Rádio Voz do Maranhão

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Abraji pede investigação sobre desaparecimento de jornalista no Paraná

A Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) manifestou nesta terça-feira (16) preocupação com o desaparecimento do jornalista Anderson Leandro da Silva, 38. O desaparecimento de Silva, que trabalha em Curitiba, completou seis dias hoje. Para família, ele pode estar desaparecido por causa do seu trabalho. 

 "Há fortes indícios de que seja mais um grave atentado contra o jornalismo, com as características clássicas de vingança motivada pela atividade jornalística. É urgente a apuração dos fatos pelas autoridades", afirma a Abraji Silva trabalha na cobertura de movimentos sociais e tem um grande acervo de cenas de conflitos. 

Em 2008, ele registrou um policial atirando nele uma bala de borracha durante uma desocupação de terra. A imagem resultou no afastamento de policiais militares. A Polícia Civil e o Ministério Público do Paraná estão investigando o caso. No 10 de outubro, o jornalista saiu de sua produtora Quem TV com destino a cidade de Quatro Barras, na região metropolitana de Curitiba, e não apareceu mais. No dia seguinte, a família registrou o desaparecimento. 

 O Sindicato dos Jornalistas do Paraná também pediu atenção ao caso. "O caso Anderson Leandro da Silva não pode ser esquecido."

O Sindicato dos Jornalistas do Paraná divulgou nota destacando mais informações sobre o desaparecimento do jornalista. Sobre as circunstâncias do desaparecimento, diz a nota:

"Anderson Leandro da Silva, de 38 anos, saiu da produtora Quem TV, no bairro do Rebouças, por volta das 12h30 (horário retificado por imagens de câmeras de CFTV das imediações) da última quarta-feira, dia 10 de outubro de 2012. Ele avisou ao filho que iria fazer um orçamento de trabalho na cidade de Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, e que voltaria para buscá-lo para levar para casa, como fazia todos os dias. 

Eram aproximadamente 20h30 quando o filho comunicou a mãe que Anderson Leandro não havia retornado. As buscas iniciais começaram por volta das 2h madrugada do dia (11/10/2012) por meio do fone 190, sendo que, na manhã deste mesmo dia formalizou-se o desaparecimento com o registro da ocorrência na Delegacia da Vigilância e Capturas de Curitiba. Após isso, na madrugada de quinta para sexta-feira (12), a família entrou com pedido de liminar junto ao Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça, para que fosse quebrado o sigilo telefônico do celular e dos telefones fixos (residencial e comercial) do jornalista. 

A Justiça acolheu o pedido de quebra do sigilo telefônico ao meio-dia de sexta-feira, em pleno feriado. A DVC recebeu o relatório com o número das chamadas registradas no aparelho, mas a família não tem acesso ao conteúdo desse documento. Os investigadores informaram apenas que foi detectado sinal do aparelho às 12h55 do dia do desaparecimento na região de Campina Grande do Sul. Também foram identificados sinais do celular de Anderson Leandro nas regiões do Parolin e nas imediações do Detran. Depois dessa quebra de sigilo, a família não obteve mais nenhuma informação a respeito das buscas da polícia e mobilizou amigos e lideranças em esforços próprios. 

O Sindijor-PR entende que o poder público deve intensificar as investigações com extrema urgência, já que se trata de um tema que atinge toda a sociedade. Como entidade que defende os jornalistas no estado, o Sindijor-PR exige que o caso seja esclarecido e que todas as providências possíveis sejam tomadas pelos órgãos competentes do estado".

Um comentário:

  1. Arari Ma
    O MAIS LAMENTÁVEL E "INEXPLICÁVEL" DE TODA ESSA SITUAÇÃO, É ANDARMOS PELO MUNICÍPIO E VERMOS A INSATISFAÇÃO E A TRISTEZA DO POVO COM TAL RESULTADO, OU ESTOU ENGANADO?? ALGUEM TA SENTINDO A POPULAÇÃO ARARIENSE FELIZ E SATISFEITA?? VAMOS TODOS DEIXAR DE HIPOCRISIA E ENCARAR A REALIDADE, INACREDITAVELMENTE AINDA EXISTEM PESSOAS QUE VENDEM SEUS VOTOS POR ESMOLAS E FAVORES, ESQUECENDO-SE DAS POSTERIORES CONSEQUENCIAS.. CONSEQUENCIAS ESSAS QUE NOS COLOCARAM NESSE DESCASSO E CALAMIDADE ATUAL. E AOS QUE NÃO ENTEDERAM AINDA, DIGO, QUE ISSO NÃO É CULPA DO ATUAL "GESTOR", NEM DO SEU GRUPO, E MUITO MENOS DE DEUS(já que muitos dizem ser feita sua vontade), O VERDADEIRO E ÚNICO CULPADO É O PRÓPRIO POVO ARARIENSE. POIS TODO POVO TEM O GOVERNANTE QUE MERECE, E DEUS NÃO FAZ POR NÓS O QUE NÓS MESMOS PODEMOS FAZER, ELE NOS DAR SIM, O LIVRE ARBÍTRIO TE FAZERMOS NOSSAS ESCOLHAS, SEJAM ELAS CERTAS OU ERRADAS.. E NÓS QUE AMAMOS ESSA QUERIA TERRA PRECISAMOS DEIXAR DE SERMOS ACOMODADOS E NEGLIGENTES COM NOSSO POVO E NOSSO MUNICÍPIO.. R E F L I T A ! ! ! ! !

    ResponderExcluir