Rádio Voz do Maranhão

quarta-feira, 27 de dezembro de 2023

Mulher é morta pelo companheiro com golpes de facão na frente das duas filhas na Vila Embratel, em São Luís

Uma mulher identificada como Adriana Sousa Silva, de 41 anos, foi morta a golpes de facão pelo companheiro, Claudson da Cruz Silva, de 40 anos, na manhã desta quarta-feira (27), no Residencial Piancó, no bairro Vila Embratel, na área Itaqui-Bacanga, em São Luís. O crime aconteceu dentro do apartamento onde viviam, na presença das duas filhas do casal.

De acordo com a Polícia Militar, as duas filhas do casal presenciaram o início das agressões e chamaram os policiais, que só chegaram após o crime. As investigações apontam que a briga começou após o suspeito pedir dinheiro para comprar drogas.

Ao chegar no local, os PMs encontraram Claudson no apartamento. Ele chegou a reagir à prisão e foi baleado com três tiros. O assassino foi socorrido e levado ao Hospital Djalma Marques, o Socorrão.

O feminicídio ocorreu no apartamento do casal no Residencial Piancó, na Vila Embratel, em São Luís

"Ele partiu para cima da guarnição que teve que efetuar três disparos, sendo dois que atingiram a perna e a altura do estômago. Ele cometeu o feminicídio com esse facão e com esse mesmo objeto, ele tentou contra a vida dos policiais", explicou o Tenente-Coronel Diógenes, comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar.

A morte de Adriana Sousa Silva foi confirmada pela PM às 7h, cerca de três horas após o crime. O Instituto Médico Legal (IML) esteve no local para fazer perícias.

Segundo a Polícia Militar, familiares e vizinhos do casal relataram que eles tinham histórico de violência doméstica. Após o crime, uma das filhas do casal, que ainda é menor de idade, saiu amparada do condomínio por familiares.

"A informação que a gente tem até agora dos familiares e vizinhos que já tem um histórico de violência. Só que dessa vez, chegou a esse ponto", disse o comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que Claudson está passando por procedimento cirúrgico no Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão 1), em São Luís. O estado de saúde dele é considerado grave.

Com a morte de Adriana, subiu para 48 feminicídios registrados em São Luís. Oito deles foram registrados na Região Metropolitana de São Luís.

9 comentários:

  1. Decio alargador de anônimo28 de dezembro de 2023 às 07:08

    Tem um espectro político aí que tá doidinho pra legalizar as drogas e gosta de passar a mão na cabeça da bandidagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Décio tudo bem ? Sou eu, o Dr. Roberto, passa aqui no consultório para tratar sua fístula anal, adquirida durante os dias acampamento na praça Duque de Caxias, no João Paulo.

      Obs: Solicito a sua presença com urgência, seu caso é grave, seu arrombado!

      Excluir
  2. As drogas vem pra matar e destruir lares ainda querer legalizar isso só nesse desgoverno mesmo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Drogas né? E a cerveja que tu bebe, álcool não é droga ? Corno !

      Excluir
  3. As milicias do RJ espalham muitas drogas e armas pelo Brasil, nas motociatas o uso era exagerado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Outro petista alíenado

      Excluir
    2. Direitopata, gado, corno, trocador de cú em motociata detectado.

      Excluir
  4. As vezes a mulher não quer mais o cara mas ele não se conforma que perdeu. Atualmente no Brasil tem milhões que não se conformam com a derrota, muitos foram presos mas tem muitos soltos continuando a cometer crimes, agredindo os outros em redes sociais.

    ResponderExcluir
  5. Conheço um cara que foi protestar na porta do quartel, quando voltou pra casa a mulher tava grávida, resultado: tá criando o menino!

    ResponderExcluir