sábado, 28 de maio de 2022

Ônibus pega fogo e fica completamente destruído em São Luís

Na noite desta sexta-feira (27), um ônibus da linha Ribeira/Maracanã pegou fogo e ficou completamente destruído, em frente ao Terminal do Distrito Industrial, na BR-135, em São Luís.

As primeiras informações apontam que o fogo teria começado no motor e depois se espalhou pelo veículo.

Uma passageira relatou que estava próxima ao motor e sentiu um aumento brusco de temperatura, com o motorista se esforçando para conseguir engatar uma marcha. Em poucos instantes, o motor começou a pegar fogo. Os passageiros conseguiram sair antes de o fogo tomar conta de todo o ônibus.

Equipes do Corpo de Bombeiros chegaram ao local e apagaram o incêndio, mas houve perda total.

Ninguém ficou ferido e as causas do incêndio ainda serão investigadas, mas podem estar relacionadas ao sucateamento da frota de ônibus em São Luís. Moradores de bairros da periferia são os mais prejudicados, pois são obrigados a se deslocar nos piores veículos.

Até a gestão passada, os ônibus com mais de 10 anos de fabricação estavam proibidos de circular, o que não ocorre agora. As ‘latas velhas’ estão liberadas para circulação.

Nos últimos anos, empresários chegaram adquirir novos ônibus, mas, por falta de pagamento, mais de 100 foram confiscados pelos bancos financiadores.


5 comentários:

  1. Até a gestão passada ouve negligência no apagar das luzes a secretaria de trânsito e transporte ainda na gestão de Caninde recebeu da justiça exigindo que fossem retirados os ônibus velhos só que não ouve isso o documento foi colocado no fundo da gaveta e empurrado com a barriga

    ResponderExcluir
  2. "MAIS PODEM ESTAR RELACIONADO COM O SUCATEAMENTO DA FROTA DE ÔNIBUS EM SÃO LUÍS."...AINDA BEM QUE ESSAS MAZELAS RECONHECE ISSO.

    ResponderExcluir
  3. EDIVALDO HOLANDA COMPROU ESSES ÔNIBUS TUDO NOVO E AGORA SE DESCOBRI QUE ESTÃO TUDO VELHO...ELE TEM QUE DEVOLVER ESSES ÔNIBUS PRAS CONCESSIONÁRIAS.ELE FOI ENGANADO.

    ResponderExcluir
  4. A volta destes ônibus velhos faz parte do acordo do atual gestor com o SET.

    ResponderExcluir