IPTU 2017

Maranhão em Obras

Maranhão em Obras

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Orientado por Sarney, João Alberto arquiva pedido de cassação de Aécio e diz que o senador afastado foi vítima de 'armação'

Para peemedebista, senador não agiu de má-fé ao pedir dinheiro a empresário da JBS que era visto como 'pessoa séria'
João Alberto. presidente do Conselho de Ética do Senado,
só faz o que Sarney manda
O presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto Souza (PMDB-MA), considera que o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) foi vítima de "uma grande armação". Nesta sexta-feira, 23, o peemedebista arquivou a representação contra o tucano alegando não estar "convencido" das acusações contra o parlamentar, investigado no Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os membros do colegiado ainda podem recorrer da decisão do presidente.

Para João Alberto, Aécio não agiu de má-fé ao pedir R$ 2 milhões ao dono da JBS, Joesley Batista. "Esse cidadão (Joesley) era tido como um homem sério, um dos principais empresários do País, com trânsito em todas as áreas, e que nunca se pensou que era bandido. Ele (Aécio) entrou para conversar com um bandido pensando que era uma pessoa séria", defendeu o presidente do conselho. Ele destacou que as gravações de Aécio com Joesley não o convenceram de que houve quebra de decoro parlamentar, nem as reportagens publicadas pela imprensa.

Aliado do ex-presidente José Sarney, o peemedebista foi apontado como um dos principais atores no acordo suprapartidário negociado entre os principais partidos do Senado para "salvar Aécio". O objetivo seria não criar mais um precedente na Casa. "Não existe nada disso, ninguém falou comigo. Eu já disse e repito: não tenho mais idade para aceitar pressão", rebateu.

João Alberto contou que aguardava posição Supremo sobre a prisão de Aécio esta semana para tomar a sua decisão, porém o julgamento acabou adiado. O prazo para ele decidir sobre o recebimento ou não da representação no conselho contra Aécio acabaria na próxima segunda, 26. "Como não tinha material que me desse uma certeza que houvesse quebra de decoro, decidi pelo arquivamento da petição", alegou. Ele afirmou ainda que, caso haja recurso no plenário, ele dará tramitação "normal" ao processo. 

Na petição de arquivamento do processo que pedia a cassação do mandato de Aécio, João Alberto alegou falta de provas. "A fundamentação do pedido deve estar baseada em elementos que possam ser objeto de apuração. O quanto alegado, da mesma forma, deve estar lastrado em conjunto probatório pré-constituído, o qual deverá acompanhar a Representação no momento do seu ingresso, o que não ocorreu. Tal circunstância, por si só, seria suficiente para justificar a rejeição preliminar do pedido", diz trecho do despacho.

A decisão de João Alberto critica ainda a junção de notícias de jornais no conjunto de provas, que João Alberto classificou como "temerário", e considera que a delação de Joesley não é suficiente para dar sequência à representação. "Não havendo qualquer prova documental, há aqui claro conflito entre a palavra de um empresário interessado a qualquer custo em se safar da prisão e a palavra de um senador da República que conta com presunção de veracidade."

Para João Alberto, na gravação de Aécio e Joesley "não há qualquer tratativa de vantagem indevida, muito menos envolvendo interesses públicos" e também não houve pedido de contrapartida. O texto destaca ainda que não foi anexado ao processo nenhuma gravação ou troca de mensagens entre Andrea Neves e Joesley Batista, onde teria ocorrido pedido de vantagem indevida. "Fica claro e evidente que a irmã do representado não pediu 'propina' ao empresário, mas sim o procurou para tentar vender um apartamento da família", afirmou o senador do Maranhão.   

Com informações de O Estado de São Paulo

Irmão de Pedro Vasconcelos, sobrinho e ex-contador da Prefeitura de Cachoeira Grande são presos por determinação da Justiça

Sobrinho do ex-prefeito que também teve prisão decretada não foi encontrado

Por determinação da juíza Adriana da Silva Chaves, titular da comarca de Morros, foram presos na manhã desta sexta-feira, 23, o ex-prefeito de Cachoeira Grande, Francivaldo Vasconcelos Sousa, o filho do ex-gestor, Alexandre Leda Sousa, e o ex-contador da Prefeitura de Cachoeira Grande, Henrique Silva dos Santos. O sobrinho do ex-prefeito, Gustavo Vasconcelos, que também teve a prisão decretada, não foi encontrado. A prisão dos réus tem caráter temporário, por 05 (cinco) dias improrrogáveis, consta da decisão judicial na qual a magistrada determina ainda a busca e apreensão, no prazo de 20 (vinte) dias, nos endereços dos réus.

