Rádio Voz do Maranhão

segunda-feira, 18 de março de 2013

Prefeitura vai revitalizar Hospital da Mulher na área Itaqui-Bacanga

A melhoria do serviço vai evitar a formação de filas para marcar consultas. Também serão reiniciados dentro dos próximos dias os procedimentos cirúrgicos, suspensos desde o ano passado.

A Prefeitura de São Luís vai revitalizar o Hospital da Mulher, localizado na Avenida dos Portugueses na área Itaqui-Bacanga, que há quatro anos está passando por um processo de sucateamento. A secretária adjunta de Saúde, Sílvia Cavalcante, e representantes de movimentos sociais organizados e da administração municipal realizaram mesa de debate nesta segunda-feira (18), para planejar o futuro do hospital.

“A partir da discussão com a comunidade vamos elaborar um plano de ações estruturantes para o Hospital da Mulher que possa ser executado a curto, médio e longo prazo”, esclareceu Silvia Cavalcante. De imediato a Secretaria de Saúde (Semus) vai melhorar a Central de Marcações de Consultas (Cemarc), que funciona dentro do Hospital da Mulher.

A melhoria do serviço vai evitar a formação de filas para marcar consultas. Também serão reiniciados dentro dos próximos dias os procedimentos cirúrgicos, suspensos desde o ano passado. Há 75 cirurgias agendadas desde 2012.

Inaugurado em 2007, o Hospital da Mulher emergiu numa crise profunda na gestão passada. O processo de sucateamento atingiu principalmente os equipamentos médicos, alvo de roubos. A constatação sobre o estágio de abandono da unidade de saúde foi constatado por uma equipe da Secretaria de Saúde e representantes dos movimentos sociais em visita técnica realizada em 14 de março. O levantamento, elencando os problemas acumulados na unidade de saúde, constituiu um relatório.

Além da secretária adjunta Silvia Cavalcante, participaram da primeira mesa de diálogo a coordenadora da Pastoral da Mulher, Dijé Fernandes, e o coordenador administrativo do Itaqui-Bacanga, José Ribamar Paeta, as representantes do Fórum da Mulher, Silvia Leite, e da Coordenadoria da Mulher, Laurinda Pinto.

A assistente social Silvia Leite, do Fórum da Mulher, que reúne 28 entidades, disse que lamenta o sucateamento do hospital durante os últimos quatro anos. “Então, nós organizamos o movimento e colocamos na programação do dia 8 de março, entre as atividades do mês, a audiência pública com representativa participação de lideranças e entidades sindicais. Nosso desejo era ter uma discussão”, reivindica.

A representante do Fórum da Mulher lembrou que fracassaram todas as tentativas de diálogos sobre o hospital na semana passada. Houve tentativa de realizar audiência pública sobre o tema na Câmara Municipal de São Luís, boicotada pelo gestor passado. Na mesa de diálogo, Silvia Leite enfatizou o índice de câncer de colo de útero, 36,86%, um dos mais elevados do país, segundo dados do Ministério da Saúde do ano passado.

RAIO X DO HOSPITAL DA MULHER

56 médicos

57 leitos

5 leitos de UTI

3 salas de cirurgia

Um comentário:

  1. O HOSPITAL DA MULHER SÓ FUNCIONARÁ SE A ADMINISTRAÇÃO SOUBER TRABALHAR, COISA QUE NAO ESTA ACONTECENDO.

    ResponderExcluir