terça-feira, 3 de novembro de 2020

Polícia fará acareação entre os vigilantes que presenciaram empresário arrastar morador de rua até a morte em São Luís

O empresário Geucimar Lima Duarte espancou e arrastou até a morte Carlos Alberto Santos, morador de rua, pelo Centro Histórico de São Luís

A polícia acredita que mais pessoas possam estar envolvidas no crime em que o empresário Geucimar Lima Duarte espancou e arrastou até a morte Carlos Alberto Santos, de 34 anos, morador de rua, pelo Centro Histórico de São Luís. 

O empresário está preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. De acordo com a perícia, o homem já havia sido espancado antes de ser arrastado vivo por três quilômetros. Algumas ruas antigas têm calçamento de paralelepípedos.

As imagens da câmera de segurança mostram que durante o trajeto, o empresário parou para beber água, dada por um vigilante, que não esboçou reação diante da cena e, segundo a polícia, também não reagiu ao pedido de socorro de Carlos Alberto.

As investigações apuram sobre outros envolvidos. Segundo o delegado Felipe César, o empresário não cometeu o crime sozinho.

"Com as imagens, com o depoimento, nós iremos fazer uma acareação entre os vigilantes, para que eles possam dirimir qualquer tipo de dúvida em relação a conduta deles e eu também possa qualificar em que crime eles irão responder também”, conta o delegado.

Carlos Alberto foi encontrado morto próximo ao Terminal de Integração da Praia Grande, um local que costuma ser movimentado, na Avenida Beira Mar, a 800 metros da Superintendência Estadual de Homicídios, que investiga o caso.

As prisões foram realizadas na terça-feira (27), cinco meses depois do crime, quando o empresário voltou de São Paulo para São Luís.

Com informações do G1 Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário