São João 2019

São João 2019

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Executivos da OAS delatam pagamentos de R$ 125 milhões a Lobão e mais 20 políticos


Oito funcionários de uma das maiores empreiteiras do país, a OAS, homologaram delação no Supremo Tribunal Federal (STF) em que afirmam que a empresa distribuiu entre 2010 e 2014 cerca de R$ 125 milhões em propinas e repasses de caixa dois a pelo menos 21 políticos de oito partidos. Entre eles, o ex-senador Edison Lobão (MDB).

De acordo com a delação, o ex-senador do Maranhão recebeu R$ 2,1 milhões por obras na Usina de Belo Monte, em Minas Gerais. Os funcionários do setor revelaram os nomes dos políticos, as campanhas financiadas irregularmente, as obras superfaturadas para alimentar o caixa clandestino da empreiteira e o método de funcionamento do esquema.

É a primeira vez que integrantes da OAS explicam como funcionava o sistema de propinas da empreiteira. O esquema ilegal da construtora envolvia o superfaturamento de obras emblemáticas, como estádios da Copa de 2014, a transposição do Rio São Francisco, o Porto Maravilha, no Rio, e a Ferrovia de Integração Oeste-Leste, além de empreendimentos no exterior. Uma parte desses recursos extras seria posteriormente repassada aos políticos.

A lista de beneficiários elencada pelos delatores é multipartidária e reuniria alguns dos mais proeminentes políticos do país no período. Além de Lobão, estão entre os acusados de receber propina o senador Jaques Wagner (PT) e o ministro Vital do Rêgo, do Tribunal de Contas da União (TCU), além do ex-governador Fernando Pimentel (PT-MG), e o ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ). Vários outros teriam recebido caixa dois, entre eles o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o senador José Serra (PSDB-SP), o deputado Aécio Neves (PSDB-MG), o ex-prefeito Eduardo Paes e o ex-governador Sérgio Cabral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...