidência do órgão, jamais se viu o julgamento de qualquer reclamação que pudesse acabar em sanção ao ex-juiz.

Na atual altura do campeonato, Lula já teve sua condenação confirmada pela terceira instância, o Superior Tribunal de Justiça. Antes disso, porém, ainda graças à jogada no Supremo, o ex-presidente teve um habeas corpus preventivo rejeitado – com o voto de minerva dela, Cármen Lúcia – e sua prisão foi decretada no mesmo dia, 5 de abril de 2018. Moro não espero nem 24 horas para expedir o mandado.

Inflexível quanto a colocar em pauta as 2 ações sobre prisão em segunda instância que o ministro Marco Aurélio Mello liberou para julgamento ainda em 2017, Cármen Lúcia não teve a mesma margem de manobra com o HC preventivo. Mas saiu vitoriosa na estratégia de fazer o debate girar em torno de um caso isolado, o de Lula. Dessa forma, garantiu o voto decisivo de Rosa Weber para seu lado: a ministra sempre foi contra a prisão em segunda instância, mas não quis contrariar o atual entendimento da Corte sobre o assunto. Por 6 a 5, Lula acabou preso dois dias depois.

Mesmo com críticas públicas dos colegas Celso de Mello e Marco Aurélio, e Lula detido em Curitiba há meses, Cármen Lúcia resistiu enquanto pôde. Em julho de 2018, chegou a ser oficialmente denunciada ao STF por partidos de oposição ao governo Temer, que pediram que omissão da ministra fosse declarada.

A reclamação falava na politização do Judiciário. Em apequenas a Corte para não contrariar os anseios da grande mídia, que operava como “cão de guarda” da Lava Jato.

Em nota no Twitter, nesta segunda (24), o ex-presidente Lula se manifestou: “Meus advogados recorreram ao STF, para que eu tenha finalmente um processo e um julgamento justos, o que nunca tive nas mãos do Moro. Muita gente poderosa, daqui e de outros países, quer impedir essa decisão, ou continuar adiando, que dá no mesmo para quem está preso injustamente.”

STF decide manter delegado Tiago Bardal na cadeia


O Supremo Tribunal de Justiça, (STF) negou pedido de habeas corpus impetrado pelos advogados do delegado Tiago Matos Bardal.

Ele está preso desde do ano passado quando foi acusado de fazer parte de uma quadrilha de contrabandistas que agia em São Luís, utilizando o Porto do Arraial, na Zona Rural do bairro Quebra Pote, para descarregar cigarros e whiskies. 

Além disso ele responde também pela acusação de fazer parte de uma quadrilha de assaltantes de banco. De acordo com as investigações, Thiago Bardal e outros policiais municiavam os criminosos com informações privilegiadas sobre operações policiais e transporte de valores.

O grupo de Bardal dava cobertura para que o bando pudesse escapar de perseguições policiais. Pelo trabalho, ele receberia algo em torno de R$ 100 mil reais mensais pagos pela quadrilha.

Homem bomba

Não é a primeira vez, desde que está preso, que Tiago Bardal tem pedido de liberdade negado pela Justiça. Ele já havia tentado conseguir um habeas corpus pelo Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão e também teve o pedido indeferido pelos desembargadores.

Bardal tem sido, juntamente com o delegado Ney Anderson, um dos precursores de denúncias contra o secretário de segurança Jefferson Portela.  Ele garante que teria feito escutas não autorizadas para monitorar juízes, desembargadores e procuradores por determinação de Portela. 

O secretário rebate as acusações e a polêmica deve ter novos desdobramentos em depoimentos que estão marcados na Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, atendendo requerimento do deputado federal e ex-secretário de segurança Aluísio Mendes.

Na semana passada, Jefferson Portela e Aluísio Mendes trocaram ofensa e acusações esquentado mais o clima para a audiência que tratará do assunto na Câmara Federal.

