sábado, 10 de outubro de 2020

Polícia cumpre mandado de prisão preventiva contra médico veterinário que matou empresário dentro de clínica em São Luís

A Polícia Civil do Estado do Maranhão deu cumprimento a mandado de prisão preventiva contra o médico veterinário Daniel Leite Cardoso, que matou o empresário Eduardo Viegas Costa, no dia 9 de setembro deste ano, dentro da Prontoclínica Veterinária, na Avenida Getúlio Vargas, no Monte Castelo, em São Luís.

O assassino já se encontra preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. A prisão temporária, cumprida no dia 11 de setembro, foi convertida pelo Poder Judiciário em preventiva. O inquérito policial está em fase de conclusão na Delegacia de Homicidios da Área Leste da SHPP.

O crime

O crime ocorreu no dia 9 de setembro deste ano, por volta das 19h30, no interior da Prontoclínica Veterinária, na Avenida Getúlio Vargas, no Monte Castelo, em São Luís, após Eduardo Viegas discordar do valor cobrado no tratamento de um gato. O empresário, dono da pizzaria Tio Tomate, no São Francisco, estava acompanhado da esposa, que também foi baleada. 

De acordo com informações da polícia, houve discussão por causa do preço, mas logo a situação foi contornada. Porém, quando o cliente pediu a nota fiscal, não foi atendido. O veterinário queria entregar o documento somente na manhã de quinta-feira (10). O empresário não concordou e passou a filmar o médico para expor a imagem na internet.

O veterinário tentou tomar o aparelho celular e levou um soco no rosto. Irritado, sacou de uma pistola 380 e fez nove disparos a curta distância, acertando a maioria na cabeça do cliente, que morreu no local. 

Eduardo Viégas estava acompanhado de sua companheira, que também foi baleada com ferimentos leves e levada a um hospital sem riscos.

Após o crime, o assassino pegou o carro e fugiu, tomando rumo ignorado.

Apresentação e prisão

O veterinário apresentou à polícia no dia 11 de setembro, dois dias após o crime, e foi preso temporariamente. Ele apresentou a arma usada no crime. Na ocasião, o advogado do médico veterinário informou que o cliente possuia porte arma, e que a arma tinha registro. Durante depoimento, o veterinário informou que após o crime queria se apresentar, mas estava atrás de advogado.

O assassino foi encaminhado ao Centro de Triagem, em Pedrinhas, onde está à disposição da Justiça. O médico está custodiado na cela 2, bloco 10 do Centro de Triagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário