terça-feira, 27 de novembro de 2018

Líder do assalto ao BB de Bacabal está entre os mortos em confronto com a PM; ele é irmão de “Zé de Lessa”, chefão do “Bonde do Maluco”, de Salvador

"Zé de Lessa" comanda o "Bonde do Maluco", de Salvador; o irmão dele, Edielson Lumes, morreu no confronto com PMs em Bacabal

Um dos três mortos em confronto com a Polícia Militar do Maranhão durante um assalto a banco na cidade de Bacabal, a 250 km de São Luís, é um bandido baiano, irmão de José Francisco Lumes, o “Zé de Lessa”, fundador da facção criminosa Bonde do Maluco (BDM).

O irmão de “Zé de Lessa” foi identificado como Edielson Francisco Lumes, que foi morto ao lado de outros dois bandidos quando se encontravam fazendo o cerco ao quartel da PM em Bacabal. Os três foram surpreendidos por policiais do COSAR, grupo de elite especializado em combater assaltos a bancos, e atingidos com tiros de fuzis nos olhos.

Os outros dois assaltantes mortos foram Gean Martins Rocha, de 40 anos, de Amargosa, interior da Bahia, que seria subchefe da quadrilha, e Warley dos Reis de Souza, conhecido pelos alcunhos de “Paulista” ou “Bombado”, de Castanhal, no Pará.

“Portanto, são bandidos da Bahia associados a bandidos do Tocantins e a bandidos daqui para praticar essas ações. É uma modalidade conhecida como 'novo cangaço', que usa extrema violência e busca matar policiais. Não vamos permitir isso aqui no Estado do Maranhão; e isso custará muito caro para eles”, afirmou o secretário da Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela.

A Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) foi procurada pelo e
informou que não se pronunciaria. Questionada se haveria alguma colaboração entre as pastas, a SSP-BA disse que o trabalho é sigiloso.

A SSP-MA informou que a Polícia Militar do estado busca fugitivos por toda a região. A Polícia Civil também atua nas buscas. “Vamos buscar um por um, como já fizemos em 100% dos casos de roubo a banco. Somos o Estado que tem 300 assaltantes de banco presos e 100% dos casos elucidados com prisões ou neutralizações de bandidos”, disse Portela.

Helicóptero

Cerca de 300 policiais estão participando da operação de busca pelos fugitivos. A ação inclui buscas por meio de helicóptero. “Informo que a polícia adotou todas as providências cabíveis, inclusive com deslocamento de efetivo de cidades vizinhas. O comandante-geral da PM está na região”, disse o governador Flávio Dino, em sua conta no Twitter.

No total, foram presas oito pessoas: dois suspeitos de envolvimento com o bando, sendo que um estava recolhendo o dinheiro deixado no chão do local do roubo; e mais seis pessoas pegando o dinheiro deixado no chão após o assalto.

Perfil do BDM
Um dos cinco grupos criminosos mais atuantes na Bahia, e considerado o mais violento, o Bonde do Maluco (BDM) surgiu em 2015 no pavilhão V do Presídio Salvador, no Complexo Penitenciário da Mata Escura. Liderada pelo assaltante de banco José Francisco Lumes, o Zé de Lessa, que está foragido, o grupo nasceu como uma ramificação da facção Caveira, comandada por Genilson Lima da Silva, o Perna, atualmente preso no Presídio Federal de Catanduvas, no Paraná.

Entre inúmeras tentativas para prendê-lo, Zé de Lessa, apontado como chefão do BDM, foi o principal alvo da Operação Sapucaia, realizada em abril de 2016 pela Polícia Federal na Bahia e no Mato Grosso do Sul, com o objetivo de cumprir 13 mandados de prisão. Ele é o ás de ouros do Baralho do Crime da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), ferramenta que reúne os principais criminosos do estado.

O bandido foi caçado em Mato Grosso do Sul, na fronteira com o Paraguai. Dos 13 mandados de prisão, a Polícia Federal conseguiu cumprir oito. Alguns deles, dentro do próprio sistema penitenciário baiano. O alvo da operação é apontado pela polícia como o maior distribuidor de drogas da capital e do interior, com especialidade em assalto a bancos e a carros-fortes.

Zé de Lessa começou na vida do crime fazendo assalto a instituições financeiras. Foi preso algumas vezes e a última vez que saiu da prisão foi para terminar de cumprir a pena no regime domiciliar. Desde então, foi morar na cidade de Coronel Sapucaia, no Mato Grosso do Sul, divisa com o Paraguai, de onde começou a enviar carregamentos de drogas para abastecer sua quadrilha na Bahia.

Ele criou o BDM dentro da cadeia e logo a facção passou a ganhar destaque. Tornou-se o principal rival do grupo criminoso Katiara, comandada por Roceirinho, e passou a disputar pontos de droga com o rival. Ele tem entre seus principias comparsas alguns parentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...