sábado, 4 de fevereiro de 2017

Procurador de Justiça que desejou a morte de Marisa Letícia é investigado pelo CNMP

Procurador de Justiça Rômulo Paiva Filho, do MP-MG, postou no Facebook “Morre logo, peste!"

A Corregedoria Nacional do Ministério Público abriu uma Reclamação Disciplinar (RD) para apurar a conduta do procurador de Justiça Rômulo Paiva Filho, do Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MP-MG).

Ao compartilhar uma notícia sobre o estado de saúde da ex-primeira dama Marisa Letícia, mulher do ex-presidente Lula, ele escreveu: “Morre logo, peste! Quero abrir logo o meu champagne!”.

Marisa Letícia morreu nesta sexta-feira no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo,  em decorrência de complicações causadas por um acidente vascular cerebral.

Em agosto, Paiva Filho já havia escrito sobre Dilma: “Quem vai acender a pira olímpica? Eu sugiro dar um banho de gasolina na Dilma, tacar fogo com a tocha e mandar ela correr em direção à pira. Que tal?”. Com a repercussão de seus posts, Paiva Filho apagou sua conta na rede social.

Segundo a Corregedoria Nacional do Ministério Público, as publicações podem caracterizar violação ao dever de manter ilibada conduta pública e particular, e ao de zelar pela dignidade de suas funções. Esses deveres estão dispostos no artigo 110, incisos II e III, da Lei Orgânica do MP/MG.

Como determina o artigo 76 do Regimento Interno do Conselho Nacional do Ministério Público, o procurador de Justiça será notificado para, no prazo de dez dias, prestar as informações que entender cabíveis.

Na sexta-feira (3) a médica Gabriela Munhoz, de 31 anos, foi demitida do Hospital Sírio-Libanês por ter compartilhado informações sigilosas sobre a saúde da ex-primeira dama. 

Um comentário:

  1. Espirito podre alma imunda, vai pagar caro a DEUS.

    ResponderExcluir

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...