“Antes de penetrarem nas residências, os executores desta decisão deverão proceder a sua leitura ao morador ou a quem o represente, informando-o (a) ao abrir a porta, a fim de se dar a busca e apreensão de objetos (como computadores e notebooks), materiais e documentos ligados aos crimes narrados”, consta do documento que destaca ainda que seja realizada “a mais rigorosa busca, para o fim declarado, arrombando, se necessário, as portas dos quartos e demais dependências e, se julgarem indispensável para a realização da diligência, poderão prender os residentes, e empregar todos os meios legais para a execução desta decisão a qual deverá servir de mandado de busca e apreensão, devendo ser cumprida a simples vista do destinatário”.

As determinações da juíza atendem à Representação pela busca e apreensão e prisão temporária formulada por Ministério Público e Polícia Civil do Estado do Maranhão em face dos citados, em razão de procedimento investigatório criminal em tramitação no 2º Departamento de Combate à Corrupção – DECCOR.

Na representação, os autores afirmam que o procedimento foi instaurado a partir de representação dos professores do município, na qual foram denunciados diversos crimes praticados pelo ex-gestor e cúpula do Poder Executivo Municipal. Entre os crimes apontados, contratação de empresa de fachada para conclusão do Hospital Municipal de Cachoeira Grande; Convênio da Secretaria Estadual de Saúde e contratações decorrentes do mesmo para aquisição de equipamentos que não teriam sido fornecidos; reforma de prédio onde funciona o CRAS, constante de relatório de gestão do Fundo Municipal de Assistência Social de 2013 e que não teria sido realizada; contratação de empresa para limpeza de prédios públicos municipais, serviço que teria sido efetuado pela própria prefeitura; contratação de empresa supostamente de fachada para aluguel de máquinas para serviços da administração municipal e que teriam sido feitos (serviços) por máquinas do próprio município e oriundas do PAC.

Para os autores da representação, as investigações apontam para a possível existência de associação criminosa estável e permanente, formada por pessoas ligadas a empresas investigadas e membros da cúpula da Administração Municipal, com participação direta do ex-prefeito e do sobrinho do mesmo, com o objetivo de desviar verbas durante a gestão (2009 a 2016).

Policial é morto com tiro na cabeça ao cumprir mandado de prisão no RS

Rodrigo Wilsen da Silveira foi alvejado durante operação contra tráfico em Gravataí; também policial, sua mulher presenciou crime
O escrivão da Polícia Civil Rodrigo Wilsen da Silveira tinha 39 anos Foto: Raquel Rodrigo Biscaglia Wilsen/Facebook
Luciano Nagel, Especial para o Estado

PORTO ALEGRE - Um policial civil foi morto na manhã desta sexta-feira, 23, durante o cumprimento de mandado de prisão no município de Gravataí, na região metropolitana de Porto Alegre. O escrivão Rodrigo Wilsen da Silveira, de 39 anos, era chefe de investigação da 2ª Delegacia de Polícia de Gravataí e participava de uma operação no combate ao tráfico de drogas em um condomínio na Travessa Herbert, na região central do município.

Ao ingressar no apartamento indicado, o policial levou um tiro na cabeça de um dos criminosos. O agente foi socorrido às pressas pelos colegas e conduzido ao Hospital Dom João Becker, mas não resistiu aos ferimentos.

Sua mulher, Raquel Biscaglia, que também é policial civil, estava na mesma operação e presenciou a morte do companheiro. O casal tinha dois filhos pequenos.

Após a troca de tiros entre policiais civis e bandidos, uma mulher e quatro homens foram presos. Com a quadrilha, foram apreendidas drogas, armas, munição e dois automóveis.

Ainda pela manhã, o chefe da Polícia Civil no Rio Grande do Sul, Emerson Wendt, publicou uma nota no site oficial da instituição sobre a morte do colega.

"Ele deixa como legado sua bela trajetória marcada pelo profissionalismo e dedicação incondicionais", escreveu. "Diante desta perda irreparável, a Polícia Civil se solidariza com a dor dos familiares e amigos do escrivão Rodrigo."

Urgente! Caminhão tanque explode e provoca incêndio de grandes proporções na Avenida dos Holandeses; motorista saiu com o corpo em chamas

Um caminhão tanque carregado de combustível provocou um acidente de grandes proporções em um posto, no fim da noite de quinta-feira (22), na Avenida dos Holandeses, nas proximidades do Shopping do Automóvel, em São Luís.
O condutor do veículo, identificado como Marcos, saiu com o corpo em chamas e foi socorrido por pessoas que estavam no local.

Ele perdeu o controle da direção ao entrar na rotatória e acabou tomando. Após o acidente, já foi atendido por uma equipe do Samu e encaminhado a um hospital.
Equipes do Corpo de Bombeiros trabalham para debelar o fogo. Segundo testemunhas, outros carros que estavam na área do posto teriam sido atingidos pelas chamas. Em vídeos espalhados nas redes sociais é possível ouvir estrondos de explosões.

Veja o vídeo que mostra o motorista sentado, com várias queimaduras pelo corpo, aguardando a chegada da ambulância do Samu.

Ministro autoriza segundo inquérito contra Aécio no STF ligado à JBS

Novo caso é para apurar supostos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro de senador afastado; Marco Aurélio Mello também envia à 1ª instância inquérito contra Andrea

Breno Pires e Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA - O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta quinta-feira, 22, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), a abertura do segundo inquérito contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) com base na investigação iniciada após a delação do Grupo J&F e ampliada na Operação Patmos. O novo caso aberto é para apurar supostos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Fora esta nova investigação, Aécio já foi denunciado pela PGR pelos crimes de corrupção passiva e obstrução de justiça. Na Corte, há nove inquéritos contra o senador afastado.

Quando pediu o novo inquérito, a PGR apontou necessidade de investigar três pontos: "o pagamento de propina da ordem de mais de R$ 60 milhões feito em 2014 ao parlamentar por meio da emissão de notas fiscais frias a diversas empresas indicadas por ele", o pagamento a diversos partidos para apoiarem a candidatura à Presidência da República em 2014, e "o pagamento de dinheiro em espécie feito diretamente a Frederico Pacheco de Medeiros, primo do Senador e por este indicado para receber os valores".

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também diz que Aécio, depois de passada a campanha eleitoral de 2014, procurou Joesley Batista para pedir recursos financeiros, e o delator teria concordado em comprar um imóvel superfaturado por R$ 17 milhões por uma pessoa indicada por Aécio, a fim de que o dinheiro chegasse ao senador afastado. "Mister, assim, a continuidade das investigações, para desvelamento completo de tais fatos", disse Janot.

O procurador-geral também havia apontado que existem "fortes indícios" de lavagem de dinheiro relacionados a empresas do senador Zezé Perrella (PMDB-MG). A Tapera Participações, que está em nome do filho do parlamentar, foi a destinatária de parte dos R$ 2 milhões entregues pela JBS a Aécio, sustenta Janot. O repasse foi filmado e gravado em ação controlada da Polícia Federal.

A partir da decisão de Marco Aurélio, será gerado um novo número de inquérito e, nele, a PGR poderá pedir providências, o que ainda não foi feito.

Em nota, a defesa do senador afastado disse que recebe a informação com naturalidade por se tratar de desdobramento da denúncia inicial. “A investigação demonstrará que não se pode falar em lavagem ou propina, pois trata-se de dinheiro de origem lícita numa operação entre privados, portanto sem envolver recurso público ou qualquer contrapartida. Assim, não houve crime”, disse o advogado Alberto Zacharias Toron.

Além dos dois novos inquéritos ligados à JBS contra Aécio, há cinco investigações abertas em abril contra ele com base nas delações da Odebrecht. Alguns casos já foram redistribuídos, entre eles, o que trata da suspeita de recebimento de propina durante campanha presidencial de 2014 que envolve também o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG).

Antes disso, já havia um inquérito aberto para investigar suspeita de que Aécio teria recebido propina de Furnas, e um outro que trata de suspeita de irregularidade envolvendo a CPMI dos Correios, por fatos da época em que era governador do Estado de Minas Gerais.

Irmã e primo
Também nesta quinta-feira, 22, Marco Aurélio decidiu desmembrar o inquérito em que Aécio já está denunciado, para que seja encaminhada à primeira instância a denúncia aos outros três envolvidos no caso, Andrea Neves, Frederico Pacheco de Medeiros e Mendherson Souza Lima. A denúncia seguirá para a Justiça Federal de São Paulo, Estado onde os crimes denunciados teriam ocorrido.

Essa decisão atende ao pedido da defesa de Andrea, que alegou que os investigados não detêm prerrogativa de foro no STF. “Consideramos que a decisão está ajustada à jurisprudência do próprio Supremo”, diz a defesa de Andrea.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Polícia prende assaltante que levou mais de R$ 20 mil de lotérica da cidade de Colinas

Policiais civis e militares da cidade de Colinas, sob o comando do delegado Rildo Portela e do major Queiroz, efetuaram a prisão em flagrante de Marcegiano Barroso de Sousa, responsável pelo assalto à loteria da cidade.

O assalto foi realizado nesta quinta-feira (22) e contou com a participação de um adolescente que conseguiu fugir com as armas utilizadas na ação. A dupla subtraiu cerca R$ 20 mil da lotérica.

Além do dinheiro recuperado, foi apreendo um tijolo de maconha. Marcegiano irá responder pelos crimes de roubo majorado, tráfico de entorpecentes e corrupção de menores.

O preso também praticou o assalto a loteria da Cidade de Paraibano/MA no mês de abril deste ano.

Sarney Filho admite incompetência e diz que ‘Só Deus’ pode garantir redução do desmatamento na Amazônia

Noruega vai cortar 50% dos repasses ao Fundo Amazônia devido aos resultados do Brasil.

Na Noruega, o ministro do Meio Ambiente Sarney Filho expôs a incompetência do governo Temer para frear o desmatamento na Amazônia. Em entrevista, ele disse que o governo brasileiro não pode garantir a redução do desmatamento no País. Deixou claro que está à espera de um milagre divino.

“Só Deus pode garantir isso [redução do desmatamento], mas eu posso garantir que todas as medidas para diminuir o desmatamento foram tomadas e nossa expectativa e esperança é que esse desmatamento diminua”, disse o ministro.

Após tendência de queda nos últimos anos, o desmatamento registrou um aumento de 58% em 2016, segundo estudo da Fundação SOS Mata Atlântica e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Ao lado de Sarney Filho, o ministro norueguês de Meio Ambiente, Vidar Helgesen, anunciou que o país vai cortar 50% os repasses ao Fundo Amazônia devido aos resultados. Ele destacou que a medida pode ser revista se houver mudança nos indicadores ambientais brasileiros.

De 2009 e 2016, a Noruega aportou cerca de R$ 2,8 bilhões no Fundo Amazônia. O governo norueguês é o maior financiador externo para o combate ao desmatamento no Brasil.

Sarney Filho disse que o aumento do desmatamento deve-se a cortes no orçamento de proteção ambiental na administração anterior e que serão feitos novos aportes para o Ibama.

Autoridades norueguesas haviam alertado o Brasil antes da viagem. Em carta enviada ao ministro do Meio Ambiente da Noruega, Sarney Filho disse que não há perspectiva de retrocesso na Lei Geral de Licenciament e garantiu que o país mantém o compromisso com a sustentabilidade.

Antes de embargar para o exterior, o presidente Michel Temer vetou nesta segunda-feira (19) trechos da medida provisória que reduzia o território da Floresta Nacional (Flona) do Jamanxim (PA), na Amazônia Legal.

Aprovada em 16 de maio pelo plenário da Câmara dos Deputados, a Medida Provisória 756/2016 criou a Área de Proteção Ambiental (APA) Jamanxim, com área aproximada de 542 mil hectares. Para isso, a Flona do Jamanxim foi reduzida de 1,3 milhão de hectares para aproximadamente 557 mil hectares.

Já a MP 758/2016 alterou os limites da APA do Tapajós e do Parna do Jamanxim, desafetando, no último, duas áreas que totalizam 862 hectares e, concomitantemente, agregando a ele outra área de 51 mil hectares.

Ambientalistas alertaram que a mudança colocaria em risco a preservação da área onde vivem espécies nativas da Amazônia. Isso porque uma APA tem critérios de uso mais flexíveis, como pecuária e mineração.

Apesar do veto, o próprio ministro do Meio Ambiente afirmou que o Planalto enviaria um novo projeto de lei, com o mesmo teor, ao Congresso Nacional para tramitar em caráter de urgência.

A organização ambientalista Greenpeace questionou a eficácia do veto de Temer e classificou a medida como uma tentativa do presidente de melhorar a imagem de suas políticas ambientais antes da viagem à Noruega.

"O veto de Michel Temer corrige o processo, mas não a redução das áreas preservadas. A mudança de estatuto dessas áreas ia ser decidida por medidas provisórias. Agora, vão ser por meio de projeto de lei específico, discutido no Congresso. O veto só permite ao governo usar o instrumento certo para fazer o que queira", disse diretor de campanhas do Greenpeace no Brasil, Nilo D'Ávila, à agência de notícias AFP.

Em setembro de 2016, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) a suspensão imediata do trâmite de qualquer processo administrativo ou requerimento que tenha por objeto a recategorização e/ou desafetação da Floresta Nacional do Jamanxim.

Fachin manda inquérito de Temer para PGR, que terá cinco dias para apresentar denúncia

Ministro aguarda PF enviar laudos periciais sobre conversa de Temer e Joesley
POR CAROLINA BRÍGIDO E ANDRÉ DE SOUZA 
O Globo

BRASÍLIA – O relator da Lava-Jato, ministro Edson Fachin, enviou para a Procuradoria-Geral da República (PGR) cópia do inquérito contra o presidente Michel Temer. Assim que receber o material, a PGR terá prazo de cinco dias, como definido em lei, para apresentar denúncia contra o presidente, ou pedir o arquivamento do caso por falta de provas.

A Polícia Federal havia pedido prazo extra para concluir as perícias nos áudios de conversas de Temer com o dono da JBS, Joesley Batista. Fachin não negou, nem concedeu. Disse apenas para a PF enviar ao STF os laudos periciais pendentes assim que ficarem prontos. Quando isso acontecer, os laudos serão anexados às investigações e enviados para a PGR.

Se quiser, a PGR poderá apresentar apenas uma denúncia contra Temer, sem esperar a chegada do laudo pericial. No entanto, a tendência é de que os investigadores fatiem a delação, apresentando primeiro uma peça relativa às provas já concluídas e, depois, sobre o crime de obstrução à justiça, referente ao áudio da conversa que ainda não foi periciada.

Relatório parcial enviado pela Polícia Federal ao Supremo afirma que é possível concluir que Michel Temer aceitou vantagem indevida por intermédio do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures. Segundo o documento, Temer incorreu em crime de corrupção passiva. O mesmo relatório afirma haver indícios de que Rocha Loures cometeu o mesmo crime. Segundo a PF, as evidências indicam "com vigor" a prática de corrupção passiva do "Mandatário Maior da Nação."

"Diante do silencio do Mandatário Maior da Nação e de seu ex-assessor especial, resultam incólumes as evidências que emanam do conjunto informativo formado nestes autos, a indicar, com vigor, a prática de corrupção passiva", diz um dos trechos.

Governo do Maranhão chega à marca de 100 ambulâncias entregues à população

O governador Flávio Dino entregou, nesta quinta-feira (22), a centésima ambulância à população maranhense desde o início do ano. O marco foi atingido com a doação de mais oito veículos. O objetivo do Governo do Estado é entregar ambulâncias aos 217 municípios do Maranhão.

Desta vez foram beneficiados os municípios de Joselândia, Buritirana, Governador Edson Lobão, Cajapió, São João do Paraíso, Pinheiro e Montes Altos, além de uma unidade para o atendimento da UPA Araçagi, em São Luís.

O Governo investe R$ 160 mil por cada unidade entregue – adquiridas por meio de emenda parlamentar e recursos do Tesouro Estadual.

A ambulância pode ser usada como unidade básica ou Unidade de Suporte Avançado (USA) e é equipada com duas macas, duas pranchas, um umidificador, cadeira de rodas, cilindro e bala de transporte para oxigênio.

Pânico no aeroporto de São Luís: Tentativa de assalto a agência dos Correios deixa duas pessoas feridas

A Agência dos Correios que fica dentro do aeroporto foi alvo de ladrões na manhã desta quinta-feira (22).
Houve troca de tiros. Um suspeito e um funcionário se feriram. Em pânico, passageiros se jogaram no chão.
A agência dos Correios do Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado, em São Luís, foi alvo de uma tentativa de assalto na manhã desta quinta-feira (22). Duas pessoas participaram da ação criminosa. Pelas informações, os supostos assaltantes já chegaram gritando para todos deitarem, pois se tratava de um assalto.

Agentes de segurança trocaram tiros com os criminosos. Um dos assaltantes e um funcionário dos Correios ficaram feridos. O outro assaltante conseguiu fugir. Devido ao intenso tiroteio, passageiros tiveram que se jogar no chão para se proteger. Policiais militares informaram que a ação foi frustrada e  nenhum dinheiro foi levado da agência.
Segundo a polícia, ainda não foi confirmado se os disparos feitos contra os suspeitos foram efetuados por seguranças do aeroporto ou policiais. O Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) confirmou que o funcionário dos Correios e o suspeito foram socorridos e encaminhados ao hospital.

Com o suspeito preso, a Polícia Militar apreendeu uma arma de fogo. Ele ainda não teve a identidade revelada. O funcionário baleado também não teve o nome divulgado.

Com informações do G1 Maranhão

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Roseana e Roberto Rocha são os mais rejeitados por eleitores, diz pesquisa Exata

A ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) e o senador Roberto Rocha (PSB) são os pretensos candidatos a governador mais rejeitados pelos eleitores. É o que revela a pesquisa Exata realizada entre os dias 14 e 17 de junho.

Roseana é rejeitada por 49% dos entrevistados, enquanto Roberto Rocha aparece com 35% de rejeição.

No levantamento, o governador Flávio Dino aparece com 27% de rejeição, seguido por Maura Jorge (25%) e Eduardo Braide (21%).

Roseana colhe os frutos de suas administrações desastrosas, que colocaram o Maranhão na galeria dos estados mais atrasados do país, com péssimos indicadores em tudo.

Além disso, a filha de Sarney é acusada de fazer parte de uma organização criminosa responsável por desvios milionários da Secretaria de Estado da Saúde. Em outra acusação, a ex-governadora faria parte do grupo que montou um esquema de fraude fiscal na Secretaria de Estado da Fazenda, que produziu um rombo bilionário. Fatos que desgastaram a imagem de Roseana, que deixou o governo, em 2014, amargando alto índice de reprovação.

Já Roberto Rocha, que se elegeu ao Senado graças ao empenho do governador Flávio Dino, sente na pele os efeitos da traição. Depois de eleito, mostrou sua verdadeira face: um político que traz o ranço do coronelismo, com projeto pessoal, e achando que o caminho mais fácil e curto para chegar ao comando do governo seria traindo o principal responsável por sua eleição.

Rocha enganou-se. Virou um político solitário, sem grupo. Portanto, sem condições de disputar eleição majoritária. O povo não gosta de traidores.

Governo anuncia concurso com mil vagas para Saúde

O edital será publicado no segundo semestre deste ano, entre setembro e outubro, e o concurso será realizado em 2018.
Carlos Lula anuncia realização de concurso para a Saúde
O Governo do Estado anunciou concurso público para a área da Saúde. Mil novos postos de trabalho serão criados no Maranhão. O edital será publicado no segundo semestre deste ano, entre setembro e outubro, e o concurso será realizado em 2018. Há mais de 20 anos o Governo do Estado não realiza concurso público para área da saúde.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, ressaltou que o poder público fortalece a rede de saúde com a realização de concurso público. Em todas as áreas de saúde serão oferecidas vagas, a exemplo de médico, administrador hospitalar, enfermeiro e fisioterapeuta.

“O concurso vai contemplar mil vagas para a rede de saúde, inclusive para médicos. Mais de 20 anos depois, o Governo do Estado volta a fazer concurso público. Nós damos perspectiva de estabilidade e segurança para as pessoas. Durante muito tempo elas não puderam entrar no sistema de saúde, se não por indicação política. Fizemos um sistema por meio do qual as pessoas entravam por mérito próprio. Agora, finalmente, o concurso público, que foi pedido por tantas pessoas, vai ser um referencial”, disse o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Mais transparência

A Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh) assumirá a organização do concurso, por meio de licitação para contratação de empresa especializada em certames para garantir a lisura de todo o processo.

