Mais Asfalto

Mais Asfalto

terça-feira, 7 de março de 2017

Geólogos recorrem ao MP contra desmatamento na reserva do Batatã; área foi transferida para pessoa física pela Caema em 2008

Área desmatada foi arrematada em Leilão
pela empresa Piripiri Construções
A Associação dos Geólogos do Estado do Maranhão (Agema) encaminhou ofício ao Ministério Público, no dia 14 de fevereiro deste ano, denunciando a transferência irregular de uma área do Parque Estadual do Bacanga, à margem da Avenida dos Franceses, que agora está sendo alvo de desmatamento.

De acordo com o documento, a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) transferiu para pessoa física a posse de uma fração da área primitiva da unidade de conservação do Parque Estadual do Bacanga, conforme zoneamento da Revisão do Plano de Manejo 2002. Essa transferência teria ocorrido na gestão do engenheiro Rubem Brito, no governo Jackson Lago.
 
A Agema destaca que a área é estratégica para conservação e preservação dos recursos hídricos genuinamente ludovicense. Sua ocupação promoverá impactos severos sobre a área de recarga e de proteção sanitária aos poços tubulares da própria concessionária e áreade APP – Área de Preservação Permanente do Rio das Bicas.

Por fim, a associação requer que a denúncia seja juntada aos autos do Processo nº 3202/2008 – Ação Civil Pública.

Segundo informações passadas ao blog, a área teria sido dada como garantia pela Caema  e foi levada a leilão, sendo arrematada pela empresa Piripiri Construções.

Ao tomar conhecimento da devastação, o Batalhão Florestal fez notificação e apreendeu as máquinas que estavam sendo utilizadas na ação de desmatamento.

Com mais essa forte agressão, o movimento em favor da preservação do Parque Estadual do Bacanga ganha força.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...