Com informações do Blog do Silvan Alves

domingo, 23 de junho de 2019

Artigo de Flávio Dino: Governo feito por todos


Desde que o povo do Maranhão decidiu tomar nas mãos as rédeas de seu destino, a história do nosso estado tem sido traçada por ele mesmo - o povo -, de próprio punho.

É o que estamos vendo acontecer desde 2015, com o Orçamento Participativo. Em um processo aberto, os cidadãos são chamados a propor quais eles acham que devem ser prioridades para os gastos do governo na sua região.

Este ano, estamos realizando 35 audiências públicas. Nesses encontros, as pessoas podem propor quais obras e serviços consideram essenciais. Depois de apresentadas, as prioridades passam por votação presencial, durante as audiências, e pelo site participa.ma.gov.br.

É com esse formato de participação popular ativa que temos construído o orçamento de cada ano. E não só. Também assim são definidos os principais instrumentos de planejamento governamental: a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e, neste ano, o Plano Plurianual (PPA) para o período de 2020-2023.

Desde 2015, já registramos mais de 15 mil participantes nas audiências e cerca de 100 mil pessoas votaram para seleção das ações prioritárias. Ao final, tudo é consolidado e inserido nos projetos de lei enviados à Assembleia Legislativa, a quem cabe deliberar definitivamente.

A partir de escolhas do Orçamento Participativo, já foram construídas ou reformadas centenas de escolas, como o Centro de Ensino Amaral Raposo, em Imperatriz.  Também foi atendendo às demandas da população no Orçamento Participativo que fizemos os IEMAs de Cururupu e Santa Inês, bem como o novo campus da UEMA em São Bento, e abrimos vários hospitais regionais.

São obras levantadas com recursos públicos para servir ao povo. E que, por isso mesmo, pelo próprio povo devem ser escolhidas. O Maranhão tem um governo que é feito por todos e para todos. Como disse em meu discurso de posse lá em 2015, os Leões do Palácio não iriam mais rugir para a população. E é verdade, pois agora é o povo que está ocupando o Palácio.

Durante inauguração, Márcio Jerry agradece eleitores de Lagoa Grande


Acompanhado do prefeito Chico Freitas (PCdoB) e do deputado estadual Adelmo Soares (PCdoB), o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) participou na noite da última sexta-feira (22), da inauguração do Centro Administrativo de Lagoa Grande do Maranhão, e agradeceu os eleitores da cidade.

“Hoje eu estou completando quatro meses e 22 dias, honrosamente, como deputado federal do Maranhão, expressando a manifestação de 134.223 maranhenses, dentre os quais 1860 cidadãos e cidadãs de Lagoa Grande do Maranhão, e esse é um ótimo momento para dizer muito obrigado pelo apoio e confiança, por tornarem possível que eu me tornasse deputado federal”, afirmou Jerry.

O deputado lembrou também que a parceria entre os políticos do PCdoB e partidos aliados tem ajudado a mudar a vida de cidades do interior e da capital do estado.

Além do Centro Administrativo, Lagoa Grande viu no mesmo dia a inauguração da Escola da Vila Imperial. A data também marcou a abertura oficial do terceiro ‘Arraial Da Gente’ na cidade.

Rapto do bebê em Belágua: Polícia pede calma à população e que evite a disseminação de informações falsas


No início da tarde deste domingo (23), os comandantes da operação de buscas ao bebê que desapareceu misteriosamente de sua residência, na cidade de Belágua, reuniram moradores que acompanham o caso de perto e exigem uma solução imediata.

Em frente à casa da família, o comandante da equipe dos bombeiros disse que uma resposta será dada à população, mas, para que isso ocorra, depende do direcionamento correto da investigação. 

“O bombeiro não pode iniciar buscas nessa área de alagado, por exemplo, sem ter informações verdadeiras, sem ter um direcionamento, sem saber o que realmente aconteceu. É preciso que vocês esperem, sem tumultos”, disse.

