sábado, 18 de março de 2017

Pai do advogado Brunno Matos não se conforma com punição branda para assassinos e busca aumento da pena

O pai do advogado Brunno Matos, assassinado na manhã do dia 6 de outubro de 2014, no bairro Olho D´Agua, voltou a conversar com o blog sobre o resultado do julgamento dos três acusados. 

Rubem Soares diz que a família recorreu à Justiça para que esse julgamento seja anulado. Para ele, o resultado do júri popular foi uma afronta a uma família destruída.

Os três acusados foram a julgamento no dia 3 de fevereiro deste ano. Diego Polary foi condenado a oito anos de prisão, por ser o responsável pelo assassinato do advogado Brunno Matos, assim como a tentativa de assassinato de Alexandre Matos e Kelvin Chiang; Carlos Marão foi condenado a seis anos por participação no homicídio do advogado Brunno Matos e da tentativa de assassinato de Alexandre Matos e Kelvin Chiang; e o vigia João Gomes a um ano de detenção por lesão corporal e sua pena deve ser convertida em trabalho comunitário por ser réu primário.

Confira a entrevista com Rubem Soares, pai de Brunno Matos.

A família do engenheiro Diego Polary ficou inconformada com a condenação e impetrou recurso pedindo anulação do julgamento. Por outro lado, a família de Brunno Matos entrou com pedido de aumento de pena.

Como você avalia esse recurso apresentado pela família do Diego Polary?
Avalio como uma afronta a uma família destruída, total falta de respeito e uma forma de menosprezar a inteligência da sociedade.

Você acredita que o julgamento pode ser anulado?
No nosso país tudo é possível, porém, acredito que, em sendo anulado esse julgamento, a pena pode ser maior que a que fora dada nesse teatro.

Em relação às testemunhas, alguma teria omitido informações importantes?
Com relação às testemunhas, é óbvio que houve pessoas que optaram por não falar a verdade, inclusive uma delas (mulher) confessou a um de nossos advogados que viu tudo, mas por ter filhos não diria nada, negaria tudo, por ter medo do Marão.

Você teria mais algumas informações sobre o assassinato do Bruno que não foram reveladas até agora?
O principal problema é que o delegado responsável pela investigação é de conhecimento público amigo do pai e do filho do assassino do meu filho. Se esse delegado tivesse o mínimo de princípio, teria se julgado impedido de presidir esse inquérito.

Você se sente ameaçado por estar determinado a lutar por Justiça?
Com relação a ameaças quero deixar bem claro que não tenho medo. Meu amor pelo meu filho supera qualquer coisa. De frente, eu encaro qualquer um, inclusive esse delegado que não tem coragem suficiente para me olhar nos olhos. Eu tenho!

Algo mais a dizer?
Para finalizar, eu sei de tudo que aconteceu. Você lembra quando em uma entrevista eu lhe disse que tinha algo guardado para a hora certa?  Eu não estava blefando. No dia do julgamento apresentamos um áudio onde o Marão admite que quem matou o Brunno foi seu sobrinho.

Por fim, digo: Estou torcendo por um novo julgamento para poder mostrar muito mais. Cuidem-se! Morrer, pra mim, é só uma questão de tempo, todos morrem, mas poucos morrem por uma causa tão justa.  Te amo meu filho!

Um comentário:

  1. Essa dor é dilacerante! Perder um filho no auge da vida de forma tão estúpida e abrupta é de enlouquecer qualquer pai! Oro pra que Deus acalme os corações quebrantados!

    ResponderExcluir

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...