Rádio Voz do Maranhão

terça-feira, 22 de agosto de 2023

Morre “Companheiro”, o mais famoso vendedor de cachorro-quente do Centro Histórico de São Luís

A cidade de São Luís amanheceu com um sentimento de tristeza e saudade pela partida de uma figura que se tornou um verdadeiro símbolo do Centro Histórico. “Companheiro”, como era conhecido carinhosamente, faleceu aos 78 anos, na manhã desta terça-feira (22), no Hospital Socorrão 1, deixando para trás uma legião de admiradores e uma trajetória de décadas como vendedor de cachorro-quente no tradicional Beco da Pacotilha, na praça João Lisboa, proximidades do Largo do Carmo, no início da descida para a Avenida Magalhães de Almeida.

José Carlos Nunes, o "Companheiro", vendia cachorro-quente no Centro Histórico de São Luís desde os 17 anos, tornando-se uma figura histórica do local.

Por anos, "Companheiro" esteve presente no coração da comunidade maranhense, não apenas por servir cachorros-quentes saborosos, mas também por ser um ponto de encontro querido por todos. Seu carrinho era mais do que um lugar para se deliciar com uma refeição; era um espaço onde risadas, histórias e conversas fluíam livremente, criando um ambiente caloroso e acolhedor.

No agitado Beco da Pacotilha, "Companheiro" se destacava não apenas pela excelência de seus cachorros-quentes, mas também por sua personalidade gentil e seu sorriso sempre presente. Sua devoção à culinária era evidente em cada criação que saía de seu carrinho, deixando uma impressão duradoura nos paladares daqueles que o conheciam. Ele conquistou a lealdade de inúmeras pessoas ao longo dos anos, estabelecendo conexões genuínas que iam além de uma simples refeição.

O seu trabalho e importância chamaram a atenção, nos anos 1990, da então governadora Roseana Sarney, que lhe concedeu o título de comendador.

A partida de "Companheiro" deixa um vazio no Beco da Pacotilha e na cidade de São Luís como um todo. No entanto, seu legado permanecerá vivo na memória e no coração daqueles que tiveram a sorte de conhecê-lo. Seu compromisso em trazer alegria e união por meio de uma simples refeição é uma lembrança inspiradora de como a bondade pode criar laços duradouros em uma comunidade.

Amigos, familiares e clientes que se tornaram amigos devem se reunir para celebrar a vida de "Companheiro" e relembrar os momentos especiais compartilhados em seu carrinho de cachorro-quente. A cidade de São Luís perde um ícone, mas sua influência positiva e sua presença marcante continuarão a iluminar as histórias e os encontros daqueles que tiveram o privilégio de cruzar seu caminho.

Saúde debilitada

José Carlos Nunes já vinha com a saúde debilitada, estado que se agravou após a perda da esposa, Dona Zenaide. Após o falecimento da companheira, "Companheiro" mergulhou numa tristeza que só encont1rava um pouco de alento no trabalho, na conversa com os amigos no tradicional ponto do Beco da Pacotilha. "Companheiro" era um ferrenho torcedor do Moto Club de São Luís.

Fonte: O informante

4 comentários:

  1. Que Deus receba companheiro!

    ResponderExcluir
  2. Merece que o Beco da Pacotilha receba o seu nome, é o mínimo que os vereadores podem fazer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Justíssima homenagem: "BECO DO COMPANHEIRO"

      Excluir
  3. Muito boa a idéia, aprovadíssima 👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽BECO DO COMPANHEIRO

    ResponderExcluir