Rádio Voz do Maranhão

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Raimundo Cutrim nega que seja um dos mandantes do assassinato de Décio Sá


Raimundo Cutrim ficou surpreso com o
depoimento de Jr. Bolinha
Surpreso com o surgimento de seu nome na trama para assassinar o jornalista Décio Sá, o deputado estadual Raimundo Cutrim(DEM) conversou com a reportagem do blog, em seu gabinete, e descartou qualquer envolvimento com a quadrilha de Júnior Bolinha, que teria contratado o pistoleiro de aluguel. O nome de Cutrim foi citado no depoimento que Jhonatan Silva prestou aos delegados que investigam esse crime, e que vazou à imprensa na manhã desta quinta-feira(21).

Ao blog, o deputado disse que jamais participaria de uma ação criminosa, pois, na condição de delegado federal, sempre combateu o crime organizado. “Todos conhecem a minha conduta como deputado e delegado federal. Sempre combati o crime por onde passei, desde que comecei em 1985, em Imperatriz, passando pelo Pará, Rondônia e Roraima. Isso é um absurdo! Quem não deve, não teme. Eu não tenho do quê me defender. Vou me defender de quê?”, disse Cutrim.

O deputado disse, ainda, que está à disposição para que o investiguem, além de estar disposto a permitir que quebrem seu sigilo telefônico, bancário e fiscal.

Mesmo negando envolvimento com a morte de Décio Sá, o deputado admite a amizade com o empresário Júnior Bolinha, de quem teria alugado máquinas para a construção de um açude em um sítio de sua propriedade. “Eu conheci o Júnior Bolinha na metade do ano passado, quando precisei alugar algumas máquinas dele para a construção de um açude em um sítio de minha propriedade. Aluguei máquinas também de outras pessoas como Jacimário, Nilton e Eduardo. Depois desse aluguel de máquinas, ficamos com um relacionamento, tudo relacionado a sítio”, afirmou.

Quando perguntado se tinha algum problema com o jornalista Décio Sá, o deputado disse que sempre teve um bom relacionamento com imprensa. Mesmo que o jornalista publicasse alguma coisa que não o agradava, relevava porque vivemos numa democracia. “Mesmo que eu não gostasse de alguma coisa que ele publicava no blog, eu não tinha motivos para fazer isso, pois vivemos numa democracia. Sempre que eu ia às casas do Ricardo (Secretário de Saúde) e do Edmar (Presidente do TCE) ele (Décio) estava por lá e eu até falava com ele”, finaliza Cutrim, acrescentando que espera ser chamado pelos delegados que investigam o caso para prestar todos os esclarecimentos.

Texto publicado também no Blog do Gilberto Lima no Portal Meio Norte/Teresina
deputado-raimundo-cutrim-nega-participacao-na-trama-para-eliminar-o-jornalista-decio

2 comentários:

  1. isso tudo pq estamos em ano de politica

    ResponderExcluir
  2. o caso do sá,ainda tá uma agulha no palheiro...faltou o depoimento de ricardo silva o (carioca),que era uma grande peça no jogo...(não acredito que o tal esteja morto,acredito essa morte foi um grande trama.foi igual a saída dele do são domingos,teve a saída como morto...

    ResponderExcluir