O tenente Alan disse que, desde o rapto do bebê, a PM fez todo o procedimento de buscas no local, ainda ontem, e fez o comunicado à Delegacia Regional de Chapadinha e à Delegacia de Urbanos Santos. 

“Fiquem tranquilos. Estamos imbuídos em desvendar esse caso, e que a criança volte ao seu lar. Voltem para suas residências. Estamos trabalhando para dar uma resposta”, disse o tenente Alan.

O delegado Josimar disse que a polícia precisa de informações concretas, pois alguém viu o sabe de alguma coisa. Para ele, neste momento, nada está descartado – rapto ou violência do próprio seio familiar. 

“O que queremos é trazer a criança de volta. Não há necessidade de alguém molestar alguém da família ou mesmo depredar o BPM, que é patrimônio público. Colaborem com informações concretas e não façam nada com ninguém da família. Nada está descartado. A família está sofrendo, a mãe está passando mal”, disse o delegado.

Preocupado com os protestos que ocorreram no início da noite de ontem, o delegado reforçou o pedido para que a população mantenha a calma, pois uma resposta será dada em breve.

O desaparecimento do bebê

O bebê Jhonatan Alves dos Santos, de apenas dois meses, desapareceu misteriosamente da casa dos pais, na madrugada de sexta-feira (21), na cidade de Belágua, a 280 km de São Luís.

Moradores da localidade, revoltados com o caso, fizeram manifestação no início da noite de sábado (22), em frente à delegacia da cidade. O objetivo era pedir maior agilidade no trabalho de investigação.

Os moradores não acreditam que os pais possam estar envolvidos com o desaparecimento do próprio filho.

A avó do bebê chegou a passar mal, na manhã deste domingo, e precisou ser socorrido em ambulância. A Prefeitura de Belágua está dando todo o suporte à família e aos trabalhos da polícia.

O blog do Gilberto Lima está acompanhando o caso e pode voltar, a qualquer momento, com mais informações.

PM e Corpo de Bombeiros reforçam buscas por bebê retirado da casa dos pais em Belágua


Neste momento, um grande número de policiais militares e bombeiros intensificam os trabalhos de buscas pelo bebê Jhonatan Alves dos Santos, de apenas dois meses, que desapareceu misteriosamente da casa dos pais, na madrugada de sexta-feira (21), na cidade de Belágua, a 280 km de São Luís.

Na manhã deste domingo (23), os pais do bebê, Eudilene e Tadeu, foram levados novamente para novos depoimentos na delegacia de Urbano Santos, a 15 km de Belágua. Pelas informações, a mãe foi levada de volta à casa para pegar um documento solicitado na delegacia.

Policiais e bombeiros se concentram no entorno da residência da família do bebê e buscas serão feitas em um rio que passa nas proximidades.

Até o momento, a polícia não tem pistas do que possa ter levado ao desaparecimento de Jhonatan Santos.

Os pais não estão presos, apenas prestam informações à polícia para o caso seja elucidado. Outros suspeitos estão sendo alvos das investigações.

Manifestação de moradores

Moradores da localidade, revoltados com o caso, fizeram manifestação no início da noite de sábado (22), em frente à delegacia da cidade. O objetivo era pedir maior agilidade no trabalho de investigação.

“O nosso objetivo não é linchar os pais, mas pedir mais empenho no trabalho de investigação”, diz a participante de um grupo criado no WhatsApp para mobilizar moradores da localidade.

Em um dos áudios, uma das vizinhas dos pais diz que ouviram o choro do bebê até por volta de 2h da madrugada.

“Os cachorros latiam muito. A gente não se levantou porque pensava que era algum animal. O sumiço do bebê se deu entre 3h e 4h. O avô do bebê chegou a acordar e chamar o pai. Às 6h, o pai acordou e não encontrou mais o bebê e revolveu chamar a gente. Chegamos a procurar até em um rio que passa nas proximidades da casa”, disse a vizinha.

Além de manifestação em frente à delegacia, moradores também se concentraram no entorno da casa dos pais do bebê desaparecido.

