Rádio Voz do Maranhão

segunda-feira, 2 de janeiro de 2023

Flávio Dino promete punir extremistas e descobrir quem mandou matar Marielle

Ex-governador do Maranhão, o senador eleito Flávio Dino (PSB) tomou posse como ministro da Justiça com um discurso forte, sinalizando uma mudança de rumo em relação à gestão de Jair Bolsonaro (PL).

Ele exaltou o Judiciário, prometeu proteger os mais pobres e as minorias, pregou o desarmamento e se comprometeu em elucidar o Caso Marielle. Dino falou que comandará um "ministério da paz, da pacificação nacional", mas provocou bolsonaristas que pediram um golpe militar para impedir que Lula assumisse a Presidência da República.

Em um discurso de aproximadamente 25 minutos, Dino foi enfático na defesa da democracia e na promessa de punir crimes cometidos contra o Estado Democrático de Direito.

Dino elencou suas prioridades:

— Garantir o acessos à Justiça dos mais pobres e de populações marginalizadas, como negros, mulheres e LGBTQIA+

— Harmonia entre os Poderes

— Defesa da democracia

— Controle responsável do armamento

— Combate a crimes ambientais, com foco na Amazônia

Elucidar a morte da vereadora Marielle Franco, identificando os mandantes do assassinato

Principais declarações de Dino

— “Minhas primeiras palavras são de saudação à senhora chefa do Poder Judiciário do Brasil, ministra Rosa Weber. Saúdo o poder do Estado sem o qual esse momento não estaria ocorrendo, posto que foi o Judiciário brasileiro que garantiu o Estado Democrático de Direito numa hora tão dificil."

— "Ficaram no passado as palavras insultuosas, as agressões e as tentativas de intimidação do Poder Judiciário no nosso país, substituído pela harmonia e pelo diálogo."

— “Quero agradecer muito e dizer do meu orgulho de servir o governo liderado por Luiz Inácio Lula da Silva, nosso presidente da República. Que subiu a rampa e de lá governa a nossa nação. Lamento muito por todos que apostaram contra e hoje estão pagando as apostas, patrimoniais ou não."

— "Ponderação não significa fechar os olhos em relação ao que aconteceu. Ponderação significa firmeza, defesa da lei. Significa fazer com que cada um responda de acordo com suas ações e omissões. Significa não ter medo, ter voz firme quando necessário. Democracia não tem apenas o direito, mas tem o dever de se defender contra aqueles que querem destruí-la — e que não desapareceram."

— "Atos terroristas, crimes contra o Estado Democrático de Direito, incitação de animosidade entre as Forças Armadas, os poderes constitucionais e as instituições civis são crimes políticos gravíssimos. São inafiançáveis, imprescritíveis e permanentemente sobre a mesa do Ministério da Justiça, de acordo com aquilo que a lei manda."

— "A nossa sociedade não pode ser governada segundo a lei do mais forte, segundo parâmetros da guerra de todos contra todos. Armas nas mãos certas, e não o 'liberou geral' que fez com que houvesse a vulgarização de crimes nos lares, locais de trabalho e também alimento ao crime organizado no nosso país."

— "Apenas os fascistas querem exterminar quem pensa diferente. Os democratas sabem que as diferenças não são apenas toleráveis. Os democratas sabem que as diferenças são imprescindíveis, porque só assim a sociedade se engrandece".

 

Caso Marielle

Dino disse ter se comprometido com a elucidação do assassinato da vereadora Marielle Franco, morta em 2018, em conversa com sua irmã, a ministra Anielle Franco (Igualdade Racial), e com sua mãe, Marinete da Silva. A

família da vereadora estava presente na posse.

“É uma questão de honra do Estado brasileiro empreender todos os esforços possíveis e cabíveis, e a PF assim atuará, para que nós saibamos quem matou Marielle e quem mandou matar Marielle Franco naquele dia no Rio de Janeiro. Eu sei o que é perder um filho."

Ao ouvir a declaração do colega de governo, Anielle Franco chorou na plateia.

Posse disputada

Diversas autoridades prestigiaram a posse de Dino, que sai fortalecido da transição ao comandar os esforços para garantir a punição de extremistas que atacaram a sede da Polícia Federal e tentaram organizar um atentado terrorista

contra o aeroporto de Brasília.

Os presidentes dos Tribunais Superiores e autoridades do Maranhão acompanharam Dino no palanque:

— Alexandre de Moraes, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral)

— Carlos Brandão (PSB), governador do Maranhão

— Maria Cristina Pezzudi, presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho)

— Maria Thereza de Assis Moura, presidente STJ (Superior Tribunal de Justiça)

— Rosa Weber, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal

 

Na plateia, ainda o ministro do STF Ricardo Lewandowski e os governadores Fátima Bezerra (PT-RN), Ibaneis Rocha (MDB-DF), João Azevêdo (PSB-PB) e Rafael Fonteles (PT-PI), além dos ministros Silvio Almeida (Direitos Humanos) e Anielle Franco (Igualdade Racial). O ministro Gilmar Mendes chegou atrasado e o cumprimentou após a posse.