“Anteriormente não existia isso, era necessário conhecer alguém para conseguir um emprego, e agora não. A postura do governador e do secretário é para valorizar a meritocracia. Então, quem tiver mais capacidade para passar na prova, vai preencher a vaga. A gente acredita que dessa forma cada vez mais a assistência vai ter mais capacidade por conta de que mais pessoas preparadas vão entrar na rede. É uma forma mais justa de se admitir novos colaboradores”, explicou a presidente da Emserh, Ianik Leal.

Flávio Dino venceria Roseana com 30% de diferença, aponta pesquisa Exata

do Blog Marrapá

Pesquisa do Instituto Exata encomendada pelo Jornal Pequeno apontou larga vantagem do governador Flávio Dino (PCdoB) sobre a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), caso as eleições fossem hoje.

No cenário em que aparecem apenas Flávio e Roseana, o governador marcou 51 pontos percentuais contra 28 da peemedebista. Outros 16% disseram votar nulo, branco ou nenhum e 5% não sabem ou não responderam. Em votos válidos, a diferença chegaria a 30 pontos.

O número é bem próximo a outro dado divulgado ontem, em que 58% dos entrevistados na mesma pesquisa disseram aprovar o atual governo. Ou seja, Dino tem um eleitorado consolidado que pode garantir sua reeleição.

A pesquisa Exata foi realizada entre os dias 14 e 17 de junho deste ano. Foram ouvidos 1404 eleitores e a margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com grau de confiabilidade é de 95%.

Pagamento dos servidores públicos estaduais será antecipado para a próxima terça-feira (27)

Por determinação do governador Flávio Dino, o pagamento do funcionalismo estadual será novamente antecipado para a próxima terça-feira (27). Conforme o calendário, o pagamento seria efetuado no primeiro dia útil de julho, ou seja, no dia 3. A viabilidade financeira do Estado possibilitou a antecipação, como vem ocorrendo por determinação do chefe do Executivo Estadual.

“Vamos pagar os servidores públicos do Governo do Maranhão (folha de junho de 2017), no dia 27”, anunciou o governador Flávio Dino, em rede social.

Os servidores podem acessar a versão digital do contracheque, por meio do site da Secretaria de Estado da Gestão e Previdência (Segep) ou através do aplicativo Portal do Servidor, disponível gratuitamente para sistemas operacionais Android e IOS. Para isso, é necessário apenas senha de acesso, que pode ser cadastrada presencialmente na sala do Portal do Servidor (localizada no Edifício Clodomir Milet, s/nº, térreo), ou pelos telefones (98) 3131-4191 ou 3131-4192.

Supremo discute relatoria e validade das delações da JBS; acompanhe ao vivo

Tendência da Corte é de confirmar validade de decisões do ministro Edson Fachin
O Supremo Tribunal Federal é formado por 11 ministros. A sessão desta quarta-feira, 21, inclui debate sobre a competência do ministro Edson Fachin para homologar acordo dos empresários da JBS e também sobre a proporcionalidade da delação com impacto sobre benefícios adquiridos pelos delatores.

Acompanhe ao vivo

Janot pede abertura de inquérito contra Lobão

Procurador-geral da República vê indícios da participação do parlamentar em crimes contra o sistema financeiro, lavagem dinheiro e tráfico de influência
Breno Pires, de Brasília
O Estado de São Paulo

A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de inquérito e a autorização para a quebra de sigilo do senador Edison Lobão (PMDB-MA) apontando indícios da participação do parlamentar em crimes contra o sistema financeiro, lavagem dinheiro e tráfico de influência. 

O procurador-geral, Rodrigo Janot, diz haver “fortes indícios de que o senador Edison Lobão, na condição de sócio oculto da holding Diamond Mountain Group, teria atuado em favor da captação de recursos em fundos de investimentos da empresa junto à Petrobrás (Petros)”, em 2011, quando era ministro de Minas e Energia. O ministro Luís Roberto Barroso é o relator e deverá responder ao pedido.

