sexta-feira, 19 de outubro de 2018

PDT pede anulação da eleição presidencial por abuso de poder econômico


Presidente do partido, Carlos Lupi, afirma que a disseminação “fake news” criou uma desigualdade e alterou o resultado das urnas
Larissa Rodrigues
Portal Metrópoles


O Partido Democrático Trabalhista (PDT) protocolou, no fim da tarde desta sexta-feira (19/10), uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A legenda pede a anulação da eleição presidencial do último dia 7 de outubro. O PDT explica que o pedido no TSE é baseado no artigo 222 do Código Eleitoral e vem na esteira de uma denúncia publicada na última quinta (18/10) pelo Jornal Folha de São Paulo.

De acordo com a publicação, empresários favoráveis ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) teriam gastado um mínimo de R$ 12 milhões, não contabilizados, para divulgarem, via redes sociais, notícias falsas sobre o concorrente do candidato. Na peça, com mais de 30 páginas, o partido quer ainda que sejam investigadas pessoas físicas e jurídicas para “comprovar a utilização de recursos não contabilizados pela campanha de Bolsonaro”.

“O Código Eleitoral é muito claro quando diz que, caso seja comprovado o abuso de poder econômico por parte de um dos concorrente, automaticamente o pleito se torna viciado, gerando assim um desequilíbrio entre os concorrentes e comprometendo todo o processo eleitoral. Entendemos que a disseminação das chamadas “fake news” via redes sociais, principalmente contra o candidato do PT, criou uma desigualdade que alterou o resultado das urnas”, afirmou Carlos Lupi, presidente Nacional do PDT.

Para ler a íntegra da ação clique AQUI. Leia trechos iniciais abaixo.











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...