Ibaneis Rocha disse acreditar que esse será um "bom governo". Dino foi um dos novos ministros que esteve mais próximo a ele nas últimas semanas para tratar dos detalhes da posse e sobre as ameaças dos apoiadores do expresidente Jair Bolsonaro (PL).

Sobre o governo, Rocha falou sobre paz: "Vamos tratá-lo com muita paz, muita harmonia. Certamente será um bom governo", disse.

Muitos representantes do PCdoB, antigo partido de Dino, vieram prestigiar a transmissão de cargo, como os deputados Renildo Calheiros, Jandira Feghali e Perpétua Almeida. Dino deixou o PCdoB em 2021, quando ainda era

governador do Maranhão, já com a intenção de concorrer ao Senado em 2022.

Na época, ele também era cotado para ser o vice na chapa de Lula.

Quem é Flávio Dino

Advogado, Dino foi juiz federal no Maranhão por 12 anos e presidiu a Ajufe (Associação dos Juízes Federais). Até hoje mantém relação com os togados.

Foi diretor do Instituto de Direito Brasiliense, faculdade fundada por Gilmar Mendes, e é irmão do subprocurador-geral da República Nicolao Dino — que figurou recentemente em listas da ANPR (Associação Nacional dos

Procuradores da República) para o cargo de procurador-geral da República.

Elegeu-se pela primeira vez em 2006 para deputado federal pelo PCdoB do Maranhão e passou pela presidência da Embratur no governo Dilma Rousseff.

Adversário da família Sarney, tornou-se governador em 2014. Quatro anos depois conquistou a reeleição. Na última disputa, migrou para o PSB e se elegeu senador.

17 comentários:

  1. Isso mesmo Ministro, excelente começo. Botar o Bozo, seus filhos milicianos e seus seguidores psicopatas que chegaram a planejar atos terrorizaras, expondo a perigo milhares de pessoas inocentes em Brasília, deve ser o Marco a prioridade desse governo, justamente pra servir de exemplo para o resto do gado que ainda cheio de ódio pela derrota nas urnas, continuam espalhando mentiras nas redes sociais, numa forma de auto- consolo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca foi comprovado se o Bozo tinha ligação com milícia, mas hoje veio a tona uma ministra do Ladrão com um miliciano que coordenou sua campanha. Pro Bozo vale mas pro Larápio não?

      Excluir
  2. Grande Ministro. É isso aí . Mostre que no Brasil não há espaço para o facismo. Quando os trabalhos da PF acabar é só deixar cair nas Mãos do Xandão que a caneta dele está prontinha

    ResponderExcluir
  3. E por falar em caneta, ê bom lembrar que quem mostrou nesses 4 anos qual a caneta mais pesada foi o Xandão. O Inãcio Valentão que só soube latir o tempo todo, fugiu todo cagado e nem deu um thauzimho pro gado dele. 😂😂

    ResponderExcluir
  4. Mas o gado, psicótico que é por seu líder, está esperando as cuecas todas cagadas chegarem de Orlando pra lavrarem com a saliva, porque adoram o Bozo 😂😂

    ResponderExcluir
  5. Bom dia! Onde tá distribuindo picanha? Ou gasolina grátis? Alguém tem o endereço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No cú do Décio, 25 cm.

      Excluir
    2. Não fala assim do meu Presidente. Hoje comprei minha picanha
      https://cdn-cosmos.bluesoft.com.br/products/7891000014912

      Excluir
  6. Grande ministro, eu sempre perguntei, quem natou Marielle? O Brasil precisa dessa resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ele tiver raiva de quem assume a Embratur, ele vai pegar quem pode estar envolvido e que ninguém nunca desconfiou

      Excluir
  7. A picanha e a gasolina, que todos sabiam que iria subir logo após as eleições porque o marginal que perdeu nas urnas, fez tudo pra segurar os preços só até 30 de outubro, está sendo distribuída em cada casa dos bostanaristas psicopatas que até agora lambem feridas caudadas pelo Bozó que fugiu todo cagado com medo de Xandão e nem se despediu do gado 🤣🤣

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não adianta agora pai, segura o teu pepino, quem manda defender ladrão?

      Excluir
  8. Envestiga bem mais bem o Adélio. PQ a justiça não é cega ela é paga pra não, ver e nem ouvir!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Adélio todo mundo sabe quem contratou ele

      Excluir
    2. Foi a quadrilha pra fingir dar uma facada.

      Excluir
  9. Segura teu pepino, quem manda defender miliciano.

    ResponderExcluir
  10. Taca em extremistas, manda eles taparem os buracos das BRs desse país que foram abandonadas.

    ResponderExcluir