A investigação havia iniciado como um desmembramento de um outro inquérito autorizado por Barroso que apurava suposta prática de crime contra o Sistema Financeiro Nacional por Luiz Alberto Maktas Meiches e Marcos Henrique Marques da Costa, representantes legais da empresa Diamond Capital Group no Brasil, com a menção de suposta participação do Senador da República Edison Lobão nos fatos relatados. A holding Diamond Mountain Group está registrada nas Ilhas Cayman.

A PGR acredita que advogado e amigo pessoal Márcio Coutinho representava Lobão junto ao grupo. E suspeita que, “a partir da entrada do congressista na sociedade, em razão de sua atuação e influência política, a Diamond Mountain Capital Group teria sido beneficiada ilicitamente com o aporte de capital de diversos fundos de investimentos controlados pelo Governo Federal, dentre eles, o da PETROS (Petrobras)”.

Janot diz que a investigação conta com informações e documentos por Jorge Alberto Nurkin, ex-sócio da empresa Diamond Participações Ltda., integrante da holding empresarial Diamond Mountain Capital Group, e com vários dados obtidos a partir de análise da agenda de Lobão, mostrando diversas reuniões, no Ministério de Minas e Energia, entre o congressista, representantes da Diamond Mountain Capital Group e Márcio Coutinho.

Para a PGR, “a possível intervenção do congressista em favor de assuntos relativos à Diamond Mountain Group ganha densidade quando se verifica que há coincidência de datas e horários no agendamento de compromissos do então Ministro de Minas e Energia e hoje Senador da República Edison Lobão, com representantes da Diamond Mountain Group e dirigentes da Petrobras”.

A PGR pediu, além do afastamento do sigilo bancário de Edison Lobão durante todos os anos de 2011 e 2012, a autorização para obter dados relacionados aos e-mails trocados por Jorge Alberto Nurkin, constantes dos autos, para confirmar a autenticidade das cópias de mensagens eletrônicas fornecidas por ele e para colher o depoimento de Marcos Henrique Marqucs da Costa, Luiz Alberto Maktas Meichcs, Cleberson Gavioli, Jorge Alberto Nurkin, Marcílio Ribeiro de Miranda e Eduardo Uchoa Cintra de Oliveira. Também quer que o Plano de Previdência da Petrobrás, Petros, informe se já efetuou aporte financeiro nos fundos de investimentos relativos à Diarnond Mountain Group, especialmente, no período de 2011 a 2012.

A reportagem não conseguiu contato na noite desta terça-feira com a assessoria do senador para tratar do assunto. Em outras ocasiões, o senador negou envolvimento em irregularidades.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Governo Flávio Dino tem 58% de aprovação, aponta pesquisa Exata/JP

A pesquisa Exata/JP foi colhida entre os dias 14 e 17 de junho com 1.404 pessoas.
A nova pesquisa Exata/JP comprova que o Governo do Maranhão mantém os bons índices de aprovação que vêm se mantendo desde o início do mandato, consolidando sua gestão como uma das mais bem avaliadas do país.

Realizada entre 14 a 17 de junho, a pesquisa identificou que o governo tem 58% de aprovação. Ainda segundo a pesquisa, a gestão não conta com a aprovação de 38% dos entrevistados, enquanto 4% não sabem avaliar.

O governador segue tendo uma avaliação melhor que a do governo como um todo. O gestor Flávio Dino tem 59% de aprovação, contra 37% de desaprovação. Cerca e 46% dos entrevistados consideram a postura pessoal do governador “muito positiva” ou “positiva”, enquanto apenas 18% a consideram “negativa” ou “muito negativa”.

“O Governo Flávio Dino demonstra sólida imagem positiva perante a maioria do eleitorado e resiliência em face da deterioração do ambiente político nacional que afeta em cadeia todos os gestores públicos no país”, comenta o instituto, em sua avaliação analítica.

“A elevada aprovação do Governo, considerando todo o contexto, reforça inegavelmente o imenso favoritismo do governador Flávio Dino nas eleições do próximo ano”, ressalta.

A pesquisa Exata/JP foi colhida entre os dias 14 e 17 de junho com 1.404 pessoas. Tem margem de erro de 3.2 pontos percentuais e índice de confiabilidade de 95%.

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...