Rádio Voz do Maranhão

quarta-feira, 18 de outubro de 2023

Coronel que matou músico será julgado nesta quinta-feira em São Luís

O crime aconteceu na noite do dia 15 de fevereiro de 2018, na residência do coronel reformado Walber Pestana.

 Está marcado para ocorrer, nesta quinta-feira (19), o julgamento de Walber Pestana da Silva, coronel reformado da Polícia Militar que é acusado de assassinar o músico Davi de Sousa Bugarin de Mello. O crime aconteceu na noite do dia 15 de fevereiro de 2018, na residência do coronel reformado.

De acordo com as investigações, a vítima também morava na residência onde aconteceu o crime, e era namorado da filha do acusado, identificada como Ingrid Raiane da Silva. Davi Burgarin era músico e proprietário de uma casa de shows localizada no Centro histórico da capital.

O julgamento está marcado para às 8h30, no salão de sessões do 3º Tribunal do Júri de São Luís, no Fórum Des. Sarney Costa (Calhau) e será presidido pelo juiz José Ribamar Goulart Heluy Júnior, titular da 4ª Vara do júri. A acusação será feita pelo promotor Samaroni Maia e pelos advogados assistentes, Glauber Coqueiro Pereira e Sebastião Albuquerque Uchoa Neto. O réu será defendido pelo advogado Ângelo Rios Calmon.

Circunstâncias

De acordo com o processo do caso, a filha do tenente-coronel havia viajado para Recife, para passar o carnaval de 2018, sem comunicar ao

namorado, fato que teria causado ciúmes no músico. Quando Ingrid retornou de viagem, o casal teve uma série de discussões. Segundo relatam os autos, no início da noite do dia 15 de fevereiro de 2018, Walber Pestana da Silva, ao chegar em sua residência se deparou com Davi tentando arrombar a porta do banheiro da casa, onde Ingrid havia se trancado para se proteger de agressões do namorado.

Ainda segundo os relatos, o tenente-coronel tentou fazer com que Davi se acalmasse, o que não aconteceu. O pai de Ingrid, então, disparou um tiro que atingiu a porta do banheiro. Em seguida, ele atirou novamente e dessa vez acertou Davi. O tenente-coronel teria arrastado Davi para a

calçada da residência, segundo seu depoimento, para que a vítima fosse

socorrida.

Em seguida, Ingrid e a mãe dela levaram Davi para o hospital, mas ele não resistiu e morreu. Walber Pestana foi denunciado pelo Ministério Público (MP) por homicídio simples. Ele não foi preso em flagrante e dias após o crime, apresentou-se à delegacia onde prestou depoimento e responde o processo judicial em liberdade.

O assassino chegou a ser absolvido do crime

A audiência de  instrução e julgamento do processo foi realizada  pela 3ª Vara do Tribunal do Júri em no dia 21 de agosto de 2018. Foram ouvidas 12 testemunhas e interrogado o acusado Walber Pestana da Silva.

No dia 18 de junho de 2020, o juiz José Ribamar Goulart Heluy Júnior proferiu sentença de absolvição sumária, reconhecendo que o acusado agiu sob o manto da excludente de ilicitude da legítima defesa.

Porém, no dia 2 de novembro de 2022, o recurso contra a sentença de absolvição sumária foi provido pela 2ª Câmara Criminal do TJMA, reformando-a e pronunciando o réu para ser submetido ao júri popular,

que será realizado amanhã (19).

...........................

Postagens relacionadas:

Músico é assassinado por coronel reformado da PM em São Luís

Velório do músico assassinado por militar é realizado no Asilo de Mendicidade; sepultamento será neste sábado (17)

Tenente-coronel da PM que matou músico se apresenta à polícia e em seguida é liberado

Familiares e amigos do músico assassinado por tenente-coronel da PM realizam caminhada neste domingo


4 comentários:

  1. Se fosse o filho de alguém do STF o coronel ia pra gaiola. Mas nesse caso ai não vai dar em nada.

    ResponderExcluir
  2. Sebo assassino fosse civil pegaria 30 anos mas é Coronel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai dar em nada! Eita Brasil. TJMA parcial!

      Excluir
  3. Rapaz se foi pra não ver a filha apanhar.errado ele não tá

    ResponderExcluir