quinta-feira, 19 de março de 2020

Maranhão suspende transporte interestadual de passageiros via ônibus a partir de sábado

Segundo o governador Flávio Dino, a exceção são os transportes de regiões integradas ou metropolitanas que abranjam outro estado

Para reduzir a circulação de pessoas no Estado e evitar a entrada do novo coronavírus, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) decidiu suspender o transporte interestadual de passageiros via ônibus. O Estado ainda não tem nenhum caso confirmado da nova doença.

“É uma barreira para a diminuição de circulação de pessoas”, disse Dino. A medida passará a valer a partir de sábado.

O governador quer monitorar a entrada de pessoas que chegam pelos aeroportos, mas o Estado não teve autorização do governo federal para fazer essa ação.  “Já temos equipes preparadas e termômetros comprados. Vamos entrar na Justiça amanhã”, afirmou.

“Coronavírus: tendo em vista ampliação de casos em outros Estados, e reforçando medidas de proteção, vamos suspender, a partir de sábado, o transporte INTERESTADUAL de passageiros via ônibus e similares. Lembro que, a princípio, aeroportos estão sujeitos à decisão federal. Informo que haverá exceção no caso de regiões integradas ou metropolitanas que abranjam outro estado, como o decreto vai dispor. Será divulgado ainda hoje”, anunciou o governador nas redes sociais.

Dino deve ainda decretar calamidade pública no Estado. Apesar de não haver casos de coronavírus, o governador diz que o Maranhão está sofrendo com casos de H1N1 e enchentes. “Estamos vivendo uma situação difícil”, afirmou.

Nesta quinta-feira, 19, a Justiça Federal da autorizou o governo Rui Costa (PT) a implantar uma barreira sanitária nos aeroportos baianos para inspecionar tanto voos internacionais quanto nacionais vindos de São Paulo e Rio de Janeiro. O governo baiano recorreu à Justiça depois de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) barrar a atuação de agentes estaduais nas aeronaves para medir a temperatura dos passageiros.

Conforme informou nesta quinta o jornal O Estado de S. Paulo, nos aeroportos internacionais de Brasília e Guarulhos não tem sido feita nem triagem nem verificação mais cuidadosa da situação dos passageiros que chegam da Europa e dos Estados Unidos. Segundo a Anvisa, até o momento “não há indicação de fazer qualquer tipo de controle de temperatura nos viajantes em aeroportos”.

Com informações de O Estado de S. Paulo


Nenhum comentário:

Postar um comentário