Rádio Voz do Maranhão

quarta-feira, 2 de agosto de 2023

Bandidos que roubaram R$ 80 mil de empresário chinês em São Luís são procurados pela polícia; eles são investigados por crimes semelhantes em SP e RJ

 O crime foi praticado no dia 23 de maio deste ano, tendo como vítima um empresário chinês, de 31 anos. Da residência da vítima foi levada a quantia de R$ 60 mil em espécie e mais R$ 20 mil em objetos de valor.

Nathan Galloni Camillis, Carlos Vinícius Teixeira Santos e
Lucas Gabriel Oliveira Nogueira são procurados pela polícia

A Polícia Civil do Maranhão está à procura de três homens, suspeitos de roubar a residência de um empresário, em um condomínio de luxo, no bairro Cohama, em São Luís, no dia 23 de maio deste ano.

A vítima foi um empresário chinês, de 31 anos. Os bandidos roubaram a quantia de R$ 60 mil em espécie e mais R$ 20 mil em objetos de valor.

Os suspeitos investigados foram identificados como Nathan Galloni Camillis, Lucas Gabriel Oliveira Nogueira e Carlos Vinícius Teixeira Santos. Eles têm mais de 10 passagens pela polícia nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro, por crimes da mesma natureza.

Segundo o delegado Luciano Bastos, titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) de São Luís, que investiga o caso, o trio é integrante de uma organização criminosa interestadual, especializada em roubos em apartamentos de luxo.

 “Entramos em contato com outros Estados da federação, no intuito de verificar possíveis ocorrências similares. E a Polícia Civil do Estado de São Paulo, a partir das imagens (dos suspeitos) que conseguimos repassar pra eles, conseguiram identificar esses indivíduos, porque já foram investigados em várias outras ocorrências. Conseguimos a qualificação desses indivíduos, representamos pela prisão preventiva deles, que foi decretada pelo Poder Judiciário. Contudo, não conseguimos localizar, ainda, esses indivíduos, que se encontram na condição de foragidos da Justiça”, explicou o delegado.

Ainda de acordo com o titular da DRF, os criminosos conseguiram burlar o sistema de segurança do condomínio e, tudo indica que eles tinham informações privilegiadas sobre a vítima, sabendo, inclusive, sobre o alto valor em dinheiro que ela tinha na residência.

“São indivíduos que já têm essa prática, eles têm essa habilidade de entrar nos apartamentos se utilizando de falhas na segurança. Então, conseguiram entrar no condomínio e foram até o apartamento da vítima. Eles já tinham conhecimento do apartamento exato da vítima, informações privilegiadas. E lá eles abordaram a vítima, amarraram e fizeram o ‘raspa’, como se diz, no apartamento, levando o dinheiro, porque eles tinham informações, provavelmente, de que a vítima era comerciante, trabalhava com dinheiro em espécie. Esses comerciantes chineses lá em São Paulo, também, muitos são alvo dos criminosos”, destacou o delegado Luciano Bastos.

Ainda de acordo com o delegado, as investigações apontam que os criminosos estavam em outro Estado, próximo ao Maranhão, e chegaram em São Luís um dia antes do crime. No dia seguinte ao roubo, eles compraram passagens áreas e voltaram para São Paulo. A Polícia Civil do Maranhão suspeita que os criminosos tenham usado documentos falsos para poder saírem do Estado.

Trio foi alvo de operação da Polícia Civil no RJ

Em abril deste ano, a Polícia Civil do Rio de Janeiro realizou uma operação contra essa mesma quadrilha especializada em furtos a apartamentos na Zona Sul do Rio.

Segundo as investigações da 14ª DP no Leblon, os ladrões vinham de São Paulo e invadiam residências em Ipanema, Copacabana e Leblon atrás de joias, bolsas de grife e relógios de luxo.

Os criminosos, com documentos falsos, alugavam carros na capital paulista e dirigiam até o Rio, onde se hospedavam em hotéis. Para definir os alvos, eles tinham acesso a listas clandestinas com nomes e dados de pessoas que adquiriram esses bens.

Outra maneira de selecionar as vítimas era pelas redes sociais. Quem ostentava acabava na mira da quadrilha, que também acabava obtendo dados vazados ilegalmente com detalhes das pessoas.

Com os alvos definidos, os bandidos passavam a vigiar os endereços para encontrar brechas na segurança. Os ladrões só invadiam os imóveis se tivessem certeza de que estariam vazios — eles chegavam a ligar para telefones fixos para garantir que não havia ninguém.

Um comparsa sempre aguardava dentro do carro, pronto para uma fuga imediata, enquanto outro ficava na rua, caso a vítima retornasse.

Buscas em São Paulo

Em São Paulo, a Polícia Civil também fez buscas nas casas de alguns integrantes dessa quadrilha em abril. Os agentes foram até os bairros Várzea Paulista e Liberdade.

Foram alvos dos mandados, Roberto Quirino, Carlos Vinicius dos Santos e Nathan Galloni, os quais têm várias passagens por furtos a residências.

Dois dos três alvos da operação, Nathan Galloni e Carlos Vinícius, são os investigados pelo roubo no apartamento do empresário Chinês no Maranhão.

De acordo com a investigação, os chefes da quadrilha pertencem ao Primeiro Comando da Capital (PCC), que é de São Paulo.

Os criminosos têm até advogados que monitoram os processos em que eles são citados no Tribunal de Justiça do RJ e conseguem saber quando haverá pedido de busca ou prisão pelos furtos.

Com informações do g1 MA

Nenhum comentário:

Postar um comentário