Rádio Voz do Maranhão

terça-feira, 30 de janeiro de 2024

Mulher morre eletrocutada após dormir com o celular ligado à tomada em Santa Rita

Uma mulher identificada como Fernanda Alves de Souza, 32 anos, morreu eletrocutada, na madrugada dessa segunda-feira (29), na zona rural de Santa Rita, a 80 km de São Luís.

Segundo informações da Polícia Militar, Fernanda teria dormido com o celular ligado à tomada.

Ela estava sozinha em sua residência no povoado Olhos D’Água, quando foi encontrada morta, com o corpo com marcas de queimaduras. 

O aparelho pode ter superaquecido, explodido e pegado fogo, com a vítima ainda dormindo.

Uma equipe do Serviço Móvel de Urgência (SAMU) este no local, mas Fernanda já estava sem vida.

Cuidados ao usar celular enquanto ele carrega

1. Tire o celular da tomada durante chuvas fortes e de longa duração

Durante tempestades, é possível que um raio atinja a rede elétrica da casa, gerando uma grande tensão que pode chegar até o celular. Há risco de choque se alguém estiver usando o telefone.

Por isso, evite usar o aparelho conectado na tomada durante chuvas.

2. Use carregador e cabos originais

Os carregadores originais dos smartphones e outros produtos eletrônicos passam pela certificação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e contam com um selo.

Eles possuem componentes mantém uma tensão muito baixa para dar choque. É a opção mais segura para carregar o aparelho em qualquer circustância.

Carregadores paralelos que não são certificados ou recomendados pelas próprias fabricantes podem não ter alguns itens de segurança, além de possivelmente passarem mais carga do que o recomendado.

Evite ainda o uso de adaptadores e muito cuidado com tomadas com mau contato.

3. Bateria também original

É importante também que a bateria instalada no aparelho seja original. Versões paralelas não passam pelas certificações de segurança.

Fique atento com a expansão da bateria – se reparar que o celular está "inchado" ou que alguma parte da tela levantou, deixe de usar o telefone e o leve até uma assistência técnica. Os componentes químicos da bateria podem vazar e causar até explosões.

Fique de olho também na temperatura: se o aparelho estiver esquentando mais do que o normal, procure um especialista.

4. Não deixe o celular carregando debaixo de um travesseiro

É muito importante nunca abafar o celular enquanto ele estiver carregamento. Por isso, não deixe o aparelho de baixo de um travesseiro, cobertor ou até mesmo do seu corpo enquanto ele estiver na tomada.

Isso porque o aparelho naturalmente esquenta durante a carga e se não tiver ventilação adequada, pode superaquecer e causar problemas na bateria que geram risco à vida, como explosões.

Quando for dormir, deixe o aparelho longe de você e de objetos inflamáveis. É importante que você não seja pego de surpresa ou que corra grandes riscos caso ocorra um incêndio, por exemplo. São casos raros, mas a precaução é chave.

5. Em caso de telefonema, desconecte o celular do carregador

Caso aconteça algum acidente e o aparelho sofra uma descarga elétrica, ele não estará perto do seu rosto. Também é uma boa ideia não usar fones de ouvido com fio durante o carregamento.

6. Não carregue o celular em locais úmidos, como banheiro

Para evitar choques, não coloque o telefone para carregar em locais úmidos, como próximo a uma pia, banheira ou chuveiro. Também é importante não conectar ou desconectar o carregador com as mãos molhadas.

7. Se o aparelho estiver na tomada, procure usar calçado de borracha

A borracha é um material isolante e pode proteger de eventuais choques elétricos.

Um comentário:

  1. A investigação da Polícia Federal sobre o esquema de espionagem ilegal montado na gestão de Alexandre Ramagem na Abin (Agência Brasileira de Inteligência) colheu indícios de que o vereador Carlos Bolsonaro, filho do ex-presidente Jair Bolsonaro, era abastecido com informações da agência.

    A PF detectou, por exemplo, que Carlos Bolsonaro recebia informações sobre inquéritos em andamento da própria Polícia Federal. A PF também investiga se a Abin produziu dossiês para atender aos interesses de Carlos.

    Essas informações seriam repassadas pelo próprio Ramagem, de acordo com os elementos colhidos até agora nas investigações. Ele comandou a Abin durante o governo de Jair Bolsonaro.

    Elegeram um jumento, o jumentinho que mandava e desmandava.

    ResponderExcluir