terça-feira, 28 de novembro de 2017

"A liberdade de imprensa não é atacada quando o jornalista é processado por calúnia, difamação ou injúria”, diz Ney Bello

O juiz federal Ney Bello, bombardeado nas últimas horas pelos asseclas de Sarney na mídia, disse que “a liberdade de imprensa não é atacada quando o jornalista é processado por calúnia, difamação ou injuria, após ter acusado alguém falsamente de um crime, atribuindo ofensivamente e falsamente ato desabonador a uma pessoa, ou ofendido injustamente qualquer cidadão”.

O recado foi endereçado àqueles que, no afã de defender o jornalista Marco D´Eça, partiram para o ataque contra o juiz, alvo de ofensiva do editor do jornal de Sarney, em 2007, por ocasião da operação “Navalha”.
O jornalista Marco D´Eça foi denunciado pelo Ministério Público Federal
D´Eça afirmou que Ney Bello agrediu o fotógrafo Paulo Soares no  Aeroporto do Tirirical. Na postagem, ele diz que o juiz estaria tentando usar a influência do cargo para libertar o pai, Ney de Bello Barros, também preso na operação. Além disso, o jornalista liberou comentários à postagem que também atingiam a honra do juiz.

O jornalista, acostumado a achincalhar os adversários do grupo Sarney, foi condenado à prisão pela juíza federal Cláudia Schlichta Giusti, substituta da 1ª Vara Criminal, no dia 8 de agosto de 2017. A pena, por calúnia (artigo 138 do Código Penal), foi de 6 meses de detenção, em regime aberto, e 10(dez) dias-multa.

A representação criminal contra o jornalista foi feita pelo Ministério Público Federal, que pediu a condenação do mesmo por calúnia, injúria e difamação contra o juiz Ney Bello.

Veja o que o editor do jornal de Sarney escreveu contra o juiz



Confira a condenação do jornalista





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...