quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Nomeado por Sarney Filho, superintendente do Ibama relatou crime ambiental nas redes sociais

Coluna do Estadão

Nomeado pelo ministro Sarney Filho (Meio Ambiente) como superintendente do Ibama em Tocantins, Luciolo Cunha Gomes debochou do órgão nas redes sociais em 2013, quando relatou estar comendo um animal silvestre e com “medo” de ser flagrado.

No seu post, ele revela um crime ambiental cuja pena varia de 6 meses a um ano de prisão, além de multa: caçar e utilizar animais silvestres sem permissão das autoridades ambientais. Nos comentários da publicação, ele continua a fazer graça do Ibama ao dizer que “eles não sabem o endereço”.

“Se o Ministério do Meio Ambiente é para defender o Meio Ambiente, (…) a pergunta que não quer calar é: como pode ser nomeado um infrator das normas para Superintendente?”, questionou a Associação Nacional de Servidores do Ibama em sua página no Facebook.

A nomeação de Gomes, que é advogado, está no Diário Oficial da União de 9 de agosto. Ele substitui Flávio Luiz de Souza Silveira, biólogo e servidor de carreira, cuja exoneração consta na mesma publicação.


O ministro Sarney Filho afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não tinha conhecimento do post. Informou que irá apurar e, se considerar procedente, desfazer a nomeação. Depois de ter o post localizado pela Coluna do Estadão, Luciolo Cunha Gomes deletou sua conta no Facebook. (Luísa Martins)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...