No entanto, os moradores não acreditam que os pais possam estar envolvidos com o desaparecimento do próprio filho.

Por conta desses protestos, as investigações ganharam reforço policial neste domingo (23).

Moradores continuam acompanhando os trabalhos da polícia de perto e esperam um desfecho feliz para o caso.

Polícia chama a população para esclarecimentos

Neste momento, policiais militares reúnem moradores, em frente à casa da família, para prestar esclarecimentos.

A qualquer momento, voltaremos com mais informações.

Lava Jato tentou blindar Moro de Teori Zavascki, do STF, após PF vazar lista por “descuido”; leia a íntegra dos diálogos revelados pela Folha

Deltan Dallagnol procurou o delegado Márcio Anselmo, da PF, minutos depois de receber a reclamação do juiz, em 2016, e disse: "Moro está chateado". Teori, que foi relator da Lava Jato no STF, morreu em acidente aéreo em janeiro de 2017.
Após o vazamento pela Polícia Federal por “descuido” de documentos da Odebrecht, incluindo uma lista de políticos investigados pela Lava Jato que teriam foro privilegiado em 2016, procuradores e agentes da PF que atuavam na Lava Jato se articularam via aplicativos de mensagens para dar apoio e blindar Sergio Moro da tensão causada com o ministro Teori Zavascki, relator dos processos da operação na corte.

As informações foram divulgadas neste domingo (23) pelo site The Intercept, em parceria com a Folha de S.Paulo. Segundo a reportagem, as mensagens indicam que os procuradores e o então juiz temiam que Teori – morto em um acidente aéreo em 2017 – desmembrasse os inquéritos que estavam sob controle de Moro em Curitiba e os esvaziasse num momento em que as investigações sobre a Odebrecht avançavam rapidamente.

Segundo as conversas, por descuido, no dia 22 de março de 2016 a Polícia Federal anexou os documentos da Odebrecht aos autos de um processo da Lava Jato sem preservar seu sigilo, o que permitiu a divulgação do material por um blog mantido pelo jornalista Fernando Rodrigues na época.

“Tremenda bola nas costas da Pf”, disse Moro, em mensagem a Dallagnol. “E vai parecer afronta”, acrescentou, referindo-se à reação que esperava do Supremo.

Deltan procurou então encorajar Moro e lhe prometeu apoio incondicional. “Saiba não só que a imensa maioria da sociedade está com Vc, mas que nós faremos tudo o que for necessário para defender Vc de injustas acusações”, escreveu.

“Moro está chateado”

Em 28 de março, após receber manifestação formal do Ministério Público sobre os processos, Moro mandou para o STF dois inquéritos e uma ação penal que estavam em andamento em Curitiba, incluindo os autos com a lista da Odebrecht, para que Teori decidisse o que fazer com eles.

As mensagens mostram também que procuradores e policiais se mobilizaram em diversos momentos para manter o juiz como um aliado da força-tarefa, seguindo sua orientação até mesmo quando criticou uma procuradora cujo desempenho numa audiência lhe parecera fraco.

No caso da lista da Odebrecht, Deltan procurou o delegado Márcio Anselmo, que chefiava as investigações sobre a empresa, minutos depois de receber a reclamação do juiz. “Moro está chateado”, escreveu. “Vai apanhar mais do STF, porque vai parecer afronta”, acrescentou, repetindo a palavra usada pelo juiz antes.

Deltan afirmou ao delegado que ele cometera um erro na sua avaliação e pediu que fosse mais cuidadoso. “O receio é que isso seja usado pelo STF contra a operação e contra o Moro. O momento é que ficou ruim”, explicou. “Vem porrada.”

Leia íntegra da troca de mensagens entre Moro e Deltan

Leia, abaixo, mensagens trocadas neste episódio e confirme a participação de Moro não como juiz, mas como uma das partes de todo processo da Lava Jato.

