domingo, 12 de junho de 2016

Empresa acusada de repassar propina a Edison Lobão só tem sede virtual

REYNALDO TUROLLO JR.
FOLHA DE SÃO PAULO

A empresa acusada por um delator da Lava Jato de intermediar um repasse de propina de R$ 2 milhões da Camargo Corrêa para o senador Edison Lobão (PMDB-MA) está oficialmente sediada num pequeno escritório que hospeda várias firmas em Santana de Parnaíba (Grande SP).

A AP Energy Engenharia e Montagem Ltda. foi citada por um dos executivos da Camargo que fez acordo de delação premiada, Luiz Carlos Martins, como revelou a Folha nesta sexta (10).

Segundo o depoimento de Martins, os pagamentos foram realizados entre 2011 e 2012 e referiam-se à construção da usina de Belo Monte, no Pará. À época, Lobão era ministro de Minas e Energia.

O escritório virtual que hospeda a AP Energy em Santana de Parnaíba, chamado Lokal Assessoria, é usado por várias empresas interessadas nos benefícios fiscais concedidos pela prefeitura da cidade. Essas firmas pagam à Lokal uma mensalidade. A AP está registrada ali desde 2011.

Em seu cadastro no escritório virtual, a AP Energy deixou registrados o endereço onde supostamente a empresa opera e as informações sobre seu contador.

No endereço —avenida Brigadeiro Faria Lima, 2.128, conjunto 1202, em São Paulo— funciona o Sindicato dos Cemitérios e Crematórios Particulares do Brasil (Sincep).

Já o contador, Benedito Iba de Oliveira, recusou-se a fornecer informações sobre a empresa. Disse que não sabe onde ela funciona nem quantos funcionários tem. Em seguida, desligou o telefone.

O objeto social da AP Energy é a execução de obras de construção civil, reformas e reparos em imóveis e serviços de engenharia, paisagismo e urbanismo, entre outros.

Martins, o delator da Lava Jato, citou os nomes dos donos da AP Energy como participantes do esquema. A empresa teria emitido notas de R$ 1,22 milhão e R$ 1,26 milhão por serviços que nunca existiram. A comissão dos donos teria sido de R$ 583 mil para intermediar a propina.

OUTRO LADO

Fernando Mendes Brito, que figurou como sócio da AP Energy de 2011 a 2014, não foi localizado nesta sexta. No dia anterior, ele havia dito que não se lembrava dos pagamentos da Camargo Corrêa.

Marcelo Martinelli Szanto, que ainda é dono da firma, conforme o registro da Junta Comercial, está morando na Itália –segundo afirmou um familiar dele, que desconhecia a existência da empresa.


O advogado de Lobão, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, afirmou que o senador não conhece os donos da AP Energy, o que "já demonstra a completa mentira e irresponsabilidade da delação" de Martins. 

Um comentário:

  1. Senador Lobão, está em todas deve ter muito dinheiro guardado, para pagar advogado para se defender. Quem vê cara não ver coração.

    ResponderExcluir

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...