terça-feira, 16 de outubro de 2018

Antes de recorrer ao suicídio, professora da rede municipal fez apelo para que alunos e professores não votem em Bolsonaro


A professora Ericarla Menes, da rede municipal de São Luís, cometeu suicídio no dia do professor; amigos lamentam nas redes sociais

A professora Ericarla Moura Mendes, da rede municipal de ensino de São Luís, cometeu suicídio no dia dos professores.

Ela era lotada na Unidade Integrada Emésio Dario de Araújo, situada na região do Turú. De acordo com informações a pessoas próximas, a professora estava depressiva. Ericarla tinha 38 anos de idade.

Em sua última postagem no facebook, às 10h30 de segunda-feira (15), Ericarla disse que alunos que torcem por Bolsonaro não precisavam desejar feliz dia dos professores, acrescentando que professor que se valoriza também não votaria nele.

“Alunos que torcem por Bolsonaro não precisam desejar um Feliz dia dos professores para nenhum professor de verdade. Professor que se valoriza não vota em Bolsonaro! #elenão #Haddad13”, disse a professora.

A Associação Maranhense de Artes Educadores divulgou uma nota:

É com muito pesar que toda a comunidade docente do Ensino de Arte do Maranhão, aqui representada pela Associação Maranhense de Arte Educadores – AMAE, vem se solidarizar com a família, amigos e alunos da professora Ericarla Moura Mendes, 38 anos, graduada em Licenciatura em Educação Artística – habilitação em Artes Plásticas, pela Universidade Federal do Maranhão, que inesperadamente nos deixou num dia reservado aos professores – 15 de outubro.

Gostaríamos, na condição de entidade representativa de nossa classe, expressar aqui o nosso respeito a essa profissional da educação em Arte, e os nossos sentimentos sinceros nesse momento de dor por essa tão precoce perda.

Nas redes sociais, amigos e amigas lamentaram a morte da professora.




6 comentários:

  1. Caro jornalista, um simples comentário depreciativo contra um candidato no perfil da cidadã não caracteriza que a mesma cometeria suicídio por causa disso. Reflita e veja que seu raciocínio foi equivocado.

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo Gilberto, pela admiração que lhe tenho, permita-me dizer que você foi eticamente errado nesta divulgação. Você, que é jornalista formado, sabe que suicídio é uma pauta que toda a imprensa deve noticiar com a maior reserva. Não foi este o caso. Uma pena, da sua parte.

    Para você se lembrar:
    http://observatoriodaimprensa.com.br/diretorio-academico/o-suicidio-na-pauta-jornalistica/

    ResponderExcluir
  3. Essa doença mental é terrivel, ainda mais com o componente avassalador do desrespeito nos dias atuais pelos professores. Lamentável.....

    ResponderExcluir
  4. Os ataques que os professores do Brasil têm sofrido nesses últimos meses, encabeçados por atrasos de salarios, retiradas de direitos e acusações difamatórias, essas impetradas pela campanha de politica ultra direitista, causam esse tipo de absoluto cansaço, decepcao e descrença de que a educação possa mesmo modificar a sociedade. Nossa imagem é denegrida, nossa integridade negada, nossa dignidade violada. É difici manter a sanidade emocional frente a isso tudo. E o mais lamentável: por trás desse empenho feroz contra essa categoria existe um projeto bem elaborado visando , paulatinamente, desobrigar o Estado de oferecer Ensino Público de qualidade.

    ResponderExcluir
  5. Realmente, lamentável tudo isso. Esta classe está de luto.

    ResponderExcluir

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...