Rádio Voz do Maranhão

domingo, 29 de outubro de 2023

Homem morre de infarto fulminante enquanto caminhava em avenida no João de Deus, em São Luís

 

Um homem, identificado apenas como ‘Bodão’, teve um infarto fulminante, no início da tarde deste domingo (29), por volta de meio-dia, no bairro João de Deus, em São Luís.

Pelas informações, o homem caminhava na Avenida Tales Neto, a principal via do bairro. De repente, ele caiu e morreu na calçada.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada e esteve no local. No entanto, ao tentar socorrer a vítima, a equipe constatou que ‘Boldão’ já estava sem os sinais vitais.

O corpo está sendo removido para Instituto Médico Legal (IML), onde será autopsiado. ‘Bodão’ era morador antigo do bairro João de Deus.

Morte súbita tira a vida de 250 mil a 300 mil pessoas por ano no Brasil 

A morte súbita é aquela inesperada, que ocorre até uma hora após o início dos sintomas, podendo ser instantânea. Estima-se que faça 250 mil a 300 mil vítimas por ano no Brasil, um número maior que a soma das mortes por câncer de mama, doenças pulmonares e acidentes. O risco aumenta com a idade e é mais elevado em homens. A morte súbita é causada por uma parada cardíaca, quando, devido a uma arritmia grave, o coração repentinamente interrompe o bombeamento de sangue para o cérebro, pulmões e demais órgãos. A vítima sofre um colapso, para de respirar e seu pulso não pode ser encontrado.

Quanto antes a situação for reconhecida e tratada, maior é a chance de sobrevivência. Infelizmente, porém, menos de 10% das pessoas sobrevivem a uma parada cardíaca. Portanto, é fundamental prevenir suas causas potenciais.

Causas e mecanismos

Em 80% dos casos, a parada cardíaca está relacionada à doença coronariana, em que uma placa de colesterol se forma nas artérias do coração, um processo chamado de aterosclerose. A placa pode comprometer o fluxo de sangue quando há maior demanda (exercício e stress emocional) ou quando se forma um trombo obstrutivo, como durante um infarto. A diminuição do fluxo sanguíneo pode desencadear uma arritmia.

Em pessoas com menos de 40 anos, prevalecem causas genéticas, como miocardiopatia hipertrófica e síndrome do QT longo. São doenças caracterizadas por um defeito no músculo cardíaco e/ou na conexão elétrica entre as células do coração.

Grupos de risco 

Pacientes com as seguintes condições tem maior chance de sofrer uma parada cardíaca:  

— Doença coronariana

— Arritmias cardíacas

— Doenças do músculo cardíaco (miocardiopatias)

— Insuficiência cardíaca

Sinais de alerta

Sintomas de dor no peito, falta de ar, palpitações (sensação do coração bater irregular ou acelerado) e desmaios são sinais de doença cardíaca e devem ser avaliados por um cardiologista. Em ao redor de 10% das vezes, contudo, a morte súbita é a primeira manifestação da doença, tornando a prevenção e os exames de rotina fundamentais.

Como diminuir o risco?

1) Combate aos fatores de riscos para aterosclerose: hipertensão, diabetes, colesterol elevado, sedentarismo, tabagismo. Alimentação saudável, exercício e acompanhamento periódico são a base da prevenção.

2) Procurar atendimento se houver sintomas.

3) Quando a doença é avançada, podem ser indicadas medicações específicas, procedimento de ablação por cateter para eliminar os focos de arritmias e/ou implante de cardiofesfibrilador para detectar e reverter arritmias fatais de forma automática. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário