Rádio Voz do Maranhão

terça-feira, 26 de junho de 2012

Raimundo Cutrim "rasga o verbo" e diz que Aluísio Mendes é “moleque travestido de secretário”


O deputado estadual Raimundo Cutrim (PSD), atacou fortemente o secretário de segurança Aluísio Mendes, em um duro pronunciamento na Assembleia Legislativa, na manhã desta terça-feira (26). Por várias vezes, o ex-secretário de segurança classificou Aluísio Mendes de “moleque”. É o segundo pronunciamento do parlamentar depois de ter vazado o depoimento de Jhonathan Silva, assassino confesso do jornalista Décio Sá, onde cita Cutrim como um dos supostos envolvidos na trama.

- É um moleque travestido de secretário. Não tem condições de ser nem faxineiro, quanto mais secretário - atacou, ao se defender das acusações de suposta participação no assassinato do jornalista Décio Sá.

Cutrim suspeita que o depoimento do assassino confesso Jhonatan de Souza foi montado pelo secretário de segurança Aluísio Mendes.

- É um papagaio ensaiado (referindo-se ao assassino). Foi tão mal ensaiado que falou bobagens – disse Cutrim.

O deputado usou vários palavrões em seu discurso, demonstrando nervosismo. Chegou a criticar duramente o colega Magno Bacelar (PV), que havia falado sobre a abertura do caso Bertin, além de levantar suspeitas sobre grampos telefônicos feitos pela polícia.

- Que porra de escuta!!! Falo o que quero com quem quiser no meu telefone. Se júnior Bolinha tiver alguma coisa, o problema é dele. Não estou me defendendo, por que não devo nada. Exijo é que as pessoas me respeitem, acrescenta Cutrim.

Raimundo Cutrim também exibiu na tribuna cópias de um ofício encaminhado à comissão de delegados que investiga a morte de Décio, colocando-se à disposição para ser ouvido.

O deputado disse que abre  mão das prerrogativas constitucionais de deputado pára ser ouvido. Ele exibiu cópias de um ofício encaminhado à comissão de delegados que investiga o assassinato do jornalista Décio Sá, colocando-se à disposição para prestar esclarecimentos sobre as denúncias que lhe são imputadas.

Na semana passada o deputado negou qualquer envolvimento com o assassinato de Décio Sá. No entanto, confirmou ser ‘amigo’ de Júnior Bolinha, empresário de Santa Inês e contratante do matador de Fábio Brasil, em Teresina, e do jornalista Décio Sá. Cutrim apenas disse ter alugado máquinas de Júnior Bolinha para as obras de construção de açudes em um sítio de sua propriedade.

O secretário de segurança, Aluísio Mendes, ainda não deu respostas às ofensas proferidas pelo deputado Raimundo Cutrim.


Nenhum comentário:

Postar um comentário