Rádio Voz do Maranhão

quinta-feira, 18 de agosto de 2022

Justiça mantém presa mulher que ateou fogo em recém-nascido após aborto em Sítio Novo do Maranhão

A mulher que não teve o nome divulgado, suspeita de abortar e queimar o recém-nascido em Sítio Novo do Maranhão, foi encaminhada para a Unidade Prisional de Davinópolis, passou por audiência de custódia na tarde dessa quarta-feira (17) e a Justiça decidiu mantê-la presa.

Pelas informações, a mulher estaria no 8º mês de gestação. Ela deve responder pelos crimes de aborto e ocultação de cadáver. As investigações seguem pela Delegacia Regional de Imperatriz, a partir do depoimento prestado pela mulher e dos resultados da perícia.

A mulher foi presa depois que a polícia encontrou o recém-nascido carbonizado, no quintal da casa onde ela mora, enrolado em um plástico e dentro de uma caixa. Foram feitas denúncias anônimas à Polícia Militar informando sobre o acontecido.

O delegado que colheu o depoimento informou que ela alega ter abortado de forma espontânea, depois de esconder a gravidez indesejada e também confessou ter ateado fogo na caixa.

Além dos depoimentos que estão sendo prestados, a polícia aguarda laudos da perícia para esclarecer o tempo de gestação, e se houve, de fato, um aborto espontâneo ou provocado.

....................

Postagem relacionada:

Mulher é presa suspeita de atear fogo e matar recém-nascido após aborto em Sítio Novo

Um comentário:

  1. Eu boto é fé na justiça, a mesma que vai mandar o Bozo pra cadeia.

    ResponderExcluir