Rádio Voz do Maranhão

quarta-feira, 10 de janeiro de 2024

Dono de serraria é preso por suspeita de mandar matar dois guardas municipais em Junco do Maranhão

A Polícia Civil prendeu, na manhã dessa terça-feira (9), o suspeito de ser o mandante do assassinato de dois guardas em Junco do Maranhão. A prisão ocorreu em uma serraria situada no município de Amapá do Maranhão, a 287 km de São Luís, de propriedade do suspeito, que já responde a um inquérito na Polícia Federal por crime ambiental.

Ainda segundo a polícia, na serraria do investigado, de identidade não revelada, toneladas de madeiras e maquinários foram apreendidos. 

No local, outro homem foi preso por crime ambiental. Os executores do assassinato dos vigilantes, porém, ainda não foram presos.

Os guardas municipais Antônio Wilson da Silva Santos, de 53 anos, e Ailson da Paixão Torres, de 44 anos, foram mortos em Junco do Maranhão e os corpos foram encontrados no dia 3 deste mês. Há a suspeita de que as mortes os guardas tenham sido assassinados por causa de conflitos agrários.

O crime

Antônio e Ailson estavam trabalhando como vigilantes particulares em uma fazenda, que fica na Comunidade Vilela, região de Junco do Maranhão, quando saíram de moto para realizar rondas na área e desapareceram.

Os corpos foram encontrados por moradores da área, um dia depois, com sinais de violência. A moto usada pelos vigilantes também foi encontrada próximo aos corpos das vítimas.

De acordo com a polícia, os homens foram mortos a tiros, com armas de grosso calibre. Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) de São Luís, para serem periciados.

...................

Postagem relacionada

Guardas municipais são assassinados enquanto faziam segurança em fazenda, em Junco do Maranhão

2 comentários:

  1. Empresários gananciosos escravizam os pobres e não gostam de serem contrariados, a era da impunidade pra esses empresários desonestos já passou, cadeia neles.

    ResponderExcluir
  2. Garimpeiros, grandes fazendeiros que pegaram muitos dinheiro dos bancos públicos e grileiros de terras estimulados pelo desgoverno do miliciano, realmente não gostam de ser confrontados. Muitos deles até financiaram atos golpistas, fechamento de estadas, acampamentos en frente a quartéis onde ficavam os patriotarios que largavam casa, empregos, filhos e as esposinhas( e com isso levaram chifres até a cabeça estourar), tudo para não perderem o apoio do verme e se derem bem. Acabou manes. Agora é cadeia e chifre😂

    ResponderExcluir