São João 2019

São João 2019

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Preso integrante da “Indústria da Morte” que assassinou suplente de vereador em São Pedro da Água Branca



Em cumprimento a mandado de prisão preventiva, foi capturado, na manhã de quarta-feira (19), o foragido da Justiça Evene da Silva Cordeiro, conhecido como “Nego Evane”, de 36 anos, na cidade de Paço do Lumiar, na região metropolitana de São Luís.

Segundo informação da polícia, “Nego Evane” é integrante de uma quadrilha denominada “Indústria da Morte”, que atua na cidade de São Pedro da Água Branca, a 699 km de São Luís, e que comete assassinatos com conatação política.

Conforme revelado pela Delegacia Especial de Paço do Lumiar, responsável pela localização do foragido, essa quadrilha já vitimou várias pessoas, incluindo um suplente de vereador que se chamava Orlando Pedrosa Rocha, assassinado a tiros em junho de 2009 na cidade onde o grupo possui “base”.

Essa organização criminosa, segundo a fonte, existe desde 2004, com a prática de homicídios e tentativas de homicídios.

Em 2010, a delegada Nilmar da Gama investigou a “Indústria da Morte”

Segundo Nilmar da Gama, em entrevista em 2010, a descoberta da “indústria da morte” se deu com a elucidação do assassinato do suplente de vereador Orlando Pedrosa Rocha, no dia 23 de junho de 2009. Ele foi executado com quatro tiros, dentro do Restaurante Quero Mais, de sua propriedade, no centro da cidade. O autor do assassinato foi Edmilson Almeida, que foi recolhido à Central de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ) de Imperatriz.

O mandante, de acordo com a delegada, foi Edilson Ângelo Pereira do Nascimento, o Edilson do Isqueiro, natural de São Pedro da Água Branca e que já foi vereador do município. À época, ele estava com com mandado de prisão preventiva em aberto, e se encontrava nos Estados Unidos. Ele patrocinava o crime mandando dólares para os comparsas na cidade.

“Desde 2004, vinham acontecendo, no município, crimes com conotação política. Com a morte do suplente Orlando Rocha, a população exigiu investigações para frear a onda de violência, pois a cidade estava virando uma terra sem lei”, disse Nilmar da Gama.

Após diligências feitas nos estados do Pará e Tocantins, além do Maranhão, a Delegacia Geral chegou à conclusão que era Edilson do Isqueiro que vinha “encomendando” as mortes. “De acordo com uma testemunha, o agenciador era Pedro Viera Bonfim – também preso na CCPJ – ex-secretário municipal de Administração”, mencionou a delegada.

Mortes

Foi feita, inclusive, uma lista com 10 nomes, que deveriam ser assassinados, e algumas realmente o foram. Entre os mortos, figuram, além do suplente de vereador, o ex-secretário municipal do Meio Ambiente, de nome Osmar, assassinado em Imperatriz; Edimar Medrade, vereador que foi morto em 2008; outras duas pessoas, um comerciante e um ex-vereador, sofreram atentados.

As investigações apontaram, além de Edilson do Isqueiro e Pedro Vieira Bonfim, mais sete pessoas que fazem parte das matanças. Foram indiciados Marcos Silva Costa (mandado de prisão em aberto), Francisco Florentino da Silva, o Fava, preso na CCPJ), Natal Pereira de Brito, Antônio Luís de Sousa (preso na CCPJ), Ramon Ferreira Bonfim (em liberdade, com mandado de prisão preventiva), e Evene da Silva Cordeiro (em liberdade, com mandado de prisão preventiva).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...