No início da tarde, o então juiz Sergio Moro soube que uma lista de políticos associados à Odebrecht se tornara pública nos autos de um processo da Lava Jato e determinou que ficasse sob sigilo. Em seguida, escreveu ao procurador Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da operação, para reclamar da Polícia Federal e discutir a situação. Os políticos tinham direito a foro especial e só podiam ser investigados no Supremo Tribunal Federal

Moro (13:06:32) – Coloquei sigilo 4 no processo, embora ja tenha sido publicizado. Tremenda bola nas costas da Pf. Nao vejo alternativa senao remeter o processo do santana ao stf.

Moro (13:06:42) – E vai parecer afronta.

Deltan (13:47:56) – Falei com Pelella. Ele disse que se resolve com a remessa dos autos (ajustei mandar Odebrecht e disse que manteríamos Zwi e Santana, com o que ele concordou e disse que cindirão e devolverão) e confidenciou que na próxima semana a pressão se transferirá para lá e esquecerão isso. Quanto à decisão de ontem, ele disse que certamente as coisas se acalmarão.

CITAÇÕES

Santana: João Santana, marqueteiro petista que estava preso

Pelella: Eduardo Pelella, assessor da Procuradoria-Geral da República

Zwi: Zwi Skornicki, lobista investigado

Decisão de ontem: Despacho do STF que repreendeu Moro pela divulgação de escutas do ex-presidente Lula

Horas depois, Deltan voltou a escrever a Moro. Informou que havia protocolado petição pedindo a remessa dos processos ao STF, disse que a polícia não agira com má-fé ao tornar a lista de políticos pública e prometeu ajuda para defender Moro contra questionamentos no CNJ (Conselho Nacional de Justiça)

Deltan (15:37:55) – Manifestação protocolada. Antes de protocolar, passou pelo ok da PGR.

Deltan (16:04:57) – Os autos da reclamação do grampo estão indo para a PGR. Falei com pessoas de lá para trazer a bola pro chão e pra razão. A decisão do Teori ontem foi absurda. Na parte em que ele fala de responsabilização, foi teratológica. Qq decisão judicial pode ser revista para o sentido oposto em recurso. Trata-se de questão de entendimento jurídico no caso concreto. Acho provável que eles coloquem algo nesse sentido no parecer, que passará pela nossa revisão.

Deltan (16:05:54) – Pensei na questão das planilhas e, embora a relevância seja absurda e fosse difícil não ter visto a importância, não acho que a PF colocou pra dar conhecimento público, porque só foi noticiado hoje, um dia depois. Se tivessem feito de propósito, ontem à noite estava no JN

Moro (16:07:49) – Continua sendo lambança. Não pode cometer esse tipo de erro agora.

Deltan (16:13:02) – Concordo. E sei que Vc, de todos nós, está debaixo da maior pressão. Não desanime com a decisão do Teori de ontem ou com os fatos e lambanças recentes. As coisas vão se acalmar. É um momento de ânimos exaltados. Saiba não só que a imensa maioria da sociedade está com Vc, mas que nós faremos tudo o que for necessário para defender Vc de injustas acusações. Uma das coisas que mais tenho admirado em Vc – uma nova face de suas qualidades – é a serenidade com que enfrenta notícias ruins e problemas. Se alguém tivesse te apresentado tudo o que aconteceria num caso como esses há 5 anos e te desse a opção de entrar nisso ou não, eu não tenho dúvidas de que Você entraria com tudo. Não há como estar no maior caso de corrupção que envolve os maiores interesses da República e esperar águas tranquilas. Continue firme, não desanime e conte conosco. “Smooth waters don’t make good sailors”.

Deltan (16:14:44) – E se as coisas não se acalmarem rs rs rs, continuaremos fazendo o que é certo. Conte mesmo conosco.

Moro (16:42:22) – Pressão sera grande no cnj

Moro (16:42:22) – Do caso de hoje no atual contexto vai ter que.subir zwi e santana. Min. Teori é que terá que desmembrar.

Moro (16:43:52) – Mas vou deixar para assinar apos o fim das temporarias e que nao serao então prorrogadas.

Deltan (17:09:15) – Tentaremos denunciar o qto antes pra já subir com isso. Sua previsão de decisão é na segunda, então?

Deltan (17:09:23) – Vou falar com nosso representante no CNJ

Moro (17:14:03) – Sabado ou segunda.

Deltan (17:15:49) – ok, tentaremos oferecer den até sábado e te atualizo qto à perspectiva no sábado

EXPLICAÇÃO

“Smooth waters don’t make good sailors”: “Águas tranquilas não fazem bons marinheiros”

Assim que recebeu a reclamação de Moro no início da tarde, Deltan procurou o delegado Márcio Anselmo, da Polícia Federal, para discutir o problema. Ele respondeu à noite.

Deltan (13:19:06) – Moro está chateado. Vai apanhar mais do STF, porque vai parecer afronta. Por favor nos ajude a pensar o que podemos fazer em relação a isso. Vcs conseguiriam fazer uma análise para ver se corresponde a doações oficiais? Num site diz que não… Se não corresponde, é indicativo de ilícitos, pq há valores

Anselmo (19:41:13) – Vi a manifestação de vcs no procedimento

(19:41:31) – Em que pese termos sido movidos pelo atropelo no último mês

(19:41:52) – Era o prazo fatal para inserir nos autos o resultado da busca

(19:42:23) – Também é importante saber que algumas das planilhas foram mostradas pro Carlos ainda no dia da busca

(19:42:36) – Assim como roberson e Laura

(19:43:16) – Sinceramente eu não vi motivo pra todo esse alvoroco

(19:43:17) – Acabou coincidindo c a decisão estranha do teori

(19:43:36) – Planilhas semelhantes foram apreendidas na Andrade

(19:43:52) – Na Camargo e em várias outras empreiteiras

(19:44:07) – Nós até cogitamos em ter falado c o Dr Sergio

(19:44:23) – Mas em razão de todos os acontecimentos isso acabou ficando pra trás

Deltan (19:54:20) – Compreendo, Márcio. O problema não foi juntar, mas juntar no público, e não em algum sob sigilo e sem análise… Creio que foi um erro, mas que atire a primeira pedra quem não errou ainda num caso cheio de pressões de tempo, de atividades e de mídia. Não se trata de procurar culpados ou julgar erros, mas de pensarmos como agir para não acontecer nada nos próximos momentos que possa complicar mais a situação que eestá delicada. O receio é que isso seja usado pelo STF contra a operação e contra o Moro. O momento é que ficou ruim… Pra ter ideia, já pedimos articulação da ANPR junto ao CNJ. Vem porrada.

CITAÇÕES

Carlos: Provavelmente, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima

Roberson: Provavelmente, o procurador Roberson Pozzobon

Laura: Provavelmente, a procuradora Laura Tessler

Andrade: Andrade Gutierrez

Camargo: Camargo Corrêa

ANPR: Associação Nacional dos Procuradores da República

No fim da noite, Moro pediu ajuda a Dallagnol para conter o Movimento Brasil Livre após saber de uma manifestação organizada por um grupo direitista alinhado ao MBL na frente do apartamento do ministro do STF Teori Zavascki, em Porto Alegre.

Moro (22:36:04) – Nao.sei se vcs tem algum contato mas alguns tontos daquele movimento brasil livre foram fazer protesto na frente do condominio.do ministro. Isso nao ajuda evidentemente

Deltan (23:28:49) – Se quiser, vou atrás para ver se temos algum contato, mas, não sendo violento ou vandalizar, não acho que seja o caso de nos metermos nisso por um lado ou outro…

Deltan (23:49:32) – não, com o MBL não. Eles ficaram meio “bravos” com a gente, porque não quisemos apoiar as manifestações contra o governo no ano passado. eles são declaradamente pró-impeachment.

Moro (23:51:40) – Ok.

Com informações da Revista Fórum/Renato Rovai

Imagens da noite: Homem morre em grave acidente na Estrada da Maioba


Um homem morreu um acidente grave na Estrada da Maioba, na região metropolitana de São Luís, na noite de sábado (22). Ele ficou preso às ferragens de uma caminhonete Ford Ranger após colisão contra um micro-ônibus.

Pelo documento divulgado em grupos de WhatsApp, a vítima foi identificada como Lucas Evangelista Rocha Viana, de 51 anos, servidor público do sistema penitenciário, em São Luís.

A pessoa que compartilhou a identidade funcional da vítima disse o seguinte: “informações do agente penitenciário Wagno que esse servidor acabou de falecer em um acidente de carro na estrada da Maioba. Já informei pro Santos da Fisioterapia. Se alguém puder repassar pro setor que presta apoio”, disse.

Segundo relato de pessoas que fizeram registros do acidente, Lucas Viana ainda estava com vida após o acidente, mas terminou morrendo devido à gravidade dos ferimentos.

Pelas informações passadas ao blog, ele era pastor da Igreja Batista em Anajatuba, na baixada maranhense.

Equipes do Corpo de Bombeiros foram ao local do acidente para retirar a vítima das ferragens do veículo, que ficou a lateral esquerda (lado do motorista) destruída.

Assaltante morre e dois são presos após troca de tiros com PMs na Vila Cutia, em São Luís; arma e celulares roubados são apreendidos


Um assaltante morreu e outros dois foram presos após confronto com policiais do 6º BPM na região do Conjunto São Raimundo, em São Luís. A ação policial ocorreu por volta de 21h30 de sexta-feira (21), na Rua do Muro, na Vila Cutia.

Os presos foram identificados como José Maurício de Sousa Teixeira, de 28 anos, e Tones Gabriel Moraes Aguiar, de 19 anos. O menor de iniciais M.B de O, de 15 anos, foi atingido por disparos e morreu ao dar entrada no Hospital Clementino Moura, o Socorrão 2. Os três residem no Conjunto São Raimundo.

Com eles, foram apreendidos um revólver calibre .38, municiado com três munições intactas e duas deflagradas; um veículo Corsa Classic, de cor azul, placa HQE-6532; quatro aparelhos celulares e uma carteira porta-cédulas.

Assaltos, perseguição e troca de tiros

Segundo informações da PM, a viatura do São Raimundo fazia rondas na área quando foi informada sobre uma tentativa de homicídio na Vila Cascavel. No local, a vítima informou que os elementos tentaram disparar, mas arma falhou. Em seguida, eles fugiram em um veículo Classic, de cor escura, modelo antigo.

No momento em que a vítima conversava com a guarnição, foi passada a informação, via rede de rádio, de que estava havendo outro assalto no mesmo local da ocorrência anterior, e que o veículo usado pelos bandidos tinha as mesmas características.

No bairro Pontal da Ilha, a guarnição avistou o veículo, que empreendeu fuga, ignorando os sinais de parada. Na Rua do Muro, na Vila Cutia, um dos criminosos, que estava no banco de trás do veículo, colocou a cabeça para fora e efetuou disparos contra a guarnição, que revidou. Os disparos acertaram o assaltante, que atentou contra a vida dos policiais, e o pneu traseiro direito do veículo.

Prisão, apreensão de objetos e socorro aos feridos

Em seguida, o veículo parou e os assaltantes se renderam. No interior do carro, foram encontrados os celulares roubados durante o arrastão realizado na área.  O revólver estava na mão de um dos assaltantes atingido por disparos.

De imediato, os policiais prestaram socorro aos baleados. O menor não resistiu e morreu no Socorrão 2. Ele já havia sido autuado por ato infracional análogo ao art. 121 do CP por prática de homicídio.

Tones Gabriel Moraes Aguiar e José Mauricio De Sousa Teixeira foram conduzidos à Delegacia da Cidade Operária (Decop) para autuação em flagrante por roubo qualificado pelo emprego de arma de fogo e concurso de pessoas.