Rádio Voz do Maranhão

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024

Empresário Alessandro Martins é preso preventivamente por desacatar policiais; veja a decisão judicial

O juiz Rogério Pelegrini Tognon Rondon, da Central de Custódia, reavaliou a sua decisão e decretou a prisão de preventiva de Alessandro Martins de Oliveira. Nessa quarta-feira, 21, Rondon havia indeferido o pedido de preventiva no processo que envolve acusações de diversos delitos, e autorizado uma medida de busca e apreensão domiciliar. Com novos elementos fornecidos pela polícia, ele decidiu decretar a prisão.

Durante o cumprimento do mandado de busca, Alessandro Martins se alterou e teria desacatado os policiais que cumpriam a medida. Ele então foi levado para a delegacia, a fim de ser feito um TCO – Termo Circunstanciado de Ocorrência. Com as imagens feitas no local do cumprimento do mandado, os delegados entenderam que o TCO deveria ser transformado em auto de prisão em flagrante.

Com os novos elementos, foi feito um novo pedido de prisão para Alessandro Martins e encaminhado ao juiz prevento, no caso, Rogério Rondon, que reexaminou a decisão e decretou a prisão de Alessandro Martins.

Martins é investigado por crimes como invasão de domicílio, agressão física e verbal, além de ameaças e ofensas nas redes sociais. Segundo relatos das vítimas e provas apresentadas pela Autoridade Policial, Alessandro teria cometido tais atos.

A primeira decisão do juiz Rondon, indeferindo o pedido de prisão do empresário, levou em consideração o fato de Alessandro não possuir antecedentes criminais e ter residência fixa, além da não gravidade dos delitos investigados. Contudo, a busca domiciliar foi autorizada com base em evidências que indicam a materialidade dos crimes e indícios de autoria por parte do acusado.

No momento da busca e apreensão, Alessandro Martins desacatou os policiais e foi levado para a delegacia para que fosse feito um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência).

O TCO, no entanto, diante das imagens mostradas aos delegados pelos policiais no momento do cumprimento do mandado, foi transformado em auto de prisão em flagrante, Alessandro foi levado para a Central de Custódia, onde permaneceu até a decretação de sua prisão, depois que a Polícia ofereceu novos elementos à justiça.

Confira a decisão:











2 comentários:

  1. A Justiça fazendo seu trabalho corretamente, mais um Bosta preso!

    ResponderExcluir
  2. O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) ficou em silêncio, nesta quinta-feira 22, em seu depoimento à Polícia Federal sobre a trama golpista de 2022. A oitiva durou cerca de 15 minutos.

    Na saída da sede da PF, em Brasília, o advogado Fábio Wajngarten alegou que o ex-capitão nunca foi “simpático” a movimentos antidemocráticos.


    A defesa já havia adiantado que Bolsonaro ficaria calado diante dos investigadores da PF, sob o argumento de que seus advogados não teriam acesso à íntegra dos autos. A versão é contestada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, que rejeitou pedidos para adiar a oitiva.

    Ex brabão, falastrão, agora caladão e mijão, vive mijando nas calças.

    ResponderExcluir