Rádio Voz do Maranhão

sábado, 5 de agosto de 2023

Dono de bar é preso suspeito de mandar matar garota de programa em Balsas; assassino está foragido

A vítima foi morta no dia 11 de junho, com uma facada nas costas, na altura do tórax. A motivação do crime seria a suspeita de que a vítima teria roubado o bar do investigado.

Um homem, identificado como Raimundo Nonato Rocha Borges, foi preso, na tarde dessa sexta-feira (4), suspeito de ter mandado matar uma garota de programa, identificada como Vitória Vivian da Silva Pimentel, de 22 anos, na cidade de Balsas, a 802 km de São Luís.

O crime ocorreu no dia 11 de junho deste ano, por volta das 22h, na Rua Treze, no bairro Açucena. Raimundo Borges é dono de um bar.

Segundo a Polícia Civil do Maranhão, a vítima foi encontrada morta com um ferimento de arma branca nas costas, na altura do tórax. O assassino foi identificado como Edivan Antunes.

Segundo as investigações, Vitória Vivian, que vivia em situação de rua e trabalhava como garota de programa, foi atraída por um homem para um local deserto, com o pretexto de realizarem um programa sexual.

No momento em que a vítima estava tirando a roupa, ela foi atingida por um golpe de faca nas costas. Vitória Vivian morreu ainda no local.

Após o assassinato, o homem fugiu do local de bicicleta, e se desfez das roupas sujas de sangue em um bar de propriedade do suposto mandante do crime. Em seguida, o assassino tomou rumo ignorado.

Ainda de acordo com as investigações, a motivação do crime seria a suspeita do suposto mandante de que a vítima teria furtado o bar de propriedade dele, na madrugada do dia 10 de junho. Do estabelecimento foi roubado um celular, dinheiro, cervejas e uma maquininha para pagamento de cartões.

A Polícia Civil aponta que o suspeito de ser executor do crime, que está foragido, era funcionário do bar do suposto mandante e, parte do dinheiro roubado do estabelecimento, seria utilizado para seu pagamento mensal.

Com base nas provas obtidas, a Polícia Civil do Maranhão representou pela prisão dos suspeitos de ser mandante e executor do crime. O pedido foi acatado pelo juízo da 4ª Vara da Comarca de Balsas, que determinou a prisão temporária dos investigados.

Os policiais civis da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Balsas conseguiram cumpriu apenas o mandado de prisão contra o dono do bar. Já o suspeito de ser o executor do crime continua